FUNÇÃO ESTÉTICA DOS SIGNOS ARTÍSTICOS PARA PROMOVER PROCESSOS DISCURSIVOS EM SALA DE AULA: uma aplicação durante o ensino do conceito de energia mecânica

Carlos Eduardo Laburú, Roberto Nardi, Andreia de Freitas Zômpero

Resumo


O trabalho investigou o uso de uma obra artística como recurso mediador para provocar e sustentar a participação discursiva de estudantes do ensino médio em sala de aula. Dado que a dimensão discursiva é elemento fundamental para um ensino de orientação construtivista, a ideia geral que orienta o trabalho procura fazer uso da função estética dos signos para potencializar a participação discursivade aprendizes. Com esseobjetivo em mente, o signo artístico notabilizado pelo quadro Queda d’Água do artista Maurits Cornelis Escher é empregado durante o ensino do conceito de física da conservação da energia mecânica. O estudo confronta duas metodologias de um professor que tenta promover a interatividade discursiva dos seus estudantes. Uma metodologia é norteada apenas por formulação de perguntas e outra emprega também um signo artístico junto com as perguntas. O trabalho mostra que o professor consegue efetivar com maior êxito a participação discursiva dos seus alunos quando aproveita o recurso didático do signo artístico em sala de aula do que quando emprega somente questionamentos.


Palavras-chave


semiótica; discurso; física; ensino; função estética

Texto completo:

PDF


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Revista Investigações em Ensino de Ciências (IENCI) - ISSN: 1518-8795 

Creative Commons License