A NÃO TRANSPARÊNCIA DE IMAGENS NO ENSINO E NA APRENDIZAGEM DE QUÍMICA: AS ESPECIFICIDADES NOS MODOS DE VER, PENSAR E AGIR

Fábio André Sangiogo, Carlos Alberto Marques

Resumo


O texto objetiva discutir a não transparência de imagens a partir de uma pesquisa conduzida em aulas de Química desenvolvidas e analisadas por um professor/pesquisador. Com base na perspectiva histórico-cultural, as discussões reportam para a especificidade nos modos de ver, pensar e agir de diferentes sujeitos para os processos de mediação didática que remetem, por exemplo, à importância de trabalhar a leitura de imagens, de valorizar a historicidade dos processos de constituição social dos sujeitos e os significados produzidos sobre imagens, com o intuito de propiciar interações que potencializem os processos inter e intrapsíquicos que permeiam as aulas de Ciências/Química.

 


Palavras-chave


O texto objetiva discutir a não transparência de imagens a partir de uma pesquisa conduzida em aulas de Química desenvolvidas e analisadas por um professor/pesquisador. Com base na perspectiva histórico-cultural, as discussões reportam para a especificida

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.22600/1518-8795.ienci2016v20n2p57

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Revista Investigações em Ensino de Ciências (IENCI) - ISSN: 1518-8795 

Creative Commons License