X

Distância ao Sol na mítica Terra Plana: a razão de as diversas estimativas serem conflitantes!

Professor Lang: Já que o sr. está quase se convertendo para a TP (risos) gostaria de lhe fazer um questionamento. Os terra-chatos até agora não convergiram sobre a distância que o Sol e a Lua estão orbitando paralelamente ao mundo tipo pizza que creem viver. Já vi referências a tal distância com valores entre 1500 km e 5000 km. O sr. sabe com são feitas tais estimativas? Ou eles apenas deliram sobre o tema sem nenhuma base racional para afirmar tais valores? Agradeço se o sr. responder e torço para que a sua conversão não aconteça. (risos) Abs

Respondido por: Prof. Fernando Lang da Silveira - www.if.ufrgs.br/~lang/

A localização do Sol é apenas um dos tantos problemas insolúveis  na Terra Plana. Cabe lembrar que os ditos dois luminares (Sol e Lua) naquele mundo mítico da Idade do Bronze, movem-se em trajetórias circulares, paralelas ao disco da Terra com centro (polo norte) e bordas geladas (Antártica). Tudo isto abaixo do Domo da Ignorância e da Fé Demais que não está representado na figura 1.

terra_plana

Vejamos como os terraplanistas tentam quantificar, a partir de observações, a distância que o Sol se encontra da TP. Para tanto reportarei à determinação da circunferência (e do raio) da Terra por Eratóstenes, discutida em uma postagem de 2015:  Como Eratóstenes mediu 7° entre Assuã e Alexandria para achar a circunferência da Terra?

Eratóstenes (276 a.C. – 194 a.C.) sabia que na cidade de Siena (a cidade está bem próxima ao Trópico de Capricórnio), ao sul de Alexandria, no solstício de verão o Sol se encontrava no zênite, iluminando o fundo de um poço. Já em Alexandria, na mesma data, uma estaca ao meio-dia projetava uma sombra. Medindo a extensão da sombra concluiu que o Sol distanciava-se do zênite eem Alexandria por cerca de 7,2o, conforme representado na figura 2.

eratostenes

Eratóstenes assumindo que a Terra é esférica e o Sol se encontra muito distante de nós (Aristarco, um século antes, havia estimado a distância Terra-Sol em 1500 raios terrestres), conclui que a diferença de posição angular sobre a Terra (diferença em latitude) entre as duas cidades é 7,2o ou 1/50 avos da circunferência da Terra. Portanto a circunferência da Terra é 50 vezes do maior do que a distância entre as duas cidades (cerca de 5000 estádios ou 800 km), chegando assim em unidades atuais a um valor aproximado de 40 mil qilômetros.

Anaxágoras assumindo um modelo de Terra Plana com o Sol próximo, obteve a distância Terra-Sol, conforme indica a figura 3, com valor de 6,3 mil quilômetros.

anaxagoras

As tentativas posteriores de determinação da distância Terra-Sol na imaginária TP são variantes do mesmo raciocínio  utilizado por Anaxágoras, usando outras distâncias sobre a Terra e elevações do Sol.  A cada determinação um novo resultado conflitante com os anteriores é obtido. Por exemplo, no século XIX o fundamentalista religioso responsável pela ressurreição da TP, Samuel Rowbotham (1816–1885) em sua obra Astronomia Zeetética – A Terra não é um globo – determina a distância ao Sol em 700 milhas ou 1,1 mil quilômetros. Posteriormente o evangelista Wilbur Glenn Voliva (1870 –1942), usando o fato de que quando Sol está a pino em um local da Terra, a 3 mil milhas de distância ele é visto a 45o de elevação sobre o horizonte, portanto encontrando-se a 3 mil milhas (cerca de 5 mil quilômetros) sobre a TP. A figura 1 foi criada pelo Voliva e nela há, além da informação de que o Sol  está flutuando sobre a Terra a 3 mil milhas, que seu diâmetro é de 27 milhas (43 km).

