O PIBID E A FORMAÇÃO DE PROFESSORES NA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA

Renata Meira Veras, Daiane da Luz Silva, Erika Silva Chaves, Mariana Giulia Chaves Prates, Odonilton Lima Lemos, Vitória Batista Calmon de Passos

Resumo


O Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID) do Ministério da Educação tem como objetivo promover a integração entre educação básica e educação superior, inserindo os futuros profissionais no cotidiano da rede pública de educação brasileira. Desde a sua implantação, em 2007, estudos vêm defendendo a necessidade desse programa para formação dos futuros profissionais da educação, uma vez que contribui para o desenvolvimento da práxis pedagógica baseada na ação docente refletida. Sendo os estudantes dos cursos de licenciatura os principais agentes desse programa, esse estudo tem como questão de pesquisa: De que maneira os estudantes avaliam o PIBID? Assim, objetiva analisar a percepção dos estudantes dos cursos de licenciatura da Universidade Federal da Bahia acerca das contribuições do PIBID para formação docente. É um estudo de caso, de abordagem qualitativa, que utilizou como recurso de pesquisa as entrevistas semiestruturadas com estudantes. Foram entrevistados 18 estudantes bolsistas, vinculados a 9 cursos de formação docente, dos turnos diurno e noturno, ofertados pela UFBA. A partir da análise de conteúdo, foi possível identificar que os estudantes expressaram a relevância do PIBID enquanto política pública necessária para a formação dos futuros docentes. Por outro lado, reconheceram que apesar de ser inovação pedagógica com impactos significativos na formação docente e para a valorização profissional, o contingenciamento de recursos, por parte do governo federal, impõe desafios para o desenvolvimento do programa.

Palavras-chave


Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência; Práxis pedagógica; Universidade

Texto completo:

PDF

Referências


André, M. (2012). Políticas e programas de apoio aos professores iniciantes no Brasil. Cadernos de Pesquisa, 42(145), 112–129. https://doi.org/10.1590/S0100-15742012000100008

Araújo, A. C., Andriola, W., & Coelho, A. A. (2018). Programa institucional de bolsa de iniciação à docência (pibid): desempenho de bolsistas versus não bolsistas. Educação em Revista, 34, e172839. https://doi.org/10.1590/0102-4698172839

Arroyo, M. G. A (1990). A Universidade, o Trabalho e o Curso Noturno. Em: Estudos e Debates. Revista do Conselho de Reitores das Universidades Brasileiras, 17, 91-4.

Bardin, L. (1977). Análise de conteúdo (L. de A. Rego & A. Pinheiro, Trads.). Lisboa, Portugal: Edições 70.

CAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. (2010). Portaria n. 72, de 9 de abril de 2010 - Dá nova redação a Portaria que dispõe sobre o Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência - PIBID. Brasília, DF: Diário Oficial da União. Recuperado de https://www.capes.gov.br/images/stories/download/diversos/Portaria72_Pibid.pdf

CAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. (2013). Relatório de Gestão PIBID. Brasília, DF: Diário Oficial da União. Recuperado de http://www.capes.gov.br/images/stories/download/bolsas/1892014-relatorio-PIBID.pdf

Candau, V. M. (Org.). (2009) Didática: questões contemporâneas. Rio de Janeiro, RJ: Forma & Ação.

Carvalho, J. S. F. (2011). A teoria na prática é outra? Considerações sobre as relações entre teoria e prática em discursos educacionais. Revista Brasileira de Educação, 16(47), 307-322. https://doi.org/10.1590/s1413-24782011000200003.

