TOMADA DE CONSCIÊNCIA DE CONFLITOS: ANÁLISE DA ATIVIDADE DISCURSIVA EM UMA AULA DE CIÊNCIAS

Orlando G. G. Aguiar Jr., Eduardo F. Mortimer

Resumo


Nesse artigo iremos examinar como o conflito entre a visão de senso comum e a visão da ciência é percebido e trabalhado pelos estudantes com a mediação do professor. Para isso, analisamos um episódio de ensino, parte das gravações realizadas no desenvolvimento de uma seqüência de ensino de calor e temperatura para estudantes de 8ª série (14-15 anos). Utilizamos a estrutura de análise do discurso da sala de aula proposta por Mortimer e Scott (2002, 2003) para tornar visíveis os movimentos discursivos que conduzem à tomada de consciência, por parte dos estudantes, da contradição existente entre dois modelos utilizados por eles em diferentes circunstâncias: o modelo cinético de partículas e o modelo de trocas de calor e de frio. Focamos nossa análise nas intervenções do professor e como elas conduzem os estudantes a um exame de suas proposições e a um lento e laborioso processo de construção de significados. Identificamos importantes mudanças nas intenções e nas intervenções do professor à medida que os estudantes vão desenvolvendo suas idéias. Tais mudanças estão associadas a alternâncias na abordagem comunicativa adotada, a princípio dialógica e predominantemente de autoridade ao final do episódio. Assim como Mortimer e Machado (2000), nossos dados indicam que a tomada de consciência e participação dos estudantes na resolução de conflitos depende não apenas da escolha de estratégias de ensino adequadas, mas sobretudo do discurso construído em torno das atividades.

Palavras-chave


dinâmica discursiva; conflito; linguagem e cognição; ensino aprendizagem em ciências; sócio-construtivismo

Texto completo:

PDF


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Revista Investigações em Ensino de Ciências (IENCI) - ISSN: 1518-8795 

Creative Commons License