X

O hidrogênio da Geocorona e o negacionismo sobre a ISS!

Numa situação anterior, Lang disse que ISS não derrete no calor de 2000 graus porque não há muita matéria pra causar transferência de calor na termosfera. Pergunto: há pouco mudaram tudo e disseram que a atmosfera ( mais densa portanto)  terrestre passa quem de 600 mil km ( passa da lua) isso joga por terra a teoria de lang de quase vácuo onde estaria ( se existisse, podem mandar filmagem sem cgi se quiserem tentar provar a existência) da ISS

Respondido por: Prof. Fernando Lang da Silveira - www.if.ufrgs.br/~lang/

Depois de um exercício de hermenêutica para entender o questionamento “claro e lúcido” do negacionista 🙂 vão alguns comentários:

1- A ISS está bem próxima da Terra já que a sua órbita se encontra a 409km de altitude e o raio do planeta é 6370km. Já a órbita da Lua ocorre a aproximadamente 380.000km.

A órbita da ISS se localiza na Termosfera. Ali existe atmosfera tênue, rarefeita, mas ainda com densidade capaz de fazer com que a Estação se aproxime da superfície da Terra na razão de 2km por mês, motivo pelo qual periodicamente correções na órbita são efetivadas. Vide a postagem Paradoxal efeito do arrasto no movimento de um satélite.

2- A discussão sobre a Termosfera se encontra na postagem Alta temperatura na termosfera impossibilita as viagens espaciais?

3- Sobre os traços de hidrogênio terrestre além da órbita da Lua, detectados pela sonda SOHO – Observatório Solar e Heliosférico (lançada em 1995) da Agência Espacial Europeia (ESA) e da NASA – foi publicado em 2019 no artigo SWAN/SOHO Lyman‐α Mapping: The Hydrogen Geocorona Extends Well Beyond the Moon.

A Geocorona é uma extensão da nossa atmosfera, se constituindo em uma nuvem de hidrogênio extremamente rarefeita,  estendendo-se possivelmente até cem raios terrestre, portanto muito além da órbita da Lua (a distância Terra-Lua é cerca de 60 raios terrestres).

Através do detector SWAN da SOHO foi possível evidenciar a minúscula quantidade de 70 átomos de hidrogênio por centímetro cúbico a 60.000km da Terra e 0,2 átomos de hidrogênio por centímetro cúbico na região da órbita da Lua conforme está exposto em Earth’s atmosphere stretches out to the Moon – and beyond.

Na atmosfera da superfície da Terra existem 27.000.000.000.000.000.000 moléculas por centímetro cúbico. Ou seja, a quantidade detectada pela SOHO na órbita da Lua, 0,2 átomos por centímetro cúbico, nada altera sobre lá existir quase vácuo perfeito.

Somente não compreendendo o que significa a descoberta recente sobre os traços de hidrogênio na Geocorona é que se pode usar tal conhecimento em apoio à estapafúrdia concepção negacionista sobre a ISS. Aliás, esta descoberta recente  nem diz respeito à região onde transita a ISS, a Termosfera, pois se aplica a Exosfera.

4- O negacionismo sobre a ISS é insustentável pois a Estação Espacial é observável para quem assim desejar.

Diversos endereços na internet fornecem com antecedência datas e horários sobre sua passagem (e de outros satélites) e visualização na localidade de escolha do interessado. À guisa de exemplo seguem dois endereços: Heavens Above, Darpian-Sattelites.

Recomendo especialmente um vídeo do astrônomo Prof. Silvestre, no qual são discutidas as condições em que as observações de satélites ocorrem, além de exibir diversas fotos por ele feitas, ilustrando assim a realidade das observações: A visibilidade de satélites.

A imagem da Figura 1 são fotos da ISS capturadas por  um astrônomo amador italiano. https://pbs.twimg.com/media/ClDkdH4UkAMNhzY.jpg.

A Figura 2 é uma das fotos de Deivis Scherma Ortiz, apresentadas em  ASTRO-PHOTO SESSION 2020-JUN-17, colhidas em Americana (SP).

Assim sendo o negacionismo sobre a existência e a observação da Estação Espacial Internacional, bem como de outros satélites, somente pode ser mantido por ignorantes.
Vídeo sobre trânsitos da ISS: ISS through my Telescope (Compilation).

 

“Docendo discimus.” (Sêneca)


2 comentários em “O hidrogênio da Geocorona e o negacionismo sobre a ISS!

  1. Weverton disse:

    Professor, tirando as alucinações deste terra-chato, poderia explicar melhor sobre a parte da termosfera? eu li a postagem sobre a baixa taxa de transferencia de calor nessa região, mas confesso que não compreendi muito bem. Não seria o satélite ou qualquer outro corpo passando nessa região matéria o sufuciente para gerar a condução termica?

Acrescente um Comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *