ARGUMENTAÇÃO DIALOGAL NO ENSINO DE FÍSICA E A CULTURA ESCOLAR: UMA ANÁLISE A PARTIR DAS PERSPECTIVAS DE PROFESSORES DO ENSINO MÉDIO

Amanda da Silva Coraiola, Ivanilda Higa

Resumo


O objetivo geral deste artigo é analisar as perspectivas de professores de física do ensino médio acerca do desenvolvimento da atividade argumentativa na escola, à luz do conceito de cultura escolar. Realizou-se entrevistas compreensivas com professores de Física e foram estudados os níveis de ações argumentativas (Leitão, 2011) e etapas da discussão crítica (Eemeren et al, 2001) presentes nas perspectivas dos professores em relação com a cultura escolar. Destacaram-se os seguintes resultados: ênfase sobre ações de nível pragmático e maior recorrência da busca pelo desenvolvimento da fase de confronto da discussão crítica nas aulas em virtude da existência de uma lógica de interação própria no interior da cultura escolar; ênfase dos professores sobre a necessidade de inversão de lógicas de interação no desenvolvimento das atividades e influência da cultura de ensinar e aprender física na escola sobre as formas de participação dos sujeitos.


Palavras-chave


argumentação; ensino de física; cultura escolar; realidade escolar

Texto completo:

PDF

Referências


Barrelo-Junior, N. (2015). Promovendo a argumentação em sala de aula de Física moderna e contemporânea – uma sequência de ensino investigativa e as interações professor-alunos. (Tese de doutorado). Universidade de São Paulo, São Paulo, SP. https://dx.doi.org/10.11606/T.81.2015.tde-14092015-114736

Barrelo-Junior, N., & Carvalho, A. M. P. (2011). O uso do interferômetro de Mach-Zehnder para promover argumentação no discurso de alunos do Ensino Médio. In Anais do VIII Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências. Campinas, SP. Recuperado de http://abrapecnet.org.br/atas_enpec/viiienpec/resumos/R0302-1.pdf

Bellucco, A., & Carvalho, A. M. P. (2014). Uma proposta de sequência de ensino investigativa sobre quantidade de movimento, sua conservação e as leis de Newton. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, 31(1), 30-59. https://doi.org/10.5007/2175-7941.2014v31n1p30

Coraiola, A, S. (2020). Argumentação no Ensino e Aprendizagem de Física: perspectivas de professores do Ensino Médio. (Dissertação de mestrado). Universidade Federal do Paraná, Curitiba, PR. Recuperado de https://acervodigital.ufpr.br/handle/1884/66863

Coraiola, A, S., & Higa, I. (2020). Interação no contexto escolar: perspectiva de professores de física do Ensino Médio. In Anais do XVIII Encontro de Pesquisa em Ensino de Física (pp. 90-97). Recuperado de https://fisica.org.br/~epef/xviii/images/Anais_XVIII-EPEF.pdf

De Chiaro, S., & Leitão, S. (2005). O papel do professor na construção Discursiva da Argumentação em sala de aula. Psicologia: Reflexão e Crítica, 18(3), 350-357. https://doi.org/10.1590/S0102-79722005000300009

Dias, M. A., Vianna, D. M., & Carvalho, P. S. (2018). Queda de esferas: um recurso potencial para aprender a ‘falar ciências’. In Anais do XVII Encontro de Pesquisa em Ensino de Física (pp. 2-28). Campos do Jordão, SP. https://doi.org/10.1590/1983-211720182001021

Eemeren, F. H. V., Grootendorst, R., & Henkemans, A. F. S. (2001). Argumentation: Analysis, Evaluation, Presentation. Mahwah, New Jersey: Lawrence Erlbaum Associates.

Eemeren, F. H. V.; Grootendorst, R. (1999). Developments in argumentation theory. In: Andriessen, J.; Coirier, P. Foundations if argumentative text processing. Amsterdam: Amsterdam University Press.

Ferraz, A. T. (2015). Propósitos epistêmicos para a promoção da argumentação em aulas investigativas de física. (Dissertação de mestrado). Universidade de São Paulo, São Paulo, SP. https://doi.org/10.11606/D.81.2015.tde-25112015-151619

Ferraz, A. T.; & Sasseron, L. H. (2014). Propósitos epistêmicos para promoção da argumentação em aulas investigativas de Física. In Anais do XV Encontro de Pesquisa em Ensino de Física. Maresias, SP. Recuperado de https://sec.sbfisica.org.br/eventos/epef/xv/sys/resumos/T0229-1.pdf

Ferraz, A. T., & Sasseron, L. H. (2013). Dualidade Argumentativa: Os produtos da argumentação em aulas investigativas. In Anais do IX Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências (pp. 1-8). Águas de Lindóia, SP. Recuperado de http://abrapecnet.org.br/atas_enpec/ixenpec/atas/resumos/R0946-1.pdf

Ferraz, A. T., & Sasseron, L. H. (2017). Propósitos epistêmicos para a promoção da argumentação em aulas investigativas. Investigação em Ensino de Ciências, 22(1), 42-60. http://dx.doi.org/10.22600/1518-8795.ienci2017v22n1p42

Franco, L. G., & Munford, D. (2018). A análise de interações discursivas em aulas de ciências: ampliando perspectivas metodológicas na pesquisa em argumentação. Educação em Revista, 34, 2-31. https://doi.org/10.1590/0102-4698182956

Forquin, J. (1993). Escola e cultura: as bases sociais e epistemológicas do conhecimento escolar. Tradução: Guacira Lopes Louro. Porto Alegre, RS: Artes Médicas.

Galvão, I. C. M., & Monteiro, I. C. C. (2018). Interação discursiva e argumentação científica dos alunos no ensino de Física. In Anais do XVII Encontro de Pesquisa em Ensino de Física (pp.1-8). Campos do Jordão, SP. Recuperado de https://sec.sbfisica.org.br/eventos/epef/xvii/sys/resumos/T0211-1.pdf

Garcia, T. M. F. B. (2011). Pesquisa em educação: confluências entre Didática, História e Antropologia. Educar em Revista, 42, 173-191. https://doi.org/10.1590/S0104-40602011000500012

Ibraim, S. S., & Justi, R. (2018). Ações docentes favoráveis ao ensino envolvendo argumentação: estudo da prática de uma professora de química. Investigações em Ensino de Ciências, 23(2), 311-330. http://dx.doi.org/10.22600/1518-8795.ienci2018v23n2p311

Jimenez-Aleixandre, M, P., & Erduran, S. (2007). Argumentation in Science Education: an overview. In: Erduran, S.; Jiménez-Aleixandre, M, P. Argumentation in Science Education: perspectives from classroom-based research (pp.3-28). Dordrecht, The Netherlands: Springer.

Julia, D. (2001). A cultura escolar como objeto histórico. Revista brasileira de história da educação, 1, 10-43. Recuperado de https://core.ac.uk/download/pdf/37742506.pdf

Larraín, A., & Freire, P. (2012). El uso de discurso argumentativo en la enseñanza de ciencias: Un estudio exploratorio. Estudios Pedagógicos, 2, 133-155. http://dx.doi.org/10.4067/S0718-07052012000200009

Leitão, S. (2011). O lugar da Argumentação na construção do conhecimento em sala de aula. In S. Leitão, & M. C., Damianovic (Orgs.). Argumentação na escola: o conhecimento em construção (pp. 13-43). Campinas, SP: Pontes Editores.

Lopes, E. S. (2013). “E o elétron? É onda ou é partícula?” : Uma proposta para promover a ocorrência da Alfabetização Científica de Física Moderna e Contemporânea em estudantes do Ensino Médio. (Dissertação de mestrado). Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, São Paulo, SP. http://dx.doi.org/10.11606/D.81.2013.tde-03122014-153047

Mafra, L. A. A. (2003). Sociologia dos Estabelecimentos Escolares: passado e presente de um campo de pesquisa em re-construção. In N. Zago, M. P. Carvalho, & R. T. A. Vilela (Orgs.). Itinerários de pesquisa: perspectivas qualitativas em Sociologia da Educação (pp.109-136). Rio de Janeiro, RJ: DP&A.

Melo, V. F., Vieira, R. D., & Bernardo, J. R. R. (2015). A presença de discurso transacional como um indicador de argumentação de qualidade em uma atividade de júri simulado. In: Anais do X Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências, Águas de Lindóia, SP. Recuperado de http://www.abrapecnet.org.br/enpec/x-enpec/anais2015/resumos/R1071-1.PDF

Moreira, H., & Caleffe, L. G. (2006). Metodologia da pesquisa para o professor pesquisador. Rio de Janeiro, RJ: DP&A.

Munford, D., & Teles, A. P. S. S. (2015). Argumentação e a construção de oportunidades de aprendizagem em aulas de ciências. Revista Ensaio, 17, especial, 161-185. https://doi.org/10.1590/1983-2117201517s09

Penha, S. P. (2012). Atividades sociocientíficas me sala de aula de Física: as argumentações dos estudantes. Tese (Doutorado em Ensino de Ciências). Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, São Paulo. https://doi.org/10.11606/T.81.2012.tde-25022013-125318

Scarpa, D, L. (2009). Cultura escolar e cultura científica: aproximações, distanciamentos e hibridação por meio da análise de argumentos no ensino de biologia e na Biologia. (Tese de doutorado). Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, São Paulo, SP.

https://doi.org/10.11606/T.48.2009.tde-23092009-144938

Scarpa, D. L. (2015). O papel da Argumentação no ensino de Ciências: Lições de um Workshop. Revista Ensaio, 17, (n. esp.), 15-30. https://doi.org/10.1590/1983-2117201517s02

Souza, E. O. R., & Vianna, D. M. (2017). Física em Quadrinhos: Aproximar ou afastar?. In Anais do XI Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências, Florianópolis, SC. Recuperado de http://www.abrapecnet.org.br/enpec/xi-enpec/anais/resumos/R2606-1.pdf

Souza, E. O. R., & Vianna, D. M. (2015). Física em Quadrinhos: Um quadro n’o bar no Folies-Bergère. In Anais do X Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências, Águas de Lindóia, SP. Recuperado de http://www.abrapecnet.org.br/enpec/x-enpec/anais2015/resumos/R1166-1.PDF

Vieira, R. D., Melo. V. F., & Bernardo, J. R. R. (2014). Os procedimentos Discursivos Didáticos como saberes experienciais exemplares de um formador de professores de física. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, 31, 2, 289-305. https://doi.org/10.5007/2175-7941.2014v31n2p289

Vieira, R. D., & Nascimento, S. S. (2009). Uma proposta de critérios marcadores para identificação de situações argumentativas em sala de aula de ciências. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, 26, 1, 81-102. https://doi.org/10.5007/2175-7941.2009v26n1p81

Zago, N. (2003). A entrevista e seu processo de construção: reflexões com base na experiência prática de pesquisa. In N. Zago, M. P. Carvalho, M. P., & R. A. T. Vilela (Orgs.). Itinerários de pesquisa: perspectivas qualitativas em Sociologia da Educação (pp. 287-309). Rio de Janeiro, RJ: DP&A.




DOI: http://dx.doi.org/10.22600/1518-8795.ienci2021v26n2p404

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Revista Investigações em Ensino de Ciências (IENCI) - ISSN: 1518-8795 

Creative Commons License