VISITAS GUIADAS AO MUSEU DA GEODIVERSIDADE PROMOVENDO A CULTURA CIENTÍFICA E MOTIVANDO ESTUDANTES DO ENSINO MEDIO

Guilherme Cordeiro da Graça de Oliveira, Cássia Curan Turci, Filipe Saraiva de Sá Silva, Luyne dos Santos Cordeiro Oliveira, Sabrina de Abreu e de Abreu

Resumo


Esse artigo abrange o planejamento, execução e avaliação de visitas guiadas ao Museu da Geodiversidade, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), por parte de alunos do ensino médio da rede pública do Estado do Rio de Janeiro. O principal referencial teórico segue o Modelo de Aprendizagem Contextual, levando em conta as especificidades da aprendizagem em museus. Os principais objetivos do trabalho são (i) estimular a curiosidade e o interesse dos alunos com relação às ciências em geral e, particularmente, à química contida nas peças em exposição; (ii) suprir, ao menos em parte, as carências dos estabelecimentos de ensino tais como falta de laboratórios e de recursos audiovisuais, reconhecidamente motivadores no processo ensino-aprendizagem; (iii) viabilizar o acesso ao patrimônio, à cultura e à educação em espaços não formais a uma parcela da população oriunda de regiões reconhecidamente carentes de tais espaços e (iv) estabelecer o Museu da Geodiversidade como um espaço não formal de educação. Questionários foram aplicados antes, durante e depois das visitas e serviram como instrumento de avaliação do procedimento adotado. Os resultados obtidos permitiram concluir que a dinâmica e o procedimento adotados nas visitas foram capazes de despertar a motivação e promover o interesse pela química e pela ciência em geral.


Palavras-chave


educação não formal; educação em museus; ensino de Química

Texto completo:

PDF


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Revista Investigações em Ensino de Ciências (IENCI) - ISSN: 1518-8795 

Creative Commons License