A AÇÃO MEDIADA NO PROCESSO DE FORMAÇÃO DOS CONCEITOS CIENTÍFICOS DE FOTOSSÍNTESE E RESPIRAÇÃO CELULAR EM AULAS DE BIOLOGIA

Patricia Silveira da Silva Trazzi, Ivone Martins de Oliveira

Resumo


Esta pesquisa tem como objetivo analisar a mediação pedagógica realizada por uma professora de Biologia com alunos da 1ª série do Ensino Médio durante o desenvolvimento dos conceitos científicos de fotossíntese e respiração celular em uma escola estadual de Vitória/ES. A pesquisa, de cunho qualitativo e colaborativo, utilizou, como instrumentos de produção dos dados, observações do trabalho desenvolvido na sala de aula e nas atividades no laboratório de Ciências, com registro em diário de campo e filmagens das aulas. As análises se apoiaram na matriz histórico-cultural. Na análise da ação mediada realizada, foi possível apontar que o processo de formação/elaboração dos conceitos científicos de fotossíntese e de respiração celular, nessa sala de aula de Biologia, seguiu uma ação mediada intencional e organizada que considerou os agentes em interação (professora e alunos) e o uso de ferramentas culturais ou mediacionais que propiciaram o desenvolvimento desses conceitos dentro de um sistema, ou seja, dentro de uma rede de outros conceitos que estão associados a eles, abrangendo graus diferentes de generalidade.

Palavras-chave


Mediação; Fotossíntese; Formação de conceitos

Texto completo:

PDF

Referências


Barbier, R. (2002). A pesquisa-ação. Brasília, DF: Plano.

Barker, M. (1995). A plant is an animal standing on its head. Journal of Biological Education, 29 (3), 201-208.

Barker, M., & Carr, M. (1989). Teaching and learning about photosynthesis. Part 1: An assessment in terms of students’ prior knowledge. International Journal of Science Education, 11(1), 49-56.

Borges, A. T. (2002). Novos rumos para o laboratório escolar de ciências. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, 19(3), 291-313.

Cañal, P. (1999). Photosynthesis and ‘inverse respiration’ in plants: an inevitable misconception? International Journal of Science Education, 21(4), 363-371.

Carlsson, B. (2002). Ecological understanding 1: ways of experiencing photosynthesis. International Journal of Science Education, 24(7), 681-699.

Eisen, Y., & Stavy, R. (1993). How to make the learning of photosynthesis more relevant. International Journal of Science Education, 15(2), 117-125.

Franco, M. A. R. S. (2012). Pedagogia e prática docente. São Paulo, SP: Cortez.

Franco, M. A. S. (2008). Pesquisa-ação e prática docente: articulações possíveis. In Pimenta, S. G. & Franco, M. A. S. (Orgs). Pesquisa em Educação: possibilidades investigativas/formativas da pesquisa-ação. (103-138). São Paulo, SP: Edições Loyola.

Lima, M. E. C. C., Aguiar Junior, O., & Caro, C. M. (2011). A formação de conceitos científicos: reflexões a partir da produção de livros didáticos. Ciência & Educação, 17(4), 855-871. doi: 10.1590/S1516-73132011000400006

Marandino, M., Selles, S. E., & Ferreira, M. S. (2009). Ensino de Biologia: histórias e práticas em diferentes espaços educativos. São Paulo, SP: Cortez.

Marmaroti, P., & Galanopoulou, D. (2006). Pupils’ understanding of photosynthesis: a questionnaire for the simultaneous assessment of all aspects. International Journal of Science Education, 28(4), 383-403.

Medeiros, S. C. S., Costa, M. F. B., & Lemos, E. S. (2009). O ensino e a aprendizagem dos temas fotossíntese e respiração: práticas pedagógicas baseadas na aprendizagem significativa. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, 8(3), 923-935. Recuperado de http://reec.uvigo.es/volumenes/volumen8/ART9_Vol8_N3.pdf

Mortimer, E. F., & Scott, P. (2003). Meaning making in secondary science classrooms. Maidenhead, Philadelphia: Open University Press.

Ogborn, J., et al. (1996). Explaining science in the classroom. Buckingham, Philadelphia: Open University Press.

Ozay, E., & Oztas, H. (2003). Secondary students’ interpretations of photosynthesis and plant nutrition. Journal of Biological Education, 37(2), 68-70.

Sarmento, A. C. H. et al. (2013). Investigando princípios de design de uma sequência didática sobre metabolismo energético. Ciência & Educação, 19(3) 573-598. doi: 10.1590/S1516-73132013000300006.

Sessa, P. S., & Trivelato, S. L. F. (2011). A ação mediada no ensino de biologia e argumentação: tensões permanentes. In Atas do VIII Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências. Campinas, SP, Brasil. Recuperado de http://www.nutes.ufrj.br/abrapec/viiienpec/resumos/R0231-2.pdf

Seymour, J., & Longden, B. (1991). Respiration: that's breathing isn't it? Journal of Biological Education, 25(3) 177-183.

Souza, S. C., & Almeida, M. J. P. M. (2002). A fotossíntese no ensino fundamental: compreendendo as interpretações dos alunos. Ciência & Educação, 8(1), 97-111. doi: 10.1590/S1516-73132002000100008

Stavy, R., Eisen, Y., & Yaakobi, D. (1987). How students aged 13-15 understand photosynthesis. International Journal of Science Education, 9(1), 105-115.

Vianna, H. M. (2003). Pesquisa em educação: a observação. Brasília, DF: Plano.

Vigotski, L. S. (2009). A construção do pensamento e da linguagem. São Paulo, SP: Martins Fontes.

Waheed, T., & Lucas, A. M. (1992). Understanding interrelated topics: photosynthesis at age 14, Journal of Biological Education, 26(3), 193-199.

Wertsch, J. V. (1999). La mente en acción. Buenos Aires, AR: Aique.

Ypi, D. Y. (1998). Identification of misconceptions in novice biology teachers and remedial strategies for improving biology learning. International Journal of Science Education, 20(4), 461-477.

Zompero, A. F., & Laburú, C. E. (2012). Implementação de atividades investigativas na disciplina de ciências em escola pública: uma experiência didática. Investigações em Ensino de Ciências, 17(3), 675-684. Recuperado de https://www.if.ufrgs.br/cref/ojs/index.php/ienci/article/view/181/121

Zompero, A. F., & Laburú, C. E.(2011). Significados de fotossíntese apropriados por alunos do ensino fundamental a partir de uma atividade investigativa mediada por multimodos de representação. Investigações em Ensino de Ciências, 16(2), 179-199. Recuperado de https://www.if.ufrgs.br/cref/ojs/index.php/ienci/article/view/226




DOI: http://dx.doi.org/10.22600/1518-8795.ienci2016v21n2p121

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Revista Investigações em Ensino de Ciências (IENCI) - ISSN: 1518-8795 

Creative Commons License