A IMAGEM DO CIENTISTA: IMPACTO DE UMA INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA FOCALIZADA NA HISTÓRIA DA CIÊNCIA

Gabriel Ribeiro, José Luís de Jesus Coelho da Silva

Resumo


A integração da História da Ciência na abordagem do sistema circulatório humano em articulação com atividades de reflexão metacognitiva caracteriza uma intervenção pedagógica implementada e avaliada com um grupo de 22 alunos, no componente curricular Anatomia Humana de uma Licenciatura em Ciências Biológicas. A investigação aqui efetuada centra-se na análise do impacto da integração educativa da História da Ciência na (re)construção das concepções dos alunos sobre a imagem do cientista. Esta análise processou-se com recurso a utilização de dois instrumentos de investigação, atividades de aprendizagem e guião da entrevista dos grupos focais, sendo que as respostas dos alunos às questões contidas nestes instrumentos foram avaliadas através da análise de conteúdo. A comparação entre as concepções sustentadas pelos alunos, nos momentos antes de ensino e pós-ensino, em associação com a análise das entrevistas do tipo grupo focal, indicou que a estratégia de intervenção pedagógica contribuiu globalmente para a (re)construção da imagem do cientista.


Palavras-chave


Abordagem histórica; Sistema circulatório humano; Formação inicial de professores; Ensino de anatomia humana

Texto completo:

PDF

Referências


Agutter, P. & Wheatley, D. (2008). Thinking about life: the history and philosophy of biology and other sciences. Dordrecht: Springer.

Alkhawaldeh, S. A. (2007). Facilitating conceptual change in ninth grade students’ understanding of human circulatory system concepts. Research in Science & Technological Education, 25(3), 371-385. DOI: 10.1080/02635140701535331

Almeida, M. J. P. M. de, & Sorpreso, T. P. (2010). Memória e Formação Discursivas na Interpretação de Textos por Estudantes de Licenciatura. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, 10(1), 1-16. Recuperado de https://seer.ufmg.br/index.php/rbpec/article/view/2184/1584

Almeida, S. A. de, & Lima, M. E. C. de C. (2016). Cientistas em Revista: Einstein, Darwin e Marie Curie na Ciência Hoje Das Crianças. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, 18(2), 29-47. DOI:10.1590/1983-21172016180202

Augusto, T. G. da S., & Basilio, L. V. (2018). Ensino de biologia e história e filosofia da ciência: uma análise qualitativa das pesquisas acadêmicas produzidas no Brasil (1983-2013). Ciência & Educação, 24(1), 71-93. DOI: 10.1590/1516-731320180010006

Barca, L. (2005). As múltiplas imagens do cientista no cinema. Comunicação & Educação, 10(1), 31–39. DOI: 10.1590/1516-731320180010006

Bardin, Laurence (2009). Análise de Conteúdo. Lisboa: Edições 70.

Bächtold, M. (2013). What Do Students “Construct” According to Constructivism in Science Education? Research in Science Education, 43(6), 2477–2496. DOI: 10.1007/s11165-013-9369-7

Brasil (2001). Parecer CNE/CES n. 1301/2001, de 06 de novembro de 2001. Diretrizes curriculares nacionais para os cursos de ciências biológicas. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 07 dez. 2001. Seção 1, p. 25. Recuperado de http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CES1301.pdf

Brasil (2002). Estatuto da criança e do adolescente: Lei federal nº 8069, de 13 de julho de 1990. Rio de Janeiro: Imprensa Oficial.

Chambers, D. W. (1983). Stereotypic Images of the Scientist: The Draw-A-Scientist Test. Science Education, 67(2), 255–265. DOI: 10.1002/sce.3730670213

Christidou, V. (2011). Interest, attitudes and images related to science: combining students’ voices with the voices of school Science, teachers, and popular science. International Journal of Environmental & Science Education, 6(2), 141–159.

