A PERTURBAÇÃO DO CONTRATO DIDÁTICO E O GERENCIAMENTO DOS PARADOXOS

Elio Ricardo, Ione Slongo, Maurício Pietrocola

Resumo


O Contrato Didático proposto por BROUSSEAU (1986) descreve as relações entre o professor, o saber e o aluno, e faz alusão a um paradoxo existente na relação didática: o professor deve proceder de maneira a não deixar tudo explícito ao aluno para não colocar em risco sua aprendizagem; por outro lado, se ele não faz a necessária mediação, rompe com o contrato. Em uma perspectiva em que o professor se coloca como mediador do processo de ensino, um de seus papéis é o gerenciamento de tal paradoxo. Este trabalho pretende mostrar que uma das maneiras de gerenciar tal paradoxo pode ser pela introdução de pequenas “perturbações” na estabilidade do contrato, a partir de problemas fechados com inovações inesperadas pelo aluno, tais como: número excedente de dados, supressão de dados conhecidos do aluno ou situações que solicitam a articulação de conhecimentos. A perturbação de problemas tradicionais demandará uma reflexão qualitativa e investimento criativo, de professor e aluno, evitando automatismos e mantendo-os abertos a avanços sem, contudo, romper com o Contrato Didático estabelecido.

Palavras-chave


Ensino por Mediação; Gerenciamento dos Paradoxos; Perturbação do Contrato Didático

Texto completo:

PDF


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Revista Investigações em Ensino de Ciências (IENCI) - ISSN: 1518-8795 

Creative Commons License