ANÁLISE DE UMA PROPOSTA DIDÁTICA DE KRASILCHIK COM O ENFOQUE SEMIÓTICO DE DUVAL

Lucas Roberto Perucci, Carlos Eduardo Laburú, Camila Regina Basso, Patrícia de Oliveira Rosa-Silva

Resumo


O ensino de Biologia contém uma série de representações, tais como a língua natural, gráficos, tabelas, esquemas, figuras, que podem ser analisadas enquanto registros de representação semiótica. Duval propõe um olhar atento do professor sobre as dificuldades dos alunos, ao realizarem conversão entre diferentes registros de representação semiótica. Este estudo, de caráter exploratório, analisa à luz dessa teoria tais dificuldades, dentro da simulação “Flutuação nas populações” proposta por Krasilchick (2004). Para a coleta de dados, foi realizado um curso com estudantes do 2º ano do Ensino Médio Técnico em Meio Ambiente. Dentre os dois tipos de conversão semiótica, os estudantes apresentaram maiores dificuldades nas conversões não congruentes. As questões não congruentes da simulação proposta exigem as habilidades de explicação de fenômenos e de relação entre eles, além de maior atenção docente no momento da mudança e coordenação dos distintos registros de representação.

Palavras-chave


ensino de Biologia; flutuação de população; semiótica de Duval

Texto completo:

PDF


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Revista Investigações em Ensino de Ciências (IENCI) - ISSN: 1518-8795 

Creative Commons License