X

É possível sustentar a centralidade da Terra no universo?

Olá.
Apesar de bem estabelecido que que é a Terra que gira em torno do Sol e não o contrário, ainda não é raro encontrar pessoas que duvidam disso. Existem ainda muitos religiosos que sustentam que a Terra está imóvel (pode até rotacionar, mas não translada). Alguns chegam ainda a considerá-la o centro do universo.
Buscando responder a estas pessoas, eu cheguei a encontrar algumas evidências do movimento da Terra. As evidências mais interessantes que encontrei foram basicamente a chamada aberração da luz, a paralaxe estelar e as diferenças das medidas da radiação de fundo em relação ao suposto sentido do movimento da Terra (blueshift da radiação no sentido do movimento e redshift no sentido oposto).
Mas, pensando profundamente sobre o tema, fiquei com a impressão de que essas são evidências de que há um movimento, mas não necessariamente de que é a Terra que se move. Alguém poderia afirmar (por mais absurdo que possa parecer), que a Terra está parada e o universo inteiro se move em relação a ela. Ou não é possível alguém sustentar essa afirmação?
Se esta afirmação for esdrúxula, do ponto de vista da Física, eu gostaria de saber por que ela é esdrúxula. Esta afirmação entra em contradição com algum outro fato conhecido pelos físicos? Qual?
Agradeço antecipadamente pela atenção.

Respondido por: Prof. Fernando Lang da Silveira - www.if.ufrgs.br/~lang/

Farei alguns comentários gerais e darei então uma resposta.

A questão central desta discussão é se a Terra pode ser considerada um local especial como sugerem alguns livros velhos e sagrados, ainda interpretados por alguns religiosos de maneira tacanha e antiquada. Seria de fato a Terra o lugar central de uma suposta criação?

Todas as evidências científicas apontam para uma resposta negativa a esta concepção veiculada literalmente em muitos textos antigos. Aliás, algumas religiões esclarecidas convivem razoavelmente bem com a ciência, pouco a pouco retrocedendo em suas posições mais atrasadas, não mais mais interpretando literalmente as afirmações anacrônicas sobre a centralidade da Terra em qualquer sentido que se queira interpretar o termo.

A história das teorias cosmológicas mostra até cerca de 1500 a prevalência de uma concepção geocêntrica (isto não exclui a existência de pensadores antigos com ideias muito diferentes). A partir de 1500, com Copérnico, lenta e gradualmente, apesar das reações bem conhecidas dos religiosos católicos (e menos conhecidas dos luteranos e reformistas de um modo geral), as ideias mais arejadas sobre a posição da Terra no restante do universo vão se tornando em uma teoria frutífera, progressiva e corroborada, inspirando cada vez mais cientistas a aderirem a ela. A propósito das concepções copernicanas e posteriores vide as postagens referidas mais abaixo.

Do ponto de vista estritamente cinemático podemos referir os movimentos de objetos a qualquer sistema de referência. Adotar a Terra como sistema de referência é, em muitos casos, extremamente útil, adequado e fazemos isto com sucesso na nossa vida cotidiana. Ninguém de sã consciência pensaria em planejar o seu roteiro de viagem, por exemplo, para ir de um bairro a outro usando o sistema de referência do Sol ou da Lua ou de Júpiter … Como podemos referir os movimentos a qualquer sistema de referência eu até poderia tomar o MEU corpo como referencial e tentar o planejamento da minha viagem considerando que todo o universo, em particular a cidade onde vivo, está em movimento enquanto eu fico em repouso absoluto. Possivelmente eu seria chamado, até pelos religiosos retrógrados que advogam a imobilidade da Terra, de louco então! Esta concepção  certamente é mais antropocêntrica (ela é fernandocêntrica) do que a dos religiosos, diferindo da deles apenas em grau. Ora, eu estou agora fundando uma religião onde EU, Fernando, sou o centro do universo. E por que não pode ser assim?

A ciência procura uma descrição do universo de maneira simples.  E a maneira mais simples de descrever e prever os movimentos dos planetas do sistema solar a partir da Mecânica Newtoniana, por exemplo, é adotar como sistema de referência o Sol ou as chamadas “estrelas fixas”. Entretanto se a Terra possui um movimento de rotação e de translação em torno do Sol, então há consequências derivadas dessa suposição, tais como o paralaxe das estrelas, aberração da luz das estrelas, o achatamento da Terra, a ocorrência de vórtices atmosféricos, … (a lista é longa!), e mais atualmente, os desvios para o vermelho e para o azul, … . E muitas dessas consequências foram espetacularmente corroboradas, mostrando assim o sucesso e o potencial explicativo dessa ideia que tirou a Terra da imobilidade no centro do universo!

A ciência adota um pressuposto que é conhecido como o Princípio da Mediocridade: ele afirma que nem a Terra e nem o homem é central ou especial no universo. Este pressuposto tem se mostrado extremamente frutífero, indo de encontro com muitas concepções religiosas retrógradas e antropocêntricas. 

Finalmente, quem quisesse sustentar cientificamente a imobilidade da Terra deveria, além de explicar com essa velha e superada concepção geoestática os sucessos da hipótese copernicana, mostrar também que ela é interessante e potencialmente frutífera no sentido de formular novas predições, inspirando o avanço do nosso conhecimento sobre o universo. O que vemos é que a hipótese antropocêntrica religiosa esteve e está ainda a serviço da manutenção da ignorância, levando em 1600, por exemplo, Giordano Bruno para a fogueira, Galileu para a prisão perpétua, … .

Exemplo atual da defesa da estultice geoestática por um religioso encontramos em https://www.youtube.com/watch?v=bdxn8OVhDnc e por um astrólogo tupiniquim na Virgínia  em https://www.youtube.com.

COMENTÁRIOS HISTÓRICOS SOBRE AS EVIDÊNCIAS DOS MOVIMENTOS DA TERRA: A primeira evidência do movimento anual da Terra é o paralaxe estelar, previsto teoricamente no século XVI e comprovado observacionalmente na quarta década do século XIX. http://astro.if.ufrgs.br/.

Os efeitos inerciais devido ao movimento de rotação da Terra são muitos. Historicamente o pêndulo de Foucault é a primeira evidência mecânica de que de fato a Terra está em rotação e remonta a 1851. –  https://www.youtube.com/Foucault_pendulum – Se a Terra estivesse em repouso como querem os geocentristas antropocêntricos, não teríamos por exemplo os vórtices atmosféricos (ciclones e anticiclones)  conforme  discutido em  Vórtices atmosféricos. Outro efeito inercial importante, atribuído à rotação da Terra, está discutido em Desvio de Coriolis para um projétil

.Sobre o copernicanismo:

O planeta Terra é o centro do universo?

Qual a diferença essencial e básica nas descrições dos movimentos dos corpos celestes dos modelos geocêntrico e heliocêntrico?

Duração do ano no sistema geocêntrico

Copérnico NÃO aboliu e usou epiciclos!!!

Sobre outros assuntos relacionados com este:

Newton e a teoria da gravitação – Perguntas do Globo Ciência

Por que a Terra é achatada?

Como sabemos que a Terra é achatada?

Newton e a teoria da gravitação – Perguntas do Globo Ciência 

Sobre os cometas na época de Newton

Achatamento da Terra e Mecânica Cartesiana

Refutando a Terra Plana

“Docendo discimus.” (Sêneca)

______________________________________

Por sugestão da Profa. Fernanda Steffens posto aqui uma frase de sua preferência:

How much effort it takes to affirm the incredible! How much vanity must be concealed in order to pretend that one is the personal object of a divine plan?  Quanto esforço é necessário para afirmar o incrível! Quanta vaidade deve ser ocultada para fingir que alguém é o objeto pessoal de um plano divino?(Cristopher Hitchens)

Visualizações entre 27 de maio de 2013 e novembro de 2017: 2323.


2 comentários em “É possível sustentar a centralidade da Terra no universo?

  1. Alguém disse:

    “aberração da lus das estrelas”
    kkk kkk kkk
    Quem é o analfabeto q escreveu esse artigo?

Acrescente um Comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *