AÇÕES DISCENTES E A RELAÇÃO COM O SABER EM AULAS DE MATEMÁTICA, FÍSICA E QUÍMICA

Marily Aparecida Benicio, Sergio de Mello Arruda, Marinez Meneghello Passos

Resumo


Este artigo apresenta uma proposta para análise das ações discentes e das relações didático-pedagógicas estabelecidas em sala de aula para as disciplinas de Matemática, Física e Química. A investigação tem como aporte teórico a teoria da relação com o saber de Charlot (2000), o conceito de atividade e ação abordado por Leontiev (2014) e a Matriz do Estudante, um instrumento teórico-metodológico desenvolvido por Arruda, Benicio e Passos (2017). A questão que norteou esta investigação foi: como as ações discentes estão relacionadas com o saber, com o ensinar e com o aprender em aulas de Matemática, Física e Química? Os procedimentos metodológicos adotados pautaram-se naquilo que nos apresenta a Análise Textual Discursiva. Os documentos investigados foram notas de campo realizadas em situação de observação das aulas e as transcrições das gravações em áudio e vídeo ocorridas em um curso de Ensino Médio e Técnico Integrado de um Instituto Federal do Paraná. As análises realizadas apontaram que para a relação discente com o professor e seu ensino: na dimensão epistêmica houve o predomínio de ações referentes à organização; na dimensão pessoal a organização também esteve em destaque além das ações de interação de aprendizagem com a professora; na dimensão social destacaram-se as ações de natureza dispersiva. Quando focamos na relação discente com sua aprendizagem temos que: para as dimensões epistêmica e pessoal as ações relativas à interação com a professora foram mais frequentes; na dimensão social mantiveram-se as interações sociais que dispersavam os estudantes das atividades da aula. Não foram encontradas ações que indicassem como os estudantes avaliaram a relação do professor com os saberes escolares/profissionais.

Palavras-chave


Aprendizagem; Relação com o saber; Matriz do Estudante; Ação discente

Texto completo:

PDF

Referências


Alencar, J. A. (1961). Vocabulário latino: filosofia e poesia da linguagem (2a ed.). Rio de Janeiro, RJ: Borsoi.

Andrade, E. C., Arruda, S. M., & Passos, M. M. (2018). Descrição da ação docente de professores de Matemática por meio da observação direta da sala de aula. Educação Matemática Pesquisa, 20(2), 349-368. Recuperado de https://revistas.pucsp.br/index.php/emp/article/view/32979/pdf

Arruda, S. M., Benicio, M. A., & Passos, M. M. (2017). Um instrumento para a análise das percepções/ação de estudante em sala de aula. Revista Brasileira de Ensino de Ciências e Tecnologia, 10(2), 325-345. http://dx.doi.org/10.3895/rbect.v10n2.4457

Arruda, S. M., Lima, J. P. C., & Passos, M. M. (2011). Um novo instrumento para a análise da ação do professor em sala de aula. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, 11(2), 139-160. Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/rbpec/article/view/4200

Arruda, S. M., & Passos, M. M. (2015). A relação com o saber na sala de aula. In Anais do IX Colóquio Internacional “Educação e Contemporaneidade”. (1-14). Aracaju, SE. Recuperado de http://educonse.com.br/ixcoloquio/arruda_passos2.pdf

Arruda, S. M., & Passos, M. M. (2017). Instrumentos para a análise da relação como Saber em sala de aula. Revista de Produtos Educacionais e Pesquisa em Ensino, 1(2), 95-115. Recuperado de http://seer.uenp.edu.br/index.php/reppe/article/view/1213/811

Bardin, L. (2011). Análise de conteúdo. Porto, Portugal: Edições 70.

Benicio, M. A. (2018). Um olhar sobre as ações discentes em sala de aula em um IFPR. (Tese de Doutorado) Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências e Educação Matemática, Universidade Estadual de Londrina, Londrina, PR. Recuperado de http://www.uel.br/pos/mecem/arquivos_pdf/162018TESEMARI.pdf

Benicio, M. A., Arruda, S. M., & Passos, M. M. (2019). A Study of Student Actions in the Classroom of a Campus of a Federal Institute of Paraná. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, 19, 623-647. https://doi.org/10.28976/1984-2686rbpec2019u595621

Benicio, M. A., Arruda, S. de M., & Passos, M. M. (2020). Um estudo quantitativo das conexões entre a ação docente e a ação discente em aulas de Matemática, Física e Química em um Instituto Federal do Paraná. Revista Contexto e Educação, 35(112), 456-477. https://doi.org/10.21527/2179-1309.2020.112.456-477

Bogdan, R., & Biklen, S. (1994). Investigação qualitativa em educação: Uma introdução à teoria e aos métodos. Lisboa, Portugal: Porto.

Broietti, F. C. D., Lopes, A. S., & Arruda, S. M. (2019). Evasão e permanência em uma licenciatura em Química: um estudo à luz da Matriz do Estudante. Interfaces da Educação, 10(29), 468-496. https://doi.org/10.26514/inter.v10i29.3801

Carvalho, D. F., Arruda, S. M., & Passos, M. M. (2018). Um estudo da mudança das ações docentes de um supervisor do PIBID-Matemática. Zetetiké, 26(2), 318-336. https://doi.org/10.20396/zet.v26i2.8649577

Charlot, B. (2013). Da relação com o saber às práticas educativas. São Paulo, SP: Cortez.

Charlot, B. (2000). Da relação com o saber: elementos para uma teoria. Porto Alegre, RS: Artmed.

Charlot, B. (2005). Relação com o saber, formação dos professores e globalização: questão para a educação hoje. Porto Alegre, RS: Artmed.

Dias, M. P., Arruda, S. M., Oliveira, A. C., & Passos, M. M. (2017). Relações com o ensinar e as categorias de ação do professor de Matemática. Caminhos da Educação Matemática em Revista, 7(2), 66-75. Recuperado de https://aplicacoes.ifs.edu.br/periodicos/index.php/caminhos_da_educacao_matematica/article/view/144

Gauthier, C., Martineau, S., Desbiens, J. F., Malo, A., & Simard, D. (2006) Por uma Teoria da Pedagogia: pesquisas contemporâneas sobre o saber docente. Ijuí, RS: Unijuí.

Illeris, K. (2013) Uma compreensão abrangente da aprendizagem humana. In: Illeris, K. (Org.). Teorias contemporâneas da aprendizagem (pp. 15-30). Porto Alegre, RS: Penso.

Leontiev, A. N. (2014). Atividade e consciência. Tradução de Marcelo José de Souza e Silva. Revista Dialectus, 2(4), 184-210. https://doi.org/10.30611/2014n4id5175

Leontiev, A. N. (1978). O desenvolvimento do psiquismo. Lisboa, Portugal: Horizonte Universitário.

Moraes, R., & Galiazzi, M. C. (2011). Análise textual discursiva (2a ed.) Ijuí, RS: Unijuí.

Schön, D. (1983) The reflective practitioner: how professionals think in action. New York, United States of America: Basic Books.

Tardif, M. (2014). Saberes docentes e formação professional. Petrópolis, RJ: Vozes.




DOI: http://dx.doi.org/10.22600/1518-8795.ienci2020v25n3p86

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Revista Investigações em Ensino de Ciências (IENCI) - ISSN: 1518-8795 

Creative Commons License