Costa, S. S. C., & Moreira, M. A. (2006). Atualização da pesquisa em resolução de problemas: informações relevantes para o ensino de Física. In Atas do I Encontro Estadual de Ensino de Física – RS, Porto Alegre, RS. Recuperado de https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/623/000558299.pdf

Decreto n. 7.219, de 24 de junho de 2010. Dispõe sobre o Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência - PIBID e dá outras providências. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Brasília, DF: Diário Oficial da União. Recuperado de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/decreto/d7219.htm

Dias-da-Silva, B.C. (2006). O estudo linguístico-computacional da linguagem. Letras de Hoje, 41(2),103-138. Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/fale/article/view/597

Fetzner, A. R., & Souza, M. E. V. (2012). Concepções de conhecimento escolar: potencialidades do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência. Educação e Pesquisa, 38(3), 683-694. https://doi.org/10.1590/S1517-97022012005000018

Freire, P. (1997). Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo, SP: Paz e Terra.

Gatti, B. A., Nunes, M. M. R., Gimenes, N. A. S., Unbehaum, S. G., & Tartuce, G. L. B. P. (2009). Avaliação dos currículos de formação de professores para o ensino fundamental. Revista Estudos em Avaliação Educacional, 20(43), 215-234. Recuperado de https://www.fcc.org.br/pesquisa/publicacoes/eae/arquivos/1490/1490.pdf

Gatti, B. A. (2014). A formação inicial de professores para a educação básica: as licenciaturas. Revista USP. (100), 33-46. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9036.v0i100p33-46

Gatti, B. A., André, M. E. D. A., Gimenes, N. A. S., & Ferragaut, L. (2014). Um estudo avaliativo do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID). São Paulo, SP: FCC/SEP.

Gatti, B. A. (2016). Formação de Professores: Condições e Problemas atuais. Revista Internacional de Formação de Professores, 1(2), 139–150. Recuperado de https://periodicos.itp.ifsp.edu.br/index.php/RIFP/article/view/347

Gamboa, S. S. (2010). Teoria e da prática: uma relação dinâmica e contraditória. In Anais do V Colóquio de Epistemologia da Educação Física. Maceió, Alagoas, AL. Recuperado de https://periodicos.ufsc.br/index.php/motrivivencia/article/view/22595

Gaskell, G. (2002). Entrevistas individuais e grupais. In M. W. Bauer, & Gaskell, G. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático (pp. 114-126). Petrópolis, RJ: Vozes.

Gil, A. C. (2008). Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo, SP: Atlas.

Lanza, F (2010). Teoria e prática: aspectos indissociáveis. Anais do Sciencult, 1(1), 431-438. Recuperado de https://anaisonline.uems.br/index.php/sciencult/article/view/3478/3451

Libâneo, J. C., Oliveira, J. F., & Toschi, M. S. (2012). Educação Escolar: políticas, estrutura e organização (10a ed.). São Paulo, SP: Cortez.

Lei n. 9.394 de 20 de dezembro de 1996. (1996). Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Brasília, DF: Diário Oficial da União. Recuperado de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L9394.htm

Gomes, C., & Felício, H. M. S. (2012). Caminhos para a docência: O PIBID em foco. São Leopoldo, RS: Oikos.

Gomes, C., & Souza, V. L. T. (2016). O PIBID e a mediação na configuração de sentidos sobre a docência. Psicologia Escolar e Educacional, 20(1), 147-156. http://dx.doi.org/10.1590/2175-3539/2015/0201946

Locatelli, C. (2018). A Política Nacional de Formação Docente: o programa de iniciação à docência no contexto brasileiro atual. Revista Eletrônica de Educação, 12(2), 208-318. https://doi.org/10.14244/198271992432

Maranhão, J. D., & Veras, R. M. (2017). O ensino noturno na Universidade Federal da Bahia: percepções dos estudantes. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, 25(96), 553-584. http://dx.doi.org/10.1590/s0104-40362017002500854

Mateus, E. F. (2014). Um esboço crítico sobre "parceria" na formação de professores. Educação em Revista, 30(3), 355-384. https://doi.org/10.1590/S0102-46982014000300016

MEC - Ministério da Educação. (2002a). Parecer CNE/CES 28/2001, de 02 de outubro de 2001. Conselho Nacional de Educação. Brasília, DF: Diário Oficial da União. Recuperado de http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/028.pdf

MEC - Ministério da Educação. (2002b). Resolução CNE/CP 09/2001 - Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Conselho Nacional de Educação. Brasília, DF: Diário Oficial da União. Recuperado de http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rcp01_02.pdf

MEC - Ministério da educação. (2007). Portaria Normativa n. 38 de 12 de dezembro de 2007. Dispõe sobre o Programa de Bolsa Institucional de Iniciação à Docência – PIBID. Brasília, DF: Diário Oficial da União. Recuperado de https://www.capes.gov.br/images/stories/download/legislacao/Portaria_Normativa_38_PIBID.pdf

MEC - Ministério da Educação. (2015). Parecer CNE/CP 02/2015, de 09 de junho de 2015 - Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Inicial e Continuada dos Profissionais do Magistério da Educação Básica. Conselho Nacional de Educação. Brasília, DF: Diário Oficial da União. Recuperado de http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=17625-parecer-cne-cp-2-2015-aprovado-9-junho-2015&category_slug=junho-2015-pdf&Itemid=30192

Nóvoa, A. (2017). Firmar a posição como professor, afirmar a profissão docente. Cadernos de Pesquisa, 47(166),1106-1133. https://doi.org/10.1590/198053144843

Nóvoa, A. (2019). Entre a formação e a profissão: ensaio sobre o modo como nos tornamos professores. Currículo sem Fronteiras, 19(1),198-208. Recuperado de https://www.curriculosemfronteiras.org/vol19iss1articles/novoa.pdf

Oliveira, M. M. (2013). Como fazer pesquisa qualitativa. Petrópolis, RJ: Vozes.

Paneago, R. N. (2016). Contribuições do PIBID para a aprendizagem da docência na formação inicial de professores. Revista Eletrônica da Pós-graduação em Educação da UFG. 12(1), 1-15. Recuperado de https://www.revistas.ufg.br/rir/article/download/40087/pdf/

Perrenoud, P., & Magne, B. C. (1999) Construir: as competências desde a escola. Porto Alegre, RS: Artmed.

Perrenoud, P., Paquay, L., Altet, M., & Charlie E. (Org.) (2001). Formando professores profissionais. Porto Alegre, RS: Artmed.

Pimenta, S. G., & Lima, M. S. L. (2012). Estágio e docência. São Paulo, SP: Cortez.

Santos, E. G., & Powaczuk, A. C. H. (2012). Formação e desenvolvimento profissional docente: a aprendizagem da docência universitária. Políticas Educativas, 5(2), 38-53. Recuperado de https://seer.ufrgs.br/Poled/article/view/35843/23273

Silva, D. M. S., Falcomer, V. A. S., & Porto, F. S. (2018). As contribuições do Pibid para o desenvolvimento dos saberes docentes: a experiência da licenciatura em ciências naturais, Universidade de Brasília. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, 20, e9526. https://doi.org/10.1590/1983-211720182001024

Souza Neto, S., Silva V. P. (2014). Prática como Componente Curricular: questões e reflexões. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, 14(43), 889-909. http://dx.doi.org/10.7213/dialogo.educ.14.043.AO03

Tardiff, M. (2003). Saberes docentes e educação profissional (3a ed.). Petrópolis, RJ: Vozes.

UFBA - Universidade Federal da Bahia. (2019). Histórico - O resgate do processo de construção do PIBID UFBA: para compreender o contexto. Pró-Reitoria de Ensino de Graduação. Salvador, BA: UFBA. Recuperado de https://pibid.ufba.br/historico

Yin, R. K. (2001). Estudo de caso: planejamento e métodos (2a ed.). Porto Alegre, RS: Bookman.

Zeichner, K. (2010). Repensando as conexões entre a formação na universidade e as experiências de campo na formação de professores em faculdades e universidade. Educação, 35(3), 479-504. https://doi.org/10.5902/198464442357




DOI: http://dx.doi.org/10.22600/1518-8795.ienci2021v26n1p213

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Revista Investigações em Ensino de Ciências (IENCI) - ISSN: 1518-8795 

Creative Commons License