CONTEXTUALIZAÇÃO: PARA ALÉM DAS NARRATIVAS SISTÊMICAS A FAVOR DA INTERDISCIPLINARIDADE

Maycon Batista Leite, Márlon Herbert Flora Barbosa Soares

Resumo


As narrativas a favor da interdisciplinaridade perpassam por diversas perspectivas oriundas de diferentes bases teórico-filosóficas. Há interesses dos vários setores da sociedade, em especial do setor produtivo, que demandam por projetos interdisciplinares. Na formação ou na atuação demanda-se de um trabalhador interdisciplinar, veiculado ao atual mercado capitalista. O presente artigo questiona sobre qual das perspectivas de abordagem do conhecimento científico, da interdisciplinaridade ou da contextualização, pode contribuir de forma mais efetiva com a lógica que prioriza valores humanos sobre o capital. A ideia não é a dicotomização, mas sim apontar que a contextualização é a perspectiva que circunscreve a da interdisciplinaridade quando o objetivo é formar o sujeito crítico na apreensão da realidade social. Esta perspectiva não demanda, inevitavelmente, projetos de grupos ou equipes, mas sim a apreensão das complexas relações entre o conhecimento científico e o processo de vida real do sujeito na sociedade no mundo globalizado e capitalista, seja por meio do conhecimento disciplinar ou interdisciplinar. A contextualização está mais associada à transdisciplinaridade que à interdisciplinaridade. A ação transdisciplinar não é um nível superior da interdisciplinaridade, mas um processo que transcende as visões e perspectivas disciplinares e interdisciplinares no processo de aproximação e compreensão da realidade social.

Palavras-chave


Ensino de Ciências; Contextualização; Interdisciplinaridade; transdisciplinaridade

Texto completo:

PDF

Referências


Antiseri, D. (1976). Fundamentos del trabajo interdisciplinar. La Coruña, España: Adara.

Cassiano, K. F. D. (2017). A trajetória discursiva das diretrizes internacionais e brasileiras para a educação ambiental: emergência, influências e princípios estilísticos do discurso dos organismos multilaterais. (Tese de doutorado). Programa de Pós-graduação em Química, Universidade Federal de Goiás, Goiânia, GO. Recuperado de http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/8140

Etges, N. J. (2011). Ciência, interdisciplinaridade e educação. In A. P. Jantsch, & L. Bianchetti (Orgs.). Interdisciplinaridade: para além da filosofia do sujeito. (9a ed.). Petrópolis, RJ: Vozes.

Fazenda, I. C. (2013). Interdisciplinaridade: definição, projeto, pesquisa. In I. C. Fazenda (Org.). Práticas interdisciplinares na escola. (13a ed.). São Paulo, SP: Cortez.

Freire, P. (1996). Pedagogia da Autonomia. Saberes necessário à prática educativa. São Paulo, SP: Paz e Terra.

Follari, R. (2011a). Interdisciplina e dialética: sobre um mal-entendido. In A. P. Jantsch, & L. Bianchetti (Orgs.). Interdisciplinaridade: para além da filosofia do sujeito. (9a ed.). Petrópolis, RJ: Vozes.

Follari, R. (2011b). Algumas considerações práticas sobre interdisciplinaridade. In A. P. Jantsch, & L. Bianchetti (Orgs.). Interdisciplinaridade: para além da filosofia do sujeito. (9a ed.). Petrópolis, RJ: Vozes.

Frigotto, G. A. (2011). Interdisciplinaridade como necessidade e como problema nas ciências sociais. In A. P. Jantsch, & L. Bianchetti (Orgs.). Interdisciplinaridade: para além da filosofia do sujeito. (9a ed.). Petrópolis, RJ: Vozes.

Gonçalves, C. W. P. (1989). Os (des)caminhos do meio ambiente. São Paulo, SP: Contexto.

Heller, A. (1972). O cotidiano e a história. (2a ed.). Rio de Janeiro, RJ: Paz e Terra.

Jantsch, A. P., & Bianchetti, L. (2011). Interdisciplinaridade: Para além da filosofia do sujeito. In A. P. Jantsch, & L. Bianchetti (Orgs.). Interdisciplinaridade: para além da filosofia do sujeito. (9a ed.). Petrópolis, RJ: Vozes.