Vou demonstrar agora que, sendo a Terra esférica, determinações da distância ao Sol a partir de observações efetuadas em dois pontos da Terra levarão necessariamente a que a altura do Sol diminua quando o afastamento angular Δλ   (em latitude ou longitude) entre os dois pontos cresce. A figura 4 explicita a relação entre o raio da Terra (R), a distância angular em radianos (Δλ) e a distância D  entre os dois pontos de observação.

medida1

Na figura 5 estabelece-se, no mítico modelo de TP, como a medida da altura H do Sol está relacionada ao raio R da Terra, e a diferença angular Δλ (em latitude ou longitude) dos dois pontos de observação.

dist_terra_sol

O gráfico da figura 6 relaciona as medidas de altura do Sol com a diferença em latitude ou longitude (Δλ) dos dois pontos de observação com a altura do Sol sobre a esdrúxula e anacrônica Terra Plana. Apresenta-se também no eixo das abcissas a distância D em quilômetros entre os dois pontos de observação.

hversusd

Desta forma fica demonstrado que na Terra Plana a altura do Sol se modifica conforme as tentativas de medi-la sejam feitas de pontos mais distantes. A medida de Voliva está indicada em vermelho no gráfico da figura 6. Portanto NUNCA haverá coerência entre os diversos terreplanistas quando tentarem estabelecer experimentalmente onde o Sol se encontra pela singela razão de que a Terra NÃO É plana.

Cabe notar também que o diâmetro “real” do Sol, que para Voliva seria 43 km, para Anaxágoras seria 55 km e para Rowbotham apenas 10 km.

A simples observação do Sol (ou da Lua) evidenciam a falência da TP pois, além dos problemas já apontados, não há como se explicar que o Sol nasce ou põem quando de fato sempre está acima da superfície deste mundo imaginário da Idade do Bronze. Adicionalmente como é bem sabido o tamanho angular do Sol para um observador em qualquer posição da Terra é sempre o mesmo. Na TP o Sol deveria sofrer importantes mudanças em seu tamanho angular pois sua distância a um observador varia ao longo do dia; entretanto tal não acontece, sendo tamanho angular solar sempre cerca de 0,5o. Vide Refração atmosférica e o Sol na mitológica Terra Plana e no mundo real.

A tentativa de sustentar a ideia da TP somente é possível em mentalidades sem letramento científico ou como um exercício de dissociação cognitiva em que dificuldades teóricas e  fatos refutadores são sistematicamente negados.

 Há muitas postagens no CREF evidenciando a insustentabilidade da Terra Plana, acessíveis em Mítica Terra Plana, especialmente Mais um exercício terraplanista de dissociação cognitiva na determinação da distância Terra-Sol.

Vide mais sobre o tema no artigo Sobre a forma da Terra

Um vídeo que trata do tema da distância ao Sol: Carlos Machado.

“Docendo discimus.” (Sêneca)

Visualizações entre 27 de maio de 2013 e novembro de 2017: 1942.


16 comentários em “Distância ao Sol na mítica Terra Plana: a razão de as diversas estimativas serem conflitantes!

  1. Allan Andrade disse:

    Psiu! A terra NÃO é plana! ?????

  2. Carlos Fonseca disse:

    As conjecturas de um Sol próximo(raios luminosos divergentes) e de um Sol distante(raios luminosos paralelos)não são equivalentes nem no mero aspecto geométrico e muito menos fisicamente,isto é fato.O grande Hiparco já media o tamanho angular solar aparente e notava que este não variava.

    Muito bom trabalho,parabéns.

  3. Renato disse:

    e se considerarmos que o sol varia a sua altura enquanto faz seu movimento sobre a terra plana?

  4. Misael disse:

    Arastotenes partiu do pré suposto que os raios do sol são paralelos, daí a conclusão dele. Se considerar um sol bem menor e próximo, os raios não serão paralelos e dará o mesmo resultado que arastotenes achou, mas, com a terra plana. Quanto as imagens da NASA, CGI. Só procurar que acharam vários vídeos mostrando a aplicação de CGI nas imagens da NASA.

    • Fernando Lang disse:

      Nem o nome do Eratóstenes conseguiste escrever! ?
      Adicionalmente a esfericidade da Terra independe das imagens da Nasa ou de tantas outras agências espaciais mundo afora. Por exemplo, no século XVIII o achatamento do eixo polar em relação ao eixo equatorial foi MEDIDO pelas expedições geodésicas francesas à Lapônia e ao Peru. Mais em Sobre a forma da Terra.

    • Se o Sol estivesse próximo da Terra, à altura de cinco ou seis mil quilômetros, como imaginam os terraplanistas, nós o veríamos quando ele estivesse sobre o Japão, além do tamanho aparente dele variar muito.
      Veja a figura do link abaixo, como veríamos o Sol o tempo todo, e pense nisso.
      http://www.joaodefreitas.com.br/sol-sobre-o-japao.htm

      • José Luiz disse:

        Nós não veríamos nada! Estaríamos derretidos junto com toda a Terra: seríamos um gigantesco magma terrestre, ou melhor, estaríamos incorporados ao Sol devido à foça gravitacional.

    • Leo Benez disse:

      O difícil é fazer um corpo celeste minúsculo desse produzir fusão nuclear, De onde viria a pressão e temperatura para isso. Estude um pouco de física para entender porque uma estrela existe e como ela gera a sua energia.

  5. Jailson disse:

    Os TP querem provar a existencia da TP mas sem mostrar e provar quais “novas” leis da fisica estao incluidas no processo. Com as leis atuais ja conhecidas tudo isso nao é possível.
    Se possui novas leis, quais sao e como provam que existem?

  6. eng_medina disse:

    Como é que os TP explicam o pôr-do-sol? e como é que explicam o facto de que numa parte do planeta é de dia e noutra é de noite no mesmo instante de tempo com a sua teoria da localização do sol e da lua? Pois, supostamente no modelo de terra plana ou seria dia em todo o planeta ou seria noite, no mesmo instante de tempo, aliás nem existiria noite no seu modelo.

    • Fernando Lang disse:

      O sol do terra-chatos é um holofote bem direcionado. Ele ilumina apenas as proximidades da região sobre a qual se encontra.

      Para dar conta do sol junto do horizonte criaram uma nova teoria da refração que faz o milagre de o baixar até o horizonte.

      A estupidez desses fideístas não tem limites.

  7. Olavo Gomes disse:

    Anaxágoras quando assumiu o modelo da TP para realizar seus cálculos a partir das descobertas feitas por Eratóstenes levou em consideração qual medida sobre o diâmetro do sol? Presumindo que quanto maior o sol menor seria a distância dele da terra para se conseguir os mesmos resultados que Eratóstenes obteve. Existe algum consenso entre os terraplanistas sobre o tamanho do sol?

  8. VALMIR GIMENEZ disse:

    Os globalóides ofendem os TPs sem argumentos concretos e simples. Já está e foi provado que não é possível adotarmos um modelo definitivo (LEI) por isso, são duas teorias: heliocêntrica e geocêntrica. Há mais de 100 anos disseminam informações filosóficas (não são reais). E amigos, discutir assuntos filosóficos é perder tempo e dinheiro (energia). Já foram publicadas centenas de provas reais de que não temos curvaturas na terra e que vivemos num plano. Contra fatos não existem argumentos. A terra continua plana, independente da filosofia dos globalóides é da sua fé nas agencias espaciais que jamais passarão de ser produtores cinematográficos de exploração espacial. Pow, se não exploramos nem os 11 km da parte mais profunda dos nossos mares, menos de 0,1% do diâmetro de 12.750 km do globo publicado.

    • Fernando Lang disse:

      Nunca existiu uma teoria geocêntrica com a Terra em forma de pizza. Desde a Antiga grécia até o século XVI, quando o geocentrismo preponderava, era geocentrismo de Terra esférica. Somente ignorantes e/ou fideístas da Idade do Bronze tem a crença esdrúxula sobre vivermos num mundo chato coberto pelo Domo da Ignorância.

      O conhecimento sobre geometria da Terra nada tem a ver com agências espaciais. No século XVII aconteceram as primeiras medidas sobre o achatamento da Terra. Ou seja, 1745 já se mediu cerca de 20 km a menos para o raio polar do que o raio equatorial. Então os teus comentários denotam uma absurda ignorância sobre história do conhecimento humano. Aliás, ignorância é a característica principal dos terra-chatos juntamente com desonestidade intelectual e o crentelhismo.

      Fotos sobre o formato da Terra: são elas necessárias para o conhecimento sobre a forma do planeta?

      E aqui um verbete sobre terraplanismo (terra-chatismo).

Deixe uma resposta para VALMIR GIMENEZ Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *