ANÁLISE DA INSERÇÃO DAS QUESTÕES AMBIENTAIS EM DOIS CURSOS DE LICENCIATURA EM QUÍMICA DE UMA UNIVERSIDADE PÚBLICA

Thiago do Nascimento Silva, Carmen Roselaine de Oliveira Farias

Resumo


Este trabalho investiga a inserção de questões ambientais em dois cursos de Licenciatura em Química de uma universidade pública. Partimos do pressuposto que discutir as questões ambientais no contexto acadêmico, em específico no âmbito da Licenciatura em Química, faz-se necessário principalmente nos dias atuais, em que a sociedade passa pelo que podemos chamar de "crise ambiental". Tivemos como principal objetivo identificar como a formação do professor de Química nesses dois cursos tem contemplado temáticas ambientais e atendido às orientações de documentos curriculares que fazem referência a esta questão. Para estruturar nossa análise e discussão, tomamos como referencial teórico o ciclo de produção de políticas curriculares elaborado por Ball e Bowe (1992), situando esta pesquisa nos três principais contextos por eles apresentados (contexto de influência, contexto de produção do texto e contexto da prática). Para a construção dos resultados levamos em conta os textos das políticas e diretrizes curriculares nacionais que orientam a formação de professores/professores de Química e os projetos pedagógicos de cada curso, bem como as entrevistas realizadas com coordenadores e professores desses cursos, buscando compreender a inclusão de discussões e questionamentos que levem a uma formação ambientalmente orientada.


Palavras-chave


Questões Ambientais; Ensino de Química; Currículo; Formação de Professores

Texto completo:

PDF

Referências


Ball, S. J. (1994). Some reflections on policy theory: a brief response to Hatcher and Troyna. Journal of Education Policy, 9(2), 171-182. DOI:10.1080/0268093940090205

Ball, S. J., & Bowe, R. (1992). Subject departments and the “implementation” of National Curriculum policy: an overview of the issues. Journal of Curriculum Studies, 24(2), 97-115. DOI:10.1080/0022027920240201

Ball, S. J. (2011). Interview with professor Stephen Ball. Recuperado de http://www.educationarena.com/expertinterviews/interviewcategory2/tedp.asp

Ball, S. J. (2003).The teacher's soul and the terrors of performativity. Journal of Education Policy,18(2), 215-228. DOI:10.1080/0268093022000043065

Barba, C. H. (2011). "Ambientalização Curricular" no Ensino Superior: O caso da Universidade Federal de Rondônia - Campus de Porto Velho. (Tese de Doutorado, Universidade Estadual Paulista), São Paulo. Recuperado de https://repositorio.unesp.br/handle/11449/101539

Brasil (1999). Lei 9795/99, Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. Recuperado de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9795.htm

Brasil (1997). Parâmetros Curriculares Nacionais - Apresentação dos Temas Transversais. Ministério da Educação e do Desporto. Brasília, Brasil.

Brasil (2001). PARECER CNE/CES 1.303/2001 - HOMOLOGADO. Estabelece as Diretrizes Curriculares Nacionais para os Cursos de Química. Recuperado de http://portal.mec.gov.br/sesu/arquivos/pdf/130301Quimica.pdf

Brasil (2002). RESOLUÇÃO CNE/CES 8, DE 11 DE MARÇO DE 2002. Estabelece as Diretrizes Curriculares para os cursos de Bacharelado e Licenciatura em Química. Recuperado de http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CES08-2002.pdf

Candau, V. M. (2013). Currículo, Didática e Formação de Professores: Uma teia de ideias-força e perspectivas de futuro. In Pacheco, J. A., Oliveira, M. R. N. S. (Eds.). Currículo Didática e Formação de Professores (pp. 7-20) (1a ed.). Papirus: Campinas.

Chassot, A. I. A. (1990). Educação no Ensino da Química. Unijuí: Ijuí.

Chrispino, A. (2008). Ciência, Tecnologia e Sociedade. Módulo 3 da Especialização Educação Tecnológica. Universidade Aberta do Brasil /CEFET. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Dias, G. F. (2010). Educação Ambiental: Pricípios e práticas. (9a ed.). Gaia: São Paulo.