Coelho da Silva, J. L. (2007). Natureza da Ciência em Manuais Escolares de Ciências da Naturais e de Biologia e Geologia: imagens veiculadas e operacionalização na perspectiva dos professores e autores. Tese de Doutoramento (não publicada). Braga: Universidade do Minho.

Costa e Silva, K. V. da; Santana, E. R., & Arroio, A. (2012). Visões de Ciências e Cientistas Através dos Desenhos: Um Estudo de Caso com Alunos dos 8º e 9º Ano do Ensino Fundamental de Escola Pública. In Silva, J. L., Santos, J., Bejarano, N.;,Sá, L. , & Gonzalez, I. (orgs.). Anais do XVI Encontro Nacional de Ensino de Química (XVI ENEQ) e X Encontro de Educação Química da Bahia (X EDUQUI). Salvador: Bahia. Recuperado de https://portalseer.ufba.br/index.php/anaiseneq2012/article/viewFile/7567/5328

De Meis, L.; Machado, R. de C. P., Luctosa, P.; Soares, V. R., Caldeira, M. T., & Fonseca, L. (1993). The stereotyped image of the scientist among students of different countries: evoking the alchemist. Biochemical Education, 21(2), 75-81. DOI: 10.1016/0307-4412(93)90043-Y

Domingues, M. A. (2006). A História da Ciência no ensino do tema “Microbiologia”: Um estudo no 6º ano de escolaridade. Dissertação de mestrado (não publicada). Braga: Universidade do Minho.

Duarte, M. da C. (2004). A história da ciência na prática de professores portugueses: implicações para a formação de professores de ciências. Ciência & Educação, 10(3), 317-331. DOI: 10.1590/S1516-73132004000300002

Fernández, L. C.; Quintanilla, M. Q. & Blancafort, A. M. (2010). La importancia de la Historia de la Química en la enseñanza escolar: análisis del pensamiento y elaboración de material didático de profesores en formación. Ciência & educação, 16(2), 277-291. DOI: 10.1590/S1516-73132010000200001

Cuellar Fernández, L., Quintanilla Gatica, M., & Blancafort, A. M. (2010). La importancia de la Historia de la Química en la enseñanza escolar: análisis del pensamiento y elaboración de material didáctico de profesores en formación. Ciência & Educação (Bauru), 16(2), 277–291. DOI: 10.1590/S1516-73132010000200001

Finson, K. D., Beaver, J. B., & Cramond, B. L. (1995). Development and field test of a checklist for the Draw-a-Scientist-Test. School Science and Mathematics, 95(4), 194-206. DOI: 10.1111/j.1949-8594.1995.tb15762.x

Flôr, C., & Cassiani, S. (2005). A história da Ciência presente nos parâmetros curriculares nacionais. In V Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências. Atas do V Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências, ENPEC (p. 112). Bauru: UNESP. Recuperado de http://www.nutes.ufrj.br/abrapec/venpec/conteudo/oraltitulo.htm

Gallego-Torres, A. P. (2007). Imagen popular de la ciencia transmitida por los cómics. Revista Eureka sobre Enseñanza y Divulgación de las Ciencias, 4(1), 141-151. Recuperado de http://www.redalyc.org/pdf/920/92040109.pdf

Germano, M. G. (2011). Uma nova Ciência para um novo senso comum. Campina Grande: EDUEPB. DOI: 10.7476/9788578791209

Gil Pérez, D.; Fernández, I.; Carrascosa, J.; Cachapuz, A. & Praia, J. (2001). Para uma imagem não deformada do trabalho científico. Ciência & Educação, 7(2), 125-153. DOI: 10.1590/S1516-73132001000200001

Pérez, D. G., Montoro, I. F., Alís, J. C., Cachapuz, A., & Praia, J. (2001). Para uma imagem não deformada do trabalho científico. Ciência & Educação (Bauru), 7(2), 125–153. DOI: 10.1590/S1516-73132001000200001

Gooday, G., Lynch, J. M.,Wilson, K. G., & Barsky, C. K. (2008). Does science education need the history of science? Isis, 99(2), 322-330. DOI: 10.1086/588690

Gondim, S. M. (2002). Perfil profissional e mercado de trabalho: relação com formação acadêmica pela perspectiva de estudantes universitários. Estudos de Psicologia, 7(2), 299-309. DOI: 10.1590/S1413-294X2002000200011

Gutiérrez Julián, M., Gómez Crespo, M., & Martín-Díaz, M. (2001). Es cultura la ciencia?. In Membiela, P. (Ed.), Enseñanza de las Ciencias desde la Perspectiva Ciência – Tecnologia – Sociedad – Formación Científica para la Ciudadanía (17-31). Madrid: Narcea, S. A. de Ediciones.

Kokkotas, P., Piliouras, P., Malamitsa, K., & Stamoulis, E. (2008). Teaching Physics to In-Service Primary School Teachers in the Context of the History of Science: The Case of Falling Bodies. Science & Education, 18(5), 609–629. DOI: 10.1007/s11191-008-9139-5

Kosminsky, L., & Giordan, M. (2002). Visões de Ciências e sobre cientista entre estudantes do ensino médio. Química Nova na Escola, 15, 11-8. Recuperado de http://qnesc.sbq.org.br/online/qnesc15/v15a03.pdf

Lederman, N. (2007). Nature of science: Past, present, and future. In Abell, S. & Lederman, N. (Eds.), Handbook of research in science education (831-879). Mahwah, NJ: Erlbaum.

Losh, S. C. (2010). Stereotypes about scientists over time among US adults: 1983 and 2001. Public Understanding of Science, 19(3), 372–382. DOI: 10.1177/0963662508098576

Marconi, M., & Lakatos, E. M. (2007). Técnicas de pesquisa: planejamento e execução de pesquisas, amostragens e técnicas de pesquisa, elaboração, análise e interpretação de dados. São Paulo: Atlas.

Matthews, M. R. (1994). Science teaching: the role of history and philosophy of science. New York: Routledge.

Matthews, M. R. (1998). In Defense of Modest Goals When Teaching about the Nature of Science. Journal of Research in Science Teaching, 35(2), 161-174. DOI: 10.1002/(SICI)1098-2736(199802)35:2<161::AID-TEA6>3.0.CO;2-Q

McAdam, J. E. (1990). The persistent stereotype: children’s images of scientists. Physics Education, 25(2), 102–105. DOI: 10.1088/0031-9120/25/2/307

McComas, W. (2011). The History of Science and The Future of Science Education: A Typology of Approaches to History of Science in Science Instruction. In Kokkotas, P., Malamitsa, K., & Rizaki, A. Adapting Historical Knowledge Production to the Classroom (37-53). Rotterdam: Sense Publ.

McDuffie, T. E. (2001). Scientists–geeks and nerds? Science and Children, 38(8), 16-19. Recuperado de http://biochemistry2.ucsf.edu/programs/sep/ITSP2015/presentations/3_Article_Using%20the%20Draw%20a%20Scientist%20Test%20for%20Inquiry%20and%20Evaluation%20final.pdf

Mead, M., & Métraux, R. (1957). Image of the Scientist among High-School Students: A Pilot Study. Science, 126(3270), 384–90. DOI: 10.1126/science.126.3270.384

Mesquita, N. A. da S., & Soares, M. H. F. B. (2008). Visões de Ciência em desenhos animados: uma alternativa para o debate sobre a construção do conhecimento científico em sala de aula. Ciência & Educação, 14(3), 417-429 DOI: 10.1590/S1516-73132008000300004

Miele, E. (2014). Using the Draw-A-Scientist Test for inquiry and evaluation. Journal of college science teaching, 43(4), 36-40.

Miller, J. D. (2004). Public Understanding of, and Attitudes toward, Scientific Research: What We Know and What We Need to Know. Public Understanding of Science, 13(3), 273–294. DOI: 10.1177/0963662504044908

Miras, M. (1998). Um ponto de partida para a aprendizagem de novos conteúdos: os conhecimentos prévios. In Coll, C., Martín, E., Mauri, T., Miras, M., Onrubia, J., Solé, I, et al. O construtivismo na sala de aula (57-77). São Paulo: Ática.

