UMA ANÁLISE DO DESEMPENHO DOS PARTICIPANTES E DO CONTEÚDO ABORDADO EM ITENS DE GENÉTICA E BIOLOGIA EVOLUTIVA DO EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO (ENEM): IMPLICAÇÕES CURRICULARES

Débora Cristina Cestaro, Maurício Urban Kleinke, Lupe Furtado Alle

Resumo


Nas últimas décadas, a Genética e a Biologia Evolutiva se tornaram áreas promissoras e intrigantes para a sociedade. No entanto, apesar de seus conceitos passarem a ser considerados importantes na formação de cidadãos críticos e com responsabilidade social, professores e estudantes continuam a relatar dificuldades ao longo do processo de ensino-aprendizagem nessas áreas. Visando compreender e mensurar as dificuldades existentes por parte dos estudantes brasileiros, foi realizada uma pesquisa de natureza documental, de abordagem quanti-qualitativa, por meio da qual foram analisados o desempenho dos participantes e o conteúdo dos itens das provas regulares de Ciências da Natureza, referentes ao Exame Nacional do Ensino Médio de 2012 a 2016. Os resultados obtidos permitiram elencar fatores e objetos do conhecimento relacionados ao menor rendimento dos participantes em itens de Genética e Biologia Evolutiva, quando comparado às demais áreas da Biologia e das Ciências da Natureza. Assim, evidenciando a necessidade de mudanças no ensino-aprendizagem para uma aprendizagem significativa da Genética e da Biologia Evolutiva, bem como identificando aspectos a serem considerados durante a elaboração de itens avaliativos, tais como a construção de alternativas equilibradas entre si, o uso da linguagem científica e a apresentação do problema de forma objetiva e clara, por meio de contextualização adequada. Ao longo desse trabalho são incentivadas reflexões acerca do currículo escolar de Ciências e Biologia e proposta a abordagem de conceitos básicos da Genética e da Biologia Evolutiva, de forma gradativa e coerente com o desenvolvimento dos estudantes e as habilidades da BNCC, desde o Ensino Fundamental.


Palavras-chave


: Item de avaliação; Ensino-aprendizagem; Ciências da Natureza; Objetos do conhecimento; BNCC

Texto completo:

PDF

Referências


Almeida, E. R., & Chaves, A. C. L. C. (2014). O ensino de Biologia Evolutiva: As dificuldades de abordagem sobre evolução no Ensino Médio em escolas públicas do estado de Rondônia. Anais do IV Simpósio Nacional de Ensino de Ciências e Tecnologia. Ponta Grossa, PR. Recuperado de http://www.sinect.com.br/anais2014/anais2014/artigos/ensino-de-biologia/01408135602.pdf

Alvarez, M. (2010). O contributo da Genética para a evolução do pensamento evolutivo. Antropologia Portuguesa, 2009/2010(26/27), 121 135. Recuperado de http://hdl.handle.net/10316/21457

Bruner, J. S. (1973). O Processo da Educação (3a ed.). São Paulo, SP: Companhia Nacional.

Cid, M., & Neto, A. J. (2005). Dificuldades de aprendizagem e conhecimento pedagógico do conteúdo: O caso da genética. Enseñanza de las ciencias, (n. esp.), 1-5. Recuperado de https://ddd.uab.cat/pub/edlc/edlc_a2005nEXTRA/edlc_a2005nEXTRAp270difapr.pdf

Edital n. 14, de 21 de março de 2019. (2019). Exame nacional do Ensino Médio - Enem 2019. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Diário Oficial da União. Brasília, DF: Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Recuperado de http://download.inep.gov.br/educacao_basica/enem/edital/2019/edital_enem_2019.pdf

FTD. (2017). FTD sistema de ensino: Todo Enem. São Paulo,SP: FTD.

Gattás, G. J. F., Segre, M., & Wünsch Filho, V. (2002). Genética, biologia molecular e ética: As relações trabalho e saúde. Ciência & Saúde Coletiva, 7(1), 159-167. https://doi.org/10.1590/S1413-81232002000100014

Inep – Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. (2009). Matriz de Referência ENEM. Ministério da Educação. Brasília, DF: Inep/MEC. Recuperado de http://download.inep.gov.br/download/enem/matriz_referencia.pdf

Inep – Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. (2010). Guia de elaboração e revisão de itens. Ministério da Educação. Brasília, DF: Inep/MEC. Recuperado de http://darnassus.if.ufrj.br/~marta/enem/docs_enem/guia_elaboracao_revisao_itens_2012.pdf

Inep – Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. (2012). Entenda a sua nota no Enem: guia do participante. Ministério da Educação. Brasília, DF: Inep/MEC. Recuperado de http://download.inep.gov.br/educacao_basica/enem/guia_participante/2013/guia_do_participante_notas.pdf

Inep – Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. (2018a). Primeira aplicação do Enem completa 20 anos nesta quinta-feira, 30 de agosto. Ministério da Educação. Brasília, DF: Inep/MEC. Recuperado de http://portal.inep.gov.br/artigo/-/asset_publisher/B4AQV9zFY7Bv/content/primeira-aplicacao-do-enem-completa-20-anos-nesta-quinta-feira-30-de-agosto/21206

Inep – Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. (2018b). Operação Enem: conheça todas as etapas do maior exame do Brasil. Ministério da Educação. Brasília, DF: Inep/MEC. Recuperado dehttp://download.inep.gov.br/educacao_basica/enem/downloads/2017/operacao_enem.pdf

