RESTRIÇÃO E EXTENSÃO DO CONHECIMENTO NAS DISCIPLINAS CIENTÍFICAS DO ENSINO MÉDIO: NUANCES DE UMA “EPISTEMOLOGIA DE FRONTEIRAS”

Élcioda Oliveira Silva

Resumo


O ensino das disciplinas científicas tem se revelado, desde há muito tempo, como uma prática pedagógica fragmentária, fundamentada em pressupostos de segmentação entre os diversos campos das Ciências Naturais e Exatas, os quais são transpostos para os currículos escolares, consolidando-se desde o Primeiro Grau de ensino. Os nexos explicativos a respeito das múltiplas formas pelas quais tal fragmentação se perpetua no processo pedagógico tem sido pouco explorados pela pesquisa na área. O artigo traz, como contribuição à elucidação desses processos, a investigação do pensamento docente em relação à problemática (particularmente no nível médio de ensino), bem como dos aspectos mais sutis que delineam e dão suporte às formas de fragmentação e isolamento das disciplinas científicas no currículo escolar, fenômeno que pode ser caracterizado como uma autêntica “epistemologia de fronteiras”.

Palavras-chave


currículo; disciplinas científicas; interdisciplinaridade; fronteiras disciplinares; mobilidade curricular

Texto completo:

PDF


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Revista Investigações em Ensino de Ciências (IENCI) - ISSN: 1518-8795 

Creative Commons License