Moreira, M. A. & Osterman, F. (1993). Sobre o ensino do método científico. Caderno Catarinense de Ensino de Física, 10(2), 108-117. Recuperado de https://periodicos.ufsc.br/index.php/fisica/article/view/7275/14939

Morgan, D. L .(1996). Focus Groups. Annual Review of Sociology, 22(1), 129-152. DOI: 10.1146/annurev.soc.22.1.129

Morgan, D. L. (1997). Focus group as qualitative research. London: Sage.

Oki, M. da C. M., & Moradillo, E. F. de (2008). O ensino de história da Química: contribuindo para a compreensão da natureza da ciência. Ciência & Educação, 14(1), 67-88. DOI: 10.1590/S1516-73132008000100005

Pereira, A. I., & Amador, F. (2007). A História da Ciência em manuais escolares de Ciências da Natureza. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, 6(1), 191-216. Recuperado de http://reec.uvigo.es/volumenes/volumen6/ART12_Vol6_N1.pdf

Reznik, G., Massarani, L. M., Ramalho, M., Malcher, M. A., Amorim, L., & Castelfranchi, Y. (2017). Como adolescentes apreendem a ciência e a profissão de cientista?. Revista Estudos Feministas, 25(2), 829-855. DOI: 10.1590/1806-9584.2017v25n2p829

Ribeiro, G., Oliveira, I. C. de, & Silva, M. L. P. (2011). É possível romper com a frieza do ensino de Anatomia Humana?. Experiências em Ensino de Ciências, 6(3), 45-53. Recuperado de http://if.ufmt.br/eenci/artigos/Artigo_ID158/v6_n3_a2011.pdf

Rosenthal, D. B. (1993). Images of scientists: a comparison of biology and liberal studies majors. School Science and Mathematics, 93(4), 212-216. DOI: 10.1111/j.1949-8594.1993.tb12227.x

Rudge, D. W. & Howe, E. M. (2009). An explicit and reflective approach to the use of history to promote understanding of the nature of science. Science & Education, 18(5), 561-580. DOI: 10.1007/s11191-007-9088-4

Silva, R. M., & Leite, L. (2003). Promover a imagem dos cientistas através de WebQuests. Análise crítica de “Eureka!” uma WebQuest sobre cientistas e as suas descobertas. Boletín das Ciências, 16(53), 289-297. Recuperado de http://repositorium.sdum.uminho.pt/handle/1822/10018

Teixeira, E. S., Freire Jr, O., & El-Hani, C. N. (2009). A influência de uma abordagem contextual sobre as concepções acerca da natureza da ciência de estudantes de física. Ciência & Educação, 15(3), 529-556. DOI: 10.1590/S1516-73132009000300006

Trad, L. A. B. (2009). Grupos focais: conceitos, procedimentos e reflexões baseadas em experiências com o uso da técnica em pesquisas de saúde. Physis: Revista de Saúde Coletiva, 19(3), 777-796. DOI: 10.1590/S0103-73312009000300013

Vidal, P. H. O., & Porto, P. A. (2012). A história da ciência nos livros didáticos de química do PNLEM 2007. Ciência & Educação, 18(2), 291-308. DOI: 10.1590/S1516-73132012000200004

Zanon, D. A. ,& Machado, A. T. (2013). A visão do cotidiano de um cientista retratada por estudantes iniciantes de licenciatura em química. Ciência e Cognição, 18(1), 46-56. Recuperado de http://www.cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/783/pdf

Zanotello, M. (2011). Leituras de textos originais de cientistas por estudantes do Ensino Superior. Ciência & Educação, 17(4), 987-1013. DOI: 10.1590/S1516-73132011000400014




DOI: http://dx.doi.org/10.22600/1518-8795.ienci2018v23n2p130

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Revista Investigações em Ensino de Ciências (IENCI) - ISSN: 1518-8795 

Creative Commons License