X

Desembaçando o vidro com ar frio

Oi Fernando Lang da Silveira.

Esses dias de inverno chuvoso, andar de carro tem o desagradável embaçamento do pára-brisa por dentro. Quem tem ar condicionado liga com um pouco de ar quente para desembaçar, quem não tem, só com o paninho que deixa o vidro melecado. Fico pensando porque isso acontece, porque o ar quente não é tão eficiente quanto o ar frio para desembaçar? O ar condicionado seca o ar ou é um efeito no próprio vidro?

Respondido por: Prof. Fernando Lang da Silveira - www.if.ufrgs.br/~lang/

Bela pergunta e já chegaste na resposta!

Sim, seca o ar. O ar frio tem baixa umidade relativa pois já perdeu a água que condensou ao passar pelo radiador frio.

A taxa de evaporação no vidro depende da umidade relativa do ar que passa sobre ele e como esta é baixa, evapora a água que está sobre vidro.

Se jogar ar quente no vidro o efeito é inicialmente menor pois o ar ainda está carregado de umidade e deve se esperar mais tempo para que, elevando a temperatura da água sobre o vidro, aumente a pressão de vapor da água líquida, aumentando então a sua taxa de evaporação.

Outras postagens relacionadas ao tema:

Umidade relativa: o que é e como se determina?

Nuvens não são massas de vapor?

Confusão recorrente sobre vaporização da água

“Docendo discimus.”

Sêneca

___________________________________________

Comentários adicionais no Facebook

Luana Gomes – Quando eu era criança eu pensava assim, se num copo de quando se coloca liquido gelado por dentro forma goticulas por fora devido a diferença de temperatura devia acontecer o mesmo com o vidro, se houvesse um equilibrio nessa temperatura não formaria esse efeito. Quando vc quer que não embasse o vidro ou espelho do banheiro, basta limpar o vidro com sabão, sem excesso, e retirar a espuma sem água. Não embassa mais. Isso porque o sabão não permite que aja aderência dessas gotculas. Nunca testei no carro pq nunca limpei o vidro por dentro, quem faz é o lavador mas creio que a recíproca deve ser verdadeira. Depois de grande, já hoje em dia, acho ainda que deve ser pelo mesmo motivo. Perdão se falei bobagem.

Pietro Paolo – Boa Fernando! Esses dias eu estava explicando isso ao amigo professor de química Iram. As pessoas esquecem que o aparelho de ar condicionado ao resfriar o ar do ambiente condensa a vapor do ambiente (umidade). Por isso aquele pinga pinga de água por trás dos aparelhos residenciais ou em baixo dos carros.

Fernando Lang da Silveira – Luana Gomes: O sabão baixa a tensão superficial da água e com isso a evaporação é mais intensa. A temperatura para que comece acontecer a condensação (comece a superfície fria a “suar”) é denominada de “ponto de orvalho”. Ao baixar a tensão superficial da água com o sabão, a temperatura do “ponto de orvalho” cai. Entretanto se a superfície fria estiver muito resfriada não há como por esse procedimento de usar sabão, impedir a condensação, o embaçamento.

Luana Gomes – Valeu já não vou testar no meu carro, rsss, se bem que aqui nunca vai esfriar tanto o mais frio aqui é 36 graus

Fernando Lang da Silveira – Vem para Porto Alegre para testar!

Luana Gomes – Rssss, um dia dou uma passada ai, com uns 3 casacos de frio e uma bota super ultra mega power anti-térmica, vou virar picolé ai.

Visualizações entre 27 de maio de 2013 e novembro de 2017: 6091.


2 comentários em “Desembaçando o vidro com ar frio

  1. Ricardo Ivanov disse:

    Prof. Lang,

    Muito obrigado por direcionar ao link que respondeu a dúvida que fiz. Contudo, confesso que permaneço em dúvida, ao ler tua resposta. Minha dúvida recai, fundamentalmente, na concorrência entre a temperatura do ar utilizado na secagem e a concentração do composto A no ar (para facilitar, designarei essa concentração por “umidade do ar”, pois aqui falamos do composto água na forma de vapor no ar). O destaque que faço da tua resposta é:

    “(…) Sim, seca o ar. O ar frio tem baixa umidade relativa pois já perdeu a água que condensou ao passar pelo radiador frio. (…) Se jogar ar quente no vidro o efeito é menor pois o ar ainda está carregado de umidade e deve se esperar mais tempo para que, elevando a temperatura da água sobre o vidro, aumente a pressão de vapor da água líquida, aumentando então a sua taxa de evaporação”.

    Em um dia muito frio (digamos, Tinf = 0 °C), ainda assim o ar frio seco (que passou pelo ar condicionado) é mais eficiente que o ar quente (Tinf = 30 °C) – que possui certa umidade – para efetuar o desembaçamento?

    Para efetuar essa transferência de massa, sabemos que quanto maior a temperatura do ar e menor for a umidade, mais rápida será a secagem; e quanto menor a temperatura do ar e maior for sua umidade, mais lenta será a secagem.

    Fiz uns testes com meu carro e pareceu-me que o ar quente (úmido) foi tão eficaz quanto (aparentemente, ao menos no meu carro, até mais eficaz) que o “ar gelado seco” (com o ar condicionado ligado) para desembaçar os vidros.

    O Manual do meu veículo indica justamente a utilização do ar quente para o desembaçamento.

    Muito obrigado desde já, grande abraço!!

    • Fernando Lang disse:

      No sábado passado, o motorista do automóvel em que estava, ligou o ar quente para desembaçar o vidro já parcialmente coberto por água. Imediatamente o embaçamento aumentou a ponto de quase não permitir se enxergar. Aconselhei-o a usar ar frio e foi um santo remédio!
      Um efeito adicional do uso do ar frio sobre o vidro é determinar a ocorrência da condensação no próprio ar resfriado e se o ar estiver mais frio do que o vidro, em acordo com o Princípio de Watt, a umidade já condensada sobre o vidro evapora.

Acrescente um Comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *