X

O equinócio na Terra Plana e no mundo real.

Professor Lang

Muito boa sua postagem sobre o solstício de verão inexplicável na Terra Plana! O solstício de verão na Terra Plana e no mundo real!

Vi no youtube que o equinócio também destrói com a esdrúxula concepção de um mundo chato. Poderia comentar sobre o tema? Agradeço.

Respondido por: Prof. Fernando Lang da Silveira - www.if.ufrgs.br/~lang/

A observação do movimento do Sol no sistema de referência da Terra, em qualquer dia do ano, refuta o mundo mitológico chato. A respeito do nascente solar, há alguns anos, fiz um desafio aos terraplanistas e não houve uma tentativa sequer de o responder pois tal é impossível de responder  com sucesso  no mundo mitológico em forma de pizza.

Na postagem que referiste –  O solstício de verão na Terra Plana e no mundo real! – ficou evidenciado que a posição do nascente solar, predita na Terra Plana, conflita com o que se pode observar.

Durante o convescote dos terra-chatos em novembro de 2019 em São Paulo, foi divulgado um mapa da Terra Plana, que coincide com a projeção azimutal equidistante do nosso planeta, centrada no Polo Norte (vide Figura 1). A partir de tal mapa demonstrarei onde o nascente solar no equinócio da primavera em Porto Alegre em Macapá deveria acontecer caso o delírio sobre uma Terra Plana fosse realidade.

Como a qualidade da Figura 1 não é boa, usarei para determinar a posição do nascente solar em Porto Alegre e em Macapá no equinócio da primavera na TP a projeção azimutal equidistante, centrada no Polo Norte e estendida até o Polo Sul,  encontrada na Wikipedia (Figura 2).

A escolha por essas duas cidades, Porto Alegre e Macapá,  é interessante pois ambas se encontram praticamente no mesmo meridiano (cerca de 51° Oeste), a capital gaúcha em latitude 30° Sul e Macapá na linha do equador.

Como é bem sabido, nos equinócios o nascente solar ocorre exatamente a leste em todo o mundo e permanece acima do horizonte por 12 horas.

Na Terra Plana, segundo os terraplanistas, o Sol descreve uma órbita sempre acima do mundo chato, sendo que nos equinócios a órbita coincide com o equador do mundo mitológico. Ou seja, a representação no mapa azimutal equidistante para o Sol no seu nascente em Porto Alegre e Macapá se encontra na Figura 3. Como o Sol nasce nesse dia, nas duas cidades, seis horas antes de passar sobre o meridiano com longitude 51° Oeste (ao meio-dia está no zênite em Macapá), ele dista ao amanhecer 90° deste meridiano, se encontrando sobre o leste da África.

Na Figura 4, com auxílio de uma rosa dos ventos nas duas cidades, pode-se determinar o azimute do nascente solar.

Ou seja, mais uma vez o Sol refuta inquestionavelmente a Terra Plana pois a previsão do seu nascente no equinócio conflita com o que é sabido desde a Antiguidade: no equinócio, em qualquer lugar da Terra o nascente ocorre no leste.

“Docendo discimus.” (Sêneca)


3 comentários em “O equinócio na Terra Plana e no mundo real.

  1. nilza disse:

    porque voces não usam palavras simples para que todos possam entender?Oterra planista usa sempre palavras simples, de facil compreessão,por isso o movimento cresce a cada dia.Sevoces acreditam em Deus,leiam a biblia e se convencerão que o criador fez a nossa casa plana.Ah,e a proposito,a gravidade tambem e uma mentira Que pena pra voces.Voces usam uma linguagem que a maioria não entende,eu mesma ,vou ter que ver esse documentario novamente com um dicionario do lado pra poder entender.Fiquem bem.Que Deus os ilumine

    • Fernando Lang disse:

      Como já disse um dos maiores filósofos do século XX, Wittgenstein, “Os limites da minha linguagem são os limites de meu mundo”. A linguagem dos terraplanistas, como foi bem exemplificado neste comentário, somente é capaz de limitar o mundo a uma pizza embaixo de uma queijeira.
      Vide mais em APP da Terra Plana.

  2. Luiz Sergio Y Moreira disse:

    Professor Lang,
    Estava navegando pela web procurando me lembrar dos detalhes da “Experiência de Michelson-Morley” quando caí nestas páginas tão instrutivas e até, digamos, divertidas. Vi pela primeira vez o mapa da terra plana e não pude deixar de pensar como os terraplanistas, nessa montagem tigela, devem estar sem dormir com o aquecimento global (ou seria aquecimento “chatal”?). Com o derretimento das geleiras do “polo sul” não haverá essa barreira para contenção dos oceanos!!
    E fiquei mais curioso, para onde iria essa água toda, será que essa concepção de mundo é como o mítico disco de Odin, de uma só face, tal como Jorge Luis Borges descreve em seu conto “O Disco”? O que poderia haver do outro lado?
    Parabéns pela sua citação de Wittgenstein, touché!

Acrescente um Comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *