PROMOVER O PENSAMENTO CRÍTICO E CRIATIVO NO ENSINO DAS CIÊNCIAS: PROPOSTAS DIDÁTICAS E SEUS CONTRIBUTOS EM ALUNOS PORTUGUESES

Celina Tenreiro-Vieira, Rui M. Vieira

Resumo


A sociedade contemporânea evidencia diversos avanços científicos e tecnológicos que têm contribuído para a melhoria da qualidade de vida de seres humanos. Todavia, tem também acentuado problemas e assimetrias entre os mesmos, como a escassez de água potável e de produção alimentar, o acesso a cuidados de saúde e a desinformação. O ensino das ciências necessita, pois, de ser repensado de modo a responder eficazmente a estes complexos desafios. Nesse sentido, uma das exigências e radica na necessidade de se centrar o curículo, os programas e as práticas de ensino no âmbito de todas as disciplinas em áreas de competências, como as de pensamento crítico e criativo (PCC). Uma das formas de o conseguir é investindo no desenvolvimento de propostas didáticas para os alunos vivenciarem a participação cidadã responsável, mobilizando explicitamente o PCC. Neste quadro, realizou-se um estudo com o propósito de elaborar, implementar e avaliar propostas didáticos com foco no PCC, para o ensino das ciências com alunos dos 8 aos 12 anos. Decorrente disso, a questão de investigação norteadora do estudo foi: “As propostas didáticas elaboradas e implementadas contribuem para a melhoria do PCC dos alunos envolvidos”? O estudo seguiu uma natureza mista, por um lado, com um planeamento de Investigação-ação para o desenvolvimento de propostas didáticas e, por outro, um design pré-teste e pós-teste com seleção não aleatória dos sujeitos. Os resultados obtidos suportam a conclusão de que as propostas didáticas elaboradas e implementadas promoveram estes tipos de pensamento dos alunos envolvidos. Estas propostas relevam-se, pois, de amplo potencial, no contexto do ensino das ciências, para alunos destes níveis etários, dadas as temáticas transversais em que se centraram. Afiguram-se também como exemplos a serem usados na formação de professores, de modo a desenvolverem práticas que promovam explícita e intencionalmente estes dois tipos de pensamento.


Palavras-chave


Pensamento crítico e criativo; Propostas didáticas; Ensino das ciências

Texto completo:

PDF

Referências


Amado, J., Costa, A. P., & Crusoé, N. (2017). A técnica de análise de conteúdo. In J. Amado (Ed.), Manual de investigação qualitativa em educação (pp. 301-350). Coimbra, Portugal: Imprensa da Universidade de Coimbra.

Barbot, B., Besançon, M., & Lubart, T. (2016). The generality-specificity of creativity: Exploring the structure of creative potential with EPoC. Learning and Individual Differences, 52,178-187. Recuperado de http://doi.org/10.1016/j.lindif.2016.06.005

Bardin, L. (2010). Análise de conteúdo (4a. ed.). Lisboa, Portugal: Edições 70.

Bordoni, A., Silveira, M., & Vieira, R. M. (2020). Análise de sequências didáticas de química por meio de um instrumento para a avaliação do pensamento crítico e ensino CTS. Revista Poiésis, 14(26), 380-402.

Calixto, V., & Kiouranis, N. (2020). Formação de professores, teorias da aprendizagem e o pensamento crítico: um estudo de caso. Revista Poiésis, 14(26), 403-419.

Clemente, V., Tschimmel, K., & Vieira, R. M. (2016). Pensamento criativo e crítico no Desenvolvimento de Produto: uma intervenção didática baseada no Design Thinking. Revista Lusófona de Educação, 32, 75-92. Recuperado de https://revistas.ulusofona.pt/index.php/rleducacao/article/view/5516

Coutinho, C. P. (2011). Metodologia de Investigação em Ciências Sociais e Humanas: Teoria e prática. Coimbra, Portugal: Almedina.

Creswell, J. W. (2014). Research design: qualitative, quantitative and mixed method approaches. Thousand Oaks, USA: Sage.

Ennis, R. H. (1996). Critical thinking. Upper Saddle River, New Jersey, United States od America: Prentice Hall.

Ennis, R. H. (2013). Critical thinking across the curriculum: The Wisdom CTAC Program. Inquiry: Critical Thinking across the Curriculum, 28(2), 25-45.

Franco, A., Sousa, A. S., & Vieira, R. M. (2019). How to become an informed citizen in the (dis)information society? Recommendations and strategies to mobilize one’s critical thinking. Sinergias, 9, 45-58.

Güllich, R., & Vieira, R. M. (2019). Formação de professores de Ciências para a promoção do pensamento crítico no Brasil: Estado da Arte. Ensino de Ciências e Tecnologia em Revista (ENCITEC), 9(2), 93-107. Recuperado de http://dx.doi.org/10.31512/encitec.v9i2.2243

Hammersley-Fletcher, L., & Hanley, C. (2016). The use of critical thinking in higher education in relation to the international student: Shifting policy and practice. British Educational Research Journal, 42(6), 978–992.

Harari, Y. N. (2018). 21 lições para o século XXI. Amadora, Portugal: Elsinore.

Heong, Y., Hamdan, N., Ching, K., Kiong, T., & Azid, N. (2020). Development of Integrated Creative and Critical Thinking Module in Problem-Based Learning to Solve Problems. International Journal of Scientific & Technology Research, 9(3), 6567-6571.

Lucas, B. Claxton, G., & Spencer, E. (2013). Progression in Student Creativity in School: First Steps Towards New Forms of Formative Assessments. OECD Education Working Papers nº 86. Recuperado de http://doi.org/10.1787/5k4dp59msdwk-en

Martins, I. P. (2019). Literacia Científica e contributos do ensino formal para a compreensão pública da ciência. In I. P. Martins (Org.) Percursos de Investigação em Educação no CIDTFF: um itinerário pelas lições de agregação (pp. 177-224). Universidade de Aveiro, Portugal: UA Editora.

Ministério da Educação de Portugal (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória. Lisboa, Portugal: Autor.

Nações Unidas (2018). Guia para o Desenvolvimento Sustentável – 17 objetivos para transformar o nosso mundo. Lisboa: Centro de Informação Regional das Nações Unidas para a Europa Ocidental. Recuperado de https://unric.org/pt/wp-content/uploads/sites/9/2019/01/SDG_brochure_PT-web.pdf

Nieto, A. M., & Saiz, C. (2011). Skills and dispositions of critical thinking: Are they sufficient? Anales de Psicología, 27(1), 202-209.

Paul, R., & Elder, L. (2006). Critical Thinking: The Nature of Critical and Creative Thought. Journal of Developmental Education, 30(2), 34-35.

Raths, L., Harmin, M., & Simon, S. (1978). Values and teaching. Columbus, OH: Merril Publishing Company.

Rede Pensamento Crítico (2013). Pensamento Crítico- Criatividade – Educação. Aveiro: Centro de Investigação Didática e Tecnologia na Formação de Formadores (CIDTFF). Recuperado de http://redepensamentocritico.web.ua.pt/

Saiz, C. (2017). Pensamiento crítico y cambio. Madrid, España: Pirámide.

Sousa, A. S. (2016). O pensamento crítico na educação em Ciências: Revisão de estudos no ensino básico. Relatório final de Mestrado em Ensino do 1.º e 2.º Ciclos do Ensino Básico. Aveiro, Portugal: Universidade de Aveiro.

Tenreiro-Vieira, C., & Vieira, R. M. (2000). Promover o pensamento crítico dos alunos: Propostas concretas para a sala de aula. Porto, Portugal: Porto Editora.

Tenreiro-Vieira, C., e Vieira, R. M. (2011). Educação em ciências e em matemática numa perspectiva de literacia: desenvolvimento de materiais didácticos CTS / Pensamento Crítico (PC). In W. dos Santos e D. Auler (Orgs.), CTS e educação científica: desafios, tendências e resultados de pesquisas (pp. 417-437). Brasília: Universidade de Brasília.

Tenreiro-Vieira, C., & Vieira, R. M. (2013). Literacia e pensamento crítico: um referencial para a educação em ciências e em matemática. Revista Brasileira de Educação, 18(52). Recuperado de http://doi.org/10.1590/S1413-24782013000100010

Tenreiro-Vieira, C., & Vieira, R. M. (2014). Construindo práticas didático-pedagógicas promotoras da literacia científica e do pensamento crítico. Madrid, Espanha: Iberciencia. Recuperado de http://www.ibercienciaoei.org/doc2.pdf

Tenreiro-Vieira, C., e Vieira, R. M. (2018). Capítulo 3. Ciência, Cidadania e Desenvolvimento Sustentável na Escolaridade Básica: Que Possibilidades? Que Realizações? In M. Gordillo e I.P. Martins (Coords.), Ciencia Cordial - Un Desafio Educativo (pp. 48-60). Madrid, España: Catarata. Recuperado de http://formacionib.org/noticias/?Ciencia-cordial-Un-desafio-educativo-Libro-completo-en-PDF

Tenreiro-Vieira, C., & Vieira, R. M. (2019a). Promover o pensamento crítico em ciências na escolaridade básica: Propostas e desafios. Revista Latinoamericana de Estudios Educativos, 15(1), 36-49. Recuperado de https://doi.org/10.17151/rlee.2019.15.1.3

Tenreiro-Vieira, C., & Vieira, R. M. (2019b). Abordagem de temas do currículo de ciências do ensino básico num quadro EDS com orientação Ciência-Tecnologia-Sociedade / Pensamento Crítico. Indagatio Didactica, 11(2), 895-914. Recuperado de http://revistas.ua.pt/index.php/ID/article/view/12362/10010

Tenreiro-Vieira, C., & Vieira, R. M. (2020). Promover o Pensamento Crítico em Contextos CTS: Desenvolvimento de Propostas Didáticas para o Ensino Básico. Indagatio Didactica, 12(4), 471-484. Recuperado de https://doi.org/10.34624/id.v12i4.21823

Tamayo, O., López, J., & Zuluaga, Y. (2014). Pensamiento crítico en la aula de ciências. Manizales, Colômbia: Editorial Universidade de Caldas.

Torrance, E. P. (1979). The search for satori & creativity. Buffalo, New York: Creative Education Foundation.

Tsai, K. (2020). Investigating the Empirical Links between Creative and Critical Thinking. Psychology, Society, & Education, 11(3), 267-280.

Valente, M. O. (1992). A escola e a educação para os valores – Antologia de Textos (2a. ed.). Lisboa, Portugal: Universidade de Lisboa.

Vieira, R. M. (2018). Didática das Ciências para o Ensino Básico. Faro, Portugal: Sílabas & Desafios.

Vieira, R. M., e Tenreiro-Vieira, C. (2003). A formação inicial de professores e a didáctica das ciências como contexto de utilização do questionamento orientado para a promoção de capacidades de pensamento crítico. Revista Portuguesa de Educação, 16(1), 231-252.

Vieira, R. M., Tenreiro-Vieira, C., e Martins, I. P. (2011). Critical thinking: Conceptual clarification and its importance in science education. Science Education International, 22(1), 43-54. Recuperado de http://www.icaseonline.net/sei/march2011/p4.pdf

Vieira, R. M., e Tenreiro-Vieira, C. (2013). Promoção do pensamento crítico na formação de professores do ensino básico. In Silva, B. et al. (Orgs.), Atas do XII Congresso Internacional Galego-Português de Psicopedagogia (pp. 4006-4019). Braga, Portugal: Universidade do Minho.

Vieira, R. M., e Tenreiro-Vieira, C. (2014). Investigação sobre pensamento crítico na educação: contributos para a didática das ciências. In Vieira, R. M., Tenreiro-Vieira, C. Sá-Chaves, I., e Machado, C. (Orgs.), Pensamento Crítico na Educação: Perspetivas atuais no panorama internacional (pp. 41-56). Aveiro, Portugal: Universidade de Aveiro. Recuperado de http://redepensamentocritico.web.ua.pt/

Vieira, R. M., & Tenreiro-Vieira, C. (2016). Fostering Scientific Literacy and Critical Thinking in Elementary Science Education. International Journal of Science and Mathematics Education, 14(4), 659-680. Recuperado de https://doi.org/10.1007/s10763-014-9605-2

Vincent-Lancrin, S. et al. (2019). Fostering Students' Creativity and Critical Thinking: What it Means in School. Paris, França: OECD Publishing. Recuperado de https://doi.org/10.1787/62212c37-en

Wartha, E, & Santos, E. (2020). Pensamento Científico, crítico e criativo: Entendendo campos teóricos e perseguindo suas interações. Revista Poiésis, 14(26), 325-346.




DOI: http://dx.doi.org/10.22600/1518-8795.ienci2021v26n1p70

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Revista Investigações em Ensino de Ciências (IENCI) - ISSN: 1518-8795 

Creative Commons License