Klein, J. T. (2014). Discourses of transdisciplinarity: Looking Back to the Future. Futures, 63, 68-74. http://dx.doi.org/10.1016/j.futures.2014.08.008

Leite, M. B. (2020). Abordagem contextualizada e interdisciplinar nos capítulos de equilíbrio químico e eletroquímica em livros didáticos de química aprovados pelo PNLD/2008/2012/2015/2018. (Tese de doutorado). Programa de Pós-graduação em Educação em Ciências e Matemática, Universidade Federal de Goiás, Goiânia, GO. Recuperado de http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/10807

Lenoir, Y. (2005). Três interpretações da perspectiva interdisciplinar em educação em função de três tradições culturais distintas. Revista E-Curriculum, PUCSP, São Paulo, 1(1). Recuperado de https://revistas.pucsp.br/index.php/curriculum/article/view/3109/2049

Loureiro, C. F. B. (2012). Sustentabilidade e educação: um olhar da ecologia política. São Paulo, SP: Cortez.

Marx, K., & Engels, F. (1986). A ideologia alemã. São Paulo, SP: Hucitec.

Lutfi, M. (1992). Ferrados e cromados: produção social e apropriação privada do conhecimento químico. (2a ed.). Ijuí, RS: Unijuí.

Machado, N. J. (2005). Interdisciplinaridade e contextuação. In Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM): fundamentação teórico-metodológica. Brasília, DF: Inep/MEC, 41-53. Recuperado de https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/3944781/mod_resource/content/2/interdisciplinaridade%2B-%2BTexto%2BNilson%2BJos%C3%A9%2B%281%29.pdf

Miller, R. (1982). Varieties of interdisciplinary approaches in the social sciences. Issues in Integrative Studies, 1(1), 1-37. Recuperado de http://hdl.handle.net/10323/3997

Morin, E. (2014). Ciência com consciência. Rio de Janeiro, RJ: Bertrand Brasil.

Mourão, R. R. F. (2005). Hiroshima e Nagazaki: razões para experimentar a nova arma. Scientiae Studia, São Paulo, 3(4), 683-710. https://doi.org/10.1590/S1678-31662005000400011

Mueller, R. R., Bianchetti, L., & Jantsch, A. P. (2011). Interdisciplinaridade, pesquisa e formação de trabalhadores: as interações entre o mundo do trabalho e da educação. In A. P. Jantsch, & L. Bianchetti (Orgs.). Interdisciplinaridade: para além da filosofia do sujeito. (9a ed.). Petrópolis, RJ: Vozes.

Nikitina S. (2006). Three strategies for interdisciplinary teaching: contextualizing, conceptualizing, and problem‐centring. Journal of Curriculum Studies, 38(3), 251–271. https://doi.org/10.1080/00220270500422632

Petrucci-Rosa, M. I. (2018). Currículo de Ensino Médio e conheceimento escolar: das políticas às histórias de vida. Curitiba, PR: CRV.

Piaget. J. (1973). Psigologia & Epistemologia: por uma teoria do conhecimento. Rio de Janeiro, RJ: Forence-Universitária.

Russell, A. W., Wickson, F., & Carew, A. L. (2008). Transdisciplinarity: context, contradictions and capacity. Futures, 40(5), 460-472. http://doi.org/10.1016/j.futures.2007.10.005

Santomé, J. T. (1998). Globalização e interdisciplinaridade: o currículo integrado. Porto Alegre, RS. Artmed.

Severino, A. J. (2011). O uno e o múltiplo: o sentido antropológico do interdisciplinar. In A. P. Jantsch, & L. Bianchetti (Orgs.). Interdisciplinaridade: para além da filosofia do sujeito. (9a ed.). Petrópolis, RJ: Vozes.

Young, M. (2007). Para que servem as escolas? Educação & Sociedade, Campinas, 28(101), 1287-1302. http://dx.doi.org/10.1590/S0101-73302007000400002

Young, M. (2013). Superando a crise na teoria do currículo: uma abordagem baseada no conhecimento. Artigo publicado originalmente na revista J. Curriculum Studies, 45(2), 101-118. http://dx.doi.org/10.18676/cadernoscenpec.v3i2.238

Wartha E. J., Silva E. L., & Bejarano N. R. R. (2013). Cotidiano e contextualização no ensino de química. Química nova na escola, 35(2), 84-91. Recuperado de

http://qnesc.sbq.org.br/online/qnesc35_2/04-CCD-151-12.pdf




DOI: http://dx.doi.org/10.22600/1518-8795.ienci2021v26n2p56

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Revista Investigações em Ensino de Ciências (IENCI) - ISSN: 1518-8795 

Creative Commons License