Laboratório de Física de Nanoestruturas é destaque no Journal of Materials Chemistry B (Qualis A1)

Trabalho coordenado por grupo do IF-UFRGS é destaque da revista Journal of Materials Chemistry B (Qualis A1 da Física pela CAPES) da Royal Society of Chemistry

Estudo desenvolvido pelo Laboratório de Física de Nanoestruturas do IF-UFRGS (www.ufrgs.br/physnanolab/), coordenado pelo Prof. Fabiano Bernardi, demonstra pela primeira vez que nanopartículas podem atuar como pró-enzimas artificiais. Pró-enzimas são formas inativas de enzimas capazes de serem ativadas por estímulos bioquímicos. A incapacidade de produzir pró-enzimas naturais está relacionada a uma série de doenças altamente debilitantes. No estudo, nanopartículas ultra-pequenas (menores do que 2 nm) constituídas por Ce apresentaram mudança do estado de oxidação do Ce – de Ce(III) para Ce(IV) – na presença de um estímulo bioquímico. Essa mudança foi investigada por espectroscopia de absorção de raios X in situ. A conversão on demand do estado de oxidação do Ce permite mimetizar a estratégia adotada pela natureza, de forma a controlar a ação das nanopartículas ultra-pequenas apenas no local e momento necessários, evitando danos colaterais ao organismo.

O artigo contou com participação do estudante de mestrado Alisson Steffli Thill (vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Física) em sua equipe, a qual é integralmente constituída por pesquisadores brasileiros.

O estudo é uma contribuição na fronteira do conhecimento que une física da matéria condensada e nanomedicina. Os resultados obtidos abrem a perspectiva de planejamento de uma nova geração de sistemas artificiais inteligentes que permitirão o tratamento de diversas doenças de forma adaptável às necessidades de cada paciente.

O artigo pode ser acessado em: http://pubs.rsc.org/en/content/articlelanding/2018/tb/c8tb00479j#!divAbstract