X

Estranheza sobre a dependência espacial das forças de maré.

Professor fiquei confuso com a sua afirmação em um comentário do YT de que a força de maré varia com o inverso do cubo da distância.  Não seria com o quadrado da distância, em vez de ser ao cubo pois e uma força gravitacional?

Respondido por: Prof. Fernando Lang da Silveira - www.if.ufrgs.br/~lang/

As forças de maré variam com o inverso do CUBO da distância pois resultam de diferenciais das forças gravitacionais do astro atrator sobre o astro atraído. Elas também dependem, de forma diretamente proporcional, do raio do corpo atraído em acordo com a figura 1. A dedução da equação para as forças de maré (encontrada na figura 1) a partir da Lei da Gravitação Universal está em MARÉS, FASES PRINCIPAIS DA LUA E BEBÊS.

Vide a postagem Por que os efeitos de marés acontecem nos dois lados da Terra? para entender a razão de as forças de maré máxima acontecerem nos dois lados do corpo atraído em sentidos contrários.

Existem diversas coincidências cosmológicas relativas ao sistema Terra-Lua-Sol. Uma delas diz respeito ao tamanho aparente da Lua e do Sol em relação à Terra: ambos os astros apresentam-se com praticamente o mesmo tamanho angular (cerca de 0,5°) quando observados da Terra, embora o raio do Sol ser muito maior do que o raio da Lua.

Existe uma segunda coincidência cosmológica em relação à Lua, explicada pela dependência com o  inverso do CUBO da distância para as forças de maré. Embora a força de atração gravitacional da Lua sobre a Terra tenha intensidade cerca de 200 vezes menor do que a força de atração do Sol sobre a Terra, as forças de maré lunar são semelhantes às solares conforme conforme discutido no artigo MARÉS, FASES PRINCIPAIS DA LUA E BEBÊS.  Na verdade as máximas forças de maré lunar sobre um objeto na Terra são apenas cerca de duas vezes maior do que as máximas forças de maré solar.

Outras postagens relacionadas com o tema:

Distribuição das forças de maré e os efeitos sobre as águas

Explicando as marés sizígias

“Docendo discimus.” (Sêneca)

 


Um comentário em “Estranheza sobre a dependência espacial das forças de maré.

  1. Mario Leite Pereira Filho disse:

    Muito boa a explicação sobre as marés. Nunca tinha lido uma dedução tão detalhada e clara. Parabéns!

Acrescente um Comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *