A APRENDIZAGEM NUM MUSEU DE CIÊNCIA E O PAPEL DO MONITOR

Tassiana Fernanda Genzini de Carvalho, Jesuína Lopes de Almeida Pacca

Resumo


A importância atribuída aos museus de ciências com respeito ao papel educativo que eles podem desempenhar tem ganhado vulto nas últimas décadas. Entre a intenção dos idealizadores de uma exposição e a percepção e possíveis leituras dos visitantes para o que encontram, há uma distância a considerar. Neste trabalho é pesquisada a participação dos monitores que operam na Estação Ciência da USP, acompanhando grupos de estudantes. O processo que se desenvolve na interação com os visitantes tem a intenção de comunicar o conhecimento científico envolvido no objeto em exposição e a situação é permeada por interações sociais que, numa visão vigotskiana sobre a aprendizagem, devem favorecer a construção dos conceitos científicos. O foco, no entanto, está em perceber características dos discursos dos monitores tendo em vista a comunicação científica; os resultados mostram que essa comunicação fica aquém das intenções, mostrando um discurso com ideias inconsistentes, simplistas, pobres em analogias, sem rigor científico.


Palavras-chave


Museus de ciência; Monitor num museu; Comunicação da ciência

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.22600/1518-8795.ienci2016v20n1p167

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Revista Investigações em Ensino de Ciências (IENCI) - ISSN: 1518-8795 

Creative Commons License