INTERPRETANDO REFLEXÕES DE FUTUROS PROFESSORES DE FÍSICA SOBRE SUA PRÁTICA PROFISSIONAL DURANTE A FORMAÇÃO INICIAL: A BUSCA PELA CONSTRUÇÃO DA AUTONOMIA DOCENTE

Rodolfo Langhi, Roberto Nardi

Resumo


Esta pesquisa procura responder a seguinte questão central: quais indícios de construção da autonomia docente podem-se atingir durante processos formativos reflexivos contemplados semestralmente nas disciplinas de Metodologia e Prática de Ensino de Física de um curso de Licenciatura em Física? Utilizando um dispositivo analítico fundamentado em pressupostos da pesquisa sobre formação docente, denominado triangulação formativa convergente para a autonomia docente progressiva, tivemos como principal objetivo a busca pela possibilidade de atingir níveis progressivos de autonomia de futuros professores, segundo seus três modelos de profissionalidade docente, apresentados sob uma perspectiva crítica e transformadora, relacionando-os com os paradigmas formativos vigentes: conteudista, humanista, ativista, reflexista e tecnicista (abordagens CHART). Levando em conta as reflexões coletivas dos futuros professores da amostra sobre sua própria prática docente, a pesquisa apoiou-se nos seguintes procedimentos metodológicos: grupo focal, coaching, autoconfrontação e avaliação formativa, tendo a análise de discurso como pano de fundo. Os resultados desta investigação, que acompanhou uma amostra de 40 licenciandos, durante três semestres, através do uso de cinco etapas formativas (planejamento, aplicação, reflexão, socialização, envolvimento e continuidade), revelaram os indícios de autonomia docente, constituídos a partir de reflexões coletivas da própria prática de ensino, segundo o dispositivo analítico utilizado. O estudo demonstrou que os momentos de reflexão oferecidos aos licenciandos podem permitir que estes se posicionem criticamente em relação as suas futuras atividades pedagógicas, mesmo após sua formação inicial. O estudo nos conduz a um repensar na forma em como são conduzidas as disciplinas de Prática de Ensino nos cursos de formação inicial das universidades, onde normalmente se dissocia a teoria da prática, mesmo que um estágio supervisionado seja considerado como ‘prática’ pela instituição formadora de professores.

Palavras-chave


ensino de Física; prática de ensino de Física; formação inicial de professores; autonomia docente; triangulação formativa

Texto completo:

PDF


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Revista Investigações em Ensino de Ciências (IENCI) - ISSN: 1518-8795 

Creative Commons License