Drews, F. (2011). Abordagem de Temáticas Ambientais no Ensino de Química: Um olhar sobre textos destinados ao professor da escola básica. (Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Santa Catarina), Florianópolis. Recuperado de https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/95919

Farias, C. R. O. (2008). A Produção da Política Curricular Nacional para a Educação Superior Diante do Acontecimento Ambiental: Problematizações e desafios. (Tese de Doutorado, Universidade Federal de São Carlos), São Carlos. Recuperado de http://livros01.livrosgratis.com.br/cp096311.pdf

Farias, C. R. O., Silva, R. P., Santana, R. E., Melo, C. M. F., Vilela, B. T. S., & Do Ó, C. M. (2014). Análise dos processos de ambientalização da formação acadêmica na Universidade Federal Rural de Pernambuco In Ruscheinsky, A., Guerra, A. F. S., Figueiredo, M. L., Leme, P. C. S., Ranieri, V. E. L., & Delitti, W. B. C. (Eds.). Ambientalização nas instituições de educação superior no Brasil: caminhos trilhados, desafios e possibilidades (pp. 185-205). EESC/USP. São Carlos.

Ferrari, A. H. (2014). De Estocolmo, 1972 a Rio+20, 2012: o discurso ambiental e as orientações para a educação ambiental nas recomendações. (Tese de Doutorado, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”), Araraquara. Recuperado de https://repositorio.unesp.br/handle/11449/116060

Ferraro Jr, L. A. (2014). Incorporação da questão ambiental na universidade vista a partir de dentro da gestão ambiental do estado. In Ruscheinsky, A., Guerra, A. F. S., Figueiredo, M. L., Leme, P. C. S., Ranieri, V. E. L., & Delitti, W. B. C. Ambientalização nas instituições de educação superior no Brasil: caminhos trilhados, desafios e possibilidades (pp.262-282). EESC/USP: São Carlos.

Freitas, D., & Oliveira, H. T. (2004). Uma reflexão sobre o valor do trabalho desenvolvido pela Rede Aces no período de sua implementação (2002-2004). In Geli, A. M., Junyent, M., Sánchez, S. (Ed.). Ambientalización Curricular de los Estudios Superiores 4 (pp.305-319). Diversitas: Girona.

Gauche, R., Silva, R. R., Baptista, J. A., Santos, W. L. P., Mól, G. S., & Machado, P. F. L. (2008). Formação de Professores de Química: Concepções e Proposições. Química Nova na Escola, 27(1). Recuperado de http://qnesc.sbq.org.br/online/qnesc27/05-ibero-4.pdf

Guerra, A. F. S., & Figueiredo, M. L. (2014). Caminhos e Desafios para a Ambientalização Curricular nas Universidades: Panorama, Reflexões e Caminhos da Tessitura do Programa UNIVALI Sustentável. In Ruscheinsky, A., Guerra, A. F. S., Figueiredo, M. L., Leme, P. C. S., Ranieri, V. E. L., & Delitti, W. B. C. (Eds.). Ambientalização nas instituições de educação superior no Brasil: caminhos trilhados, desafios e possibilidades (pp.145-164). EESC/USP: São Carlos.

Lago, A. A. C. (2006). Estocolmo, Rio, Joanesburgo - O Brasil e as três conferências ambientais das Nações Unidas. Fundação Alexandre de Gusmão (Funag). Ministério das Relações Exteriores. Brasília, Brasil.

Leal, A. L. (2002). A Articulação do Conhecimento Químico com a Problemática Ambiental na Formação Inicial de Professores. (Dissertação de Mestrado. Universidade Federal de Santa Catarina), Florianópolis. Recuperado de https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/83513

Lopes, A. C., & Macedo, E. (2011). Teorias de Currículo. Cortez. São Paulo.

Macedo, R. S. (2013). Atos de Currículos: Uma incessante atividade etnometódica e fonte de análise de práticas curriculares. Currículo sem Fronteiras, 13(3), 427-435. Recuperado de http://www.curriculosemfronteiras.org/vol13iss3articles/macedo.pdf

Moraes. R. (2003). Uma Tempestade de Luz: A Compreensão Possibilitada pela Análise Textual Discursiva. Ciência & Educação, 9(2), 191-211. DOI:10.1590/S1516-73132003000200004

Moraes. R., & Galiazzi, M. C. (2006). Análise Textual Discursiva: Processo Reconstrutivo De Múltiplas Faces. Ciência & Educação, 12(1), 117-128. DOI:10.1590/S1516-73132006000100009

Moreira, A. F. B. (2001). O Campo do Currículo no Brasil: os anos 90. Currículo sem Fronteiras, 1(1), 35-49. Recuperado de http://moodle3.mec.gov.br/ufrgs/file.php/1/gestores/direito/pdf/moreira.pdf

Nascimento, E. P. (2012). Trajetória da Sustentabilidade: do ambiental ao social, do social ao econômico. Estudos Avançados, 26(74). DOI:10.1590/S0103-40142012000100005

Pacheco, J. A. (2011). Currículo e didática: Que inter-relação? I Encontro Internacional de Educação, Currículo e Didáticas: Tendências, Contextos e Dinâmicas. Universidade dos Açores: Açores.