Inep – Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. (2019a). Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Ministério da Educação. Brasília, DF: Inep/MEC. Recuperado de https://www.gov.br/inep/pt-br/areas-de-atuacao/avaliacao-e-exames-educacionais/enem

Inep – Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. (2019b). Provas e Gabaritos. Ministério da Educação. Brasília, DF: Inep/MEC. Recuperado de http://portal.inep.gov.br/web/guest/provas-e-gabaritos

Krathwohl, D. R. (2002). A revision of Bloom’s taxonomy: an overview. Theory in Practice, 41(4), 212-218. https://doi.org/10.1207/s15430421tip4104_2

La Luna, A. (2014). Importância do Ensino e Aprendizagem de Genética para o Mundo Atual. Revista de Educação, 17(23), 44-53. Recuperado de https://revista.pgsskroton.com/index.php/educ/article/view/3080

MEC – Ministério da Educação. (2000). Parâmetros curriculares nacionais (ensino médio): Parte III - ciências da natureza, matemática e suas tecnologias. Secretária da Educação Básica. Brasília, DF: MEC/SEB. Recuperado de http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/ciencian.pdf

MEC – Ministério da Educação. (2002). PCN+ Ensino Médio: orientações educacionais complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais - Ciências da natureza, matemática e suas tecnologias. Secretaria da Educação Média e Tecnológica. Brasília, DF: MEC/Semtec. Recuperado de http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/CienciasNatureza.pdf

MEC – Ministério da Educação. (2006). Orientações curriculares para o ensino médio: Ciências da natureza, matemática e suas tecnologias. Secretaria de Educação Básica. Brasília, DF: MEC/SEB. Recuperado de http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/book_volume_02_internet.pdf

MEC – Ministério da Educação. (2011). Teoria de resposta ao item avalia habilidade e minimiza o “chute” de candidatos. Ministério da Educação. Brasília, DF: MEC. Recuperado de http://portal.mec.gov.br/ultimas-noticias/389-ensino-medio-2092297298/17319-teoria-de-resposta-ao-item-avalia-habilidade-e-minimiza-o-chute

MEC – Ministério da Educação. (2013). Diretrizes curriculares nacionais gerais da educação básica. Secretaria de Educação Básica. Brasília, DF: MEC/SEB. Recuperado de http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=15548-d-c-n-educacao-basica-nova-pdf&category_slug=abril-2014-pdf&Itemid=30192

MEC – Ministério da Educação. (2018). Base Nacional Comum Curricular. Ministério da Educação. Brasília, DF: MEC. Recuperado de http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf

Moreira, M. A. (2011). Teorias de aprendizagem (2a ed.). São Paulo, SP: EPU.

Nobre, S. B., Lopes, L. A., & Farias, M. E. (2018). Ensino de Biologia Evolutiva (BIO-EVO): concepções de professores pós-graduandos em ensino de ciências. REnCiMa, 9(1), 88-102. https://doi.org/10.26843/rencima.v9i1.1376

Oleques, L. C., Bartholomei-Santos, M. L., & Boer, N. (2011). Evolução biológica: percepção de professores de Biologia. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, 10(2), 243-263. Recuperado de http://reec.uvigo.es/volumenes/volumen10/ART2_VOL10_N2.pdf

Pedrancini, V. D., Corazza-Nunes, M. J., Moreira, A. L. O. R., & Ribeiro, A.C. (2007). Ensino e aprendizagem de Biologia no Ensino Médio e a apropriação do saber científico e biotecnológico. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, 6(2), 299-309. Recuperado de http://reec.webs.uvigo.es/volumenes/volumen6/ART5_Vol6_N2.pdf

Pereira, H.M.R., Bizzo, N., & Marco, V. (2013). O ensino de evolução biológica no Ensino Médio brasileiro e a influência das crenças religiosas. Anais do IX Congreso Internacional sobre Investigación en Didáctica de las Ciencias. (pp. 2409-2414). Girona, Espanha. Recuperado de https://www.raco.cat/index.php/Ensenanza/article/download/307884/397852/

Resolução CNE/CP 02/2017, de 22 de dezembro de 2017. (2017). Institui e orienta a implantação da Base Nacional Comum Curricular, a ser respeitada obrigatoriamente ao longo das etapas e respectivas modalidades no âmbito da Educação Básica. Conselho Nacional de Educação. Conselho Pleno. Recuperado de http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=79631-rcp002-17-pdf&category_slug=dezembro-2017-pdf&Itemid=30192

Santos Filho, R, Alle, L. F., & Leme, D. P. (2018). Diagnosticando dificuldades no processo de ensino-aprendizagem de genética nas escolas e universidades. Anais do V Congresso Nacional de Educação. Olinda, PE. Recuperado de https://www.editorarealize.com.br/editora/anais/conedu/2018/TRABALHO_EV117_MD4_SA16_ID5406_09092018125827.pdf

Temp, D. S., & Bartholomei-Santos, M. L. (2014). Genética e suas aplicações: Identificando o conhecimento presente entre concluintes do Ensino Médio. Ciência e Natura, 36(3), 358-372. http://dx.doi.org/10.5902/2179460X13619

Tidon, R., & Vieira, E. (2009). O ensino da evolução biológica: um desafio para o século XXI. ComCiência, 107. Recuperado de http://comciencia.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-76542009000300008&lng=en&nrm=iso




DOI: http://dx.doi.org/10.22600/1518-8795.ienci2020v25n3p503

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Revista Investigações em Ensino de Ciências (IENCI) - ISSN: 1518-8795 

Creative Commons License