MODELOS DIDÁTICOS NO DISCURSO DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS

Gislene Margaret Avelar Guimarães, Agustina Rosa Echeverría, Itamar José Moraes

Resumo


Este trabalho apresenta os resultados de um estudo realizado junto aos professores de Ciências da rede pública municipal de Goiânia, GO. Foram analisados 56 questionários, contendo questões fechadas e abertas, respondidos por 43% dos professores de ciências da RME, em 2000. Nessa análise, buscou-se identificar os modelos didáticos subjacentes às suas idéias sobre ensino / aprendizagem, na perspectiva de delinear o perfil do ensino de Ciências na rede municipal, que desde 1998 passa por um processo de reestruturação curricular do ensino fundamental, com a implantação dos ciclos de formação. Os resultados indicam que os professores vivem um momento de transição de suas concepções, provavelmente, decorrente da vivência do processo de reestruturação curricular, configurando um modelo didático eclético, com matizes dos diversos modelos identificados na literatura: tradicional, tecnológico, espontaneísta-ativista e de investigação na escola; porém, mais próximo do modelo espontaneísta. A inclusão de pressupostos de outros modelos didáticos pode indicar, ainda, um momento de evolução no desenvolvimento profissional dos professores de Ciências, podendo constituir-se em espaço significativo de reflexão sobre a finalidade da educação e sobre as práticas cotidianas de sala de aula.

Palavras-chave


modelos didáticos; ensino de ciências; formação de professores

Texto completo:

PDF


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Revista Investigações em Ensino de Ciências (IENCI) - ISSN: 1518-8795 

Creative Commons License