TESES E DISSERTAÇÕES EM ENSINO DE BIOLOGIA: UMA ANÁLISE HISTÓRICO-EPISTEMOLÓGICA

Iône Inês Pinsson Slongo, Demétrio Delizoicov

Resumo


Analisa-se a produção acadêmica em Ensino de Biologia desenvolvida em programas de pós-graduação no Brasil, no período entre 1972 a 2000. Foram consideradas de modo particular 77 pesquisas, de um universo de 130 documentos localizados, com as quais foi realizado um estudo histórico-epistemológico. Foram levadas em conta pesquisas que investigaram teses e dissertações nas áreas da Educação, Educação Matemática e Ensino de Ciências, as quais forneceram subsídios para a construção do referencial analítico utilizado no estudo da produção acadêmica em Ensino de Biologia. Pressupostos epistemológicos de Fleck, mais especificamente as categorias estilo de pensamento, coletivo de pensamento, circulação intracoletiva e intercoletiva de pensamento, orientaram o estudo. A explicitação do conteúdo das teses e dissertações, sobretudo dos problemas investigados, referenciais teóricos de apoio e procedimentos metodológicos adotados, permitiu apresentar e argumentar que ao longo do período investigado diferentes perspectivas, principalmente de ordem epistemológica e educacional, balizaram a produção acadêmica em Ensino de Biologia. Transformações ocorridas em vários pressupostos que fundamentaram as investigações realizadas ao longo das três décadas consideradas foram identificadas e caracterizadas. Evidencia-se que a área transitou de uma pesquisa centrada em problemas que tratavam exclusivamente das atividades docentes e enfrentadas a partir de uma perspectiva empirista-positivista para uma pesquisa cujos problemas levaram em conta as atividades tanto docentes quanto discentes, contudo, analisadas a partir de pressupostos epistemológicos não-empiristas, dos quais emerge uma concepção de sujeito – cientistas, professores, alunos e pesquisadores em Ensino de Biologia –, cuja característica mais marcante é a de ser ativo e, sobretudo, não-neutro. Argumenta-se, com base nas premissas fleckianas, que os grupos de pesquisadores em Ensino de Biologia podem ser compreendidos como coletivos de pensamento que compartilham premissas epistemológicas, educacionais e metodológicas, as quais foram sendo transformadas na medida em que a área de Ensino de Biologia foi se constituindo. Enfim, foi possível concluir que o amadurecimento deste campo de pesquisa acenou para a emergência de dois estilos de pensamento. É possível que alguma alteração neste quadro esteja ocorrendo em virtude dos novos desafios postos os quais, ainda não se manifestavam entre os problemas investigados pelas teses e dissertações analisadas neste estudo.

Palavras-chave


características da pesquisa; teses e dissertações em Ensino de Biologia; análise histórico-epistemológica; Fleck

Texto completo:

PDF


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Revista Investigações em Ensino de Ciências (IENCI) - ISSN: 1518-8795 

Creative Commons License