Carregando Eventos

« Todos Eventos

  • Este evento já passou.

Tese de Doutorado: O acesso ao ensino superior público brasileiro: um estudo quantitativo a partir dos microdados do Exame Nacional do Ensino Médio (Matheus Monteiro Nascimento)

7 de janeiro de 2019:14:00

Data: 7/1/2019
Local: Sala 302 -Videoconferência- Prédio 43176- IF/UFRGS
Hora: 14h00min
Ministrante: Matheus Monteiro Nascimento
Orientação: Dr. Cláudio José de Holanda Cavalcanti e Dr. Fernanda Ostermann
Banca examinadora: Dra. Graciella Watanabe (UFABC), Dr. Irlan Von Linsingen (UFSC), Dr. Leonardo Gregory Brunet (IF/UFRGS), Dra. Neusa Teresinha Massoni (PPGEnFís/UFRGS), Dr. Cláudio José de Holanda Cavalcanti (PPGEnFís/UFRGS), Presidente.

Resumo:
Uma das maiores exigências da sociedade neoliberal é uma elevada qualificação educacional para a entrada, ou permanência, no mercado de trabalho. Hoje, um título do ensino superior é critério seletivo para a maioria dos cargos profissionais. Dessa forma, a educação superior deixou de ser um diferencial no campo profissional para se tornar condição mínima para o pleito de uma vaga de emprego. Por isso, se tornam relevantes os debates em torno das políticas públicas de acesso ao ensino superior. No Brasil, desde o ano de 2009, o desempenho dos estudantes no Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) passou a ser critério de seleção para o ingresso nas universidades federais. Desde então, estudos têm indicado que essa política não consegue cumprir o papel de democratização do acesso ao ensino superior. Portanto, o presente trabalho pretende denunciar de que forma a prova do ENEM seleciona os alunos oriundos de contextos sociais favoráveis, contribuindo para a manutenção das desigualdades sociais. Além disso, são discutidas algumas possiblidades e ações capazes de tornar o acesso ao ensino superior mais democrático. As investigações realizadas, que metodologicamente se concentram em análises quantitativas articuladas com referentes da sociologia da educação, tiveram como objeto central o questionário socioeconômico do ENEM e a prova de Ciências da Natureza do exame, especialmente a prova de Física. Resultados indicam que a forma como os itens das provas objetivas são elaborados, favorece candidatos oriundos de escolas privadas ou federais, com elevado capital econômico e cultural. Contudo, foram identificados itens na prova de Física que tiveram pouca associação com o nível socioeconômico dos candidatos, critério fundamental para um exame de seleção. Investigando estudantes das classes populares que obtiveram bom desempenho no ENEM, foi possível perceber que o tamanho do núcleo familiar é uma característica decisiva para os processos de transmissão de disposições culturais valorizadas pela escola, como o gosto pela leitura e pela escrita, por exemplo. Em relação à escola, a política dos Institutos Federais desponta como alternativa no processo de democratização do acesso ao ensino superior.

Palavras-chave: ENEM; política pública; desigualdades; exame de seleção; capital cultural.

Detalhes

Data:
7 de janeiro de 2019
Hora:
14:00
Categoria de Evento:

Local

Sala de Videoconferência do IF/UFRGS
Porto Alegre, RS Brasil