Peña, A. Q. (2006). Metodología de Investigación Científica Cualitativa. In Quintana, A., Montgomery, W. (Eds.). Psicología de Actualidade. UNMSM: Lima.

Reigota, M. (2007). O estado da arte da pesquisa em educação ambiental no Brasil. Pesquisa em Educação Ambiental, 2(1). Recuperado de www.revistas.usp.br/pea/article/view/30017

Ressetti, R. R. (2013). O Ensino de Química através de Temas Geradores Ambientais. Recuperado de http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/pde/arquivos/70-4.pdf

Rodrigues, C., & Freitas, D. (2014). A educação física diante do acontecimento ambiental: perspectivas no âmbito da pesquisa acadêmica e do ensino superior. Currículo sem Fronteiras, 14(2), 75-96. Recuperado de http://www.curriculosemfronteiras.org/vol14iss2articles/rodrigues-freitas.pdf

Rupea - Rede Universitária De Programas De Educação Ambiental. (2005). Mapeamento da educação ambiental em instituições Brasileiras de educação superior: Elementos para discussão sobre políticas públicas. Recuperado de http://portal.mec.gov.br/secad/arquivos/pdf/educacaoambiental/rel_rupea.pdf

Santos, W. L. P., Machado, P. F. L., Matsunaga, R. T., Silva, E. L., Vasconcellos, E. S., & Santana, V. R. (2010). Práticas de Educação Ambiental em Aulas de Química em uma Visão Socioambiental: Perspectivas e Desafios. Revista Eureka sobre Enseñanza y Divulgación de las Ciencias, 7(1), 260-270. Recuperado de http://www.redalyc.org/pdf/920/92013009009.pdf

Santos, W. L. P., & Schnetzler, R. P. (2003). Educação em Química: compromisso com a cidadania. Unijuí: Ijuí.

Saviani, D. (2009). Formação de professores: aspectos históricos e teóricos do proble¬ma no contexto brasileiro. Revista Brasileira de Educação, 14(40). Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/rbedu/v14n40/v14n40a12.pdf

Sorrentino, M., & Nascimento, E. P. (2010). Universidade e Políticas Públicas. Educação em Foco, 14(2), 15-38. Recuperado de http://www.ufjf.br/revistaedufoco/files/2011/10/Artigo-01-14.2.pdf

Teixeira, C., & Torales, M. A. (2014). A questão Ambiental e a Formação de Professores para a Educação Básica: Um olhar sobre as Licenciaturas. Educar em Revista, 3, 127-144. DOI:10.1590/0104-4060.38111

Tbilisi, CEI. (1977). Algumas Recomendações da Conferência Intergovernamental sobre Educação Ambiental aos Países Membros. Recuperado de http://www.meioambiente.pr.gov.br/arquivos/File/coea/Tbilisi.pdf

Tilbury, D. (2011). Educación superior para o desarrollo sostenible: Perspectivas globales. In Visões e experiências iberoamericanas de sustentabilidade nas universidades. In 3º seminário internacional de Sustentabilidade na universidade. UAM Ediciones, 13-18, São Carlos. Recuperado de http://www.projetosustentabilidade.sc.usp.br/index.php/Seminario-Internacional-de-Sostenibilidad-en-la-Universidad/Apresentacoes-dos-Palestrantes-dias-17-e-18/17-nov-Palestras

Tristão, M. (2004). Saberes e fazeres da Educação Ambiental no cotidiano escolar. Revista Brasileira de Educação Ambiental, número zero, 47-55. Recuperado de http://assets.wwf.org.br/downloads/revbea_n_zero.pdf

Zuin, V. G. (2010). A Inserção da Dimensão Ambiental na Formação Inicial de Professoras/es de Química: Um estudo de caso. (Tese de Doutorado, Universidade de São Paulo), São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-11082011-144204/en.php

Zuin, V. G., & Freitas, D. (2007). Considerações sobre a ambientalização curricular do ensino superior: o curso de licenciatura em Química. In Atas do 30º Reunião Anual da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação, Caxambu, MG, Brasil. Recuperado de http://www.anped.org.br/sites/default/files/gt22-2994-int.pdf




DOI: http://dx.doi.org/10.22600/1518-8795.ienci2017v22n3p80

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Revista Investigações em Ensino de Ciências (IENCI) - ISSN: 1518-8795 

Creative Commons License