PERFIL DE ADAPTAÇÃO E ENSINO DE EVOLUÇÃO: UMA METODOLOGIA DE USO DE PERFIS CONCEITUAIS NO PLANEJAMENTO DE ENSINO

Claudia de Alencar Serra e Sepulveda

Resumo


Propõe-se uma estratégia metodológica de transformar os resultados das pesquisas em perfis conceituais em informações significativas e heurísticas para planejamento de ensino na educação básica, por meio da pesquisa em design educacional (design research). Aplicando a referida metodologia aos resultados de estudos com um perfil de adaptação, são apresentadas rotas de aprendizagem, objetivos, conteúdos, contextos para ensino médio de evolução, e diretrizes para uso da linguagem e gestão do discurso em sala de aula. Como resultado, essas informações são sistematizadas e enunciadas na forma de princípios de design de intervenções para o ensino médio de evolução.


Palavras-chave


Perfis conceituais; pesquisa em design educacional; conceito de adaptação; ensino de evolução

Texto completo:

PDF

Referências


Aguiar, O. G., Jr. (2014). The implications of the conceptual profile in science teaching: an example from a teaching sequence in thermal physics. In E. F. Mortimer & C. N. El-Hani (Eds.). Conceptual Profiles: A theory of teaching and learning Scientific Concepts (pp. 235-259). Dordrecht, Netherlands: Springer.

Aguiar, O. G., Jr., & Mortimer, E. F. (2005). Tomada de consciência de conflitos: análise da atividade discursiva de uma aula de ciências. Investigações em Ensino de Ciências, 10(2), 179-207. Recuperado de https://www.if.ufrgs.br/cref/ojs/index.php/ienci/article/view/516/313

Aguiar, O. G., Jr., Mortimer, E. F., & Scott, P. (2010). Learning from and responding to students’ questions: The authoritative and dialogic tension. Journal of Research in Science Teaching, 47(2), 174-193. https://doi.org/10.1002/tea.20315

Amaral, E. M. R. (2004). Perfil conceitual para a segunda lei da termodinâmica aplicada às transformações físicas e químicas e dinâmica discursiva em uma sala de aula de química do ensino médio. (Tese de doutorado). Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG.

Amaral, E. M. R., & Mortimer, E. F. (2001). Uma proposta de perfil conceitual para o conceito de calor. Revista Brasileira em Educação em Ciências, 1(3), 5-18. Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/rbpec/article/view/4154/2719

Amaral, E. M. R, Mortimer, E. F., & Scott, P. A. (2014). Conceptual profile of entropy and spontaneity: characterising modes of thinking and ways of speaking in the classroom. In E. F. Mortimer & C. N. El-Hani (Eds.). Conceptual Profiles: a theory of teaching and learning scientific concepts (pp. 201-234). Dordrecht, Netherlands: Springer.

Ash, D. (2008). Thematic Continuities: Talking and Thinking about adaptation in socially complex classrooms. Journal of Research in Science Teaching, 45(1), 1-30. https://doi.org/10.1002/tea.20199

Bachelard, G. (1936/1984). A filosofia do não. Coleção Os pensadores. São Paulo, SP: Abril Cultural.

Bakhtin, M. M. (1981). Discourse in the novel. In M. Holquist (Ed.). Dialogical Imagination. Austin, United States of America: University of Texas Press.

Barbosa, J. C., & Oliveira, A. M. de (2015). Por que a Pesquisa de Desenvolvimento na Educação Matemática? Perspectivas da Educação Matemática, 8(18), 526-546. Recuperado de http://www.seer.ufms.br/index.php/pedmat/article/view/1462/969

Caponi, G. (2000). La regla de Darwin. Principia, 4(1), 27-77. https://doi.org/10.5007/%25x

Caponi, G. (2002). Explicación selecional y explicación funcional: la teleologia en la Biologia contemporanea. Episteme, 14, 57-88. Recuperado de http://scientiaestudia.org.br/associac/gustavocaponi/explicacionseleccional.pdf

Caponi, G. (2006). El vivente y su medio: Antes y después de Darwin. Scientiae Studia, 4(1), 9-43. https://doi.org/10.1590/S1678-31662006000100002

Conrado, D. M., Leal, F. B., Carvalho, I. N., Cruz, L. M. S., Souza, M. M. O. R., Almeida, T. P., Moura, U. O., Sepulveda, C., & El-Hani, C. N. (2012). Uso do conhecimento evolutivo na tomada de decisão de estudantes do ensino médio sobre questões socioambientais. Revista Contemporânea de Educação, 7(14). https://doi.org/10.20500/rce.v7i14.1675

Conrado, D., & Nunes Neto, N. (2018) Questões sociocientíficas e dimensões conceituais, procedimentais e atitudinais dos conteúdos no ensino de ciências. In D. Conrado & N. Nunes Neto (Orgs.). Questão Sociocientífica: fundamentos, propostas de ensino e perspectivas para ações sociopolíticas (pp. 77-120). Salvador, BA: EDUFBA.

Coutinho, F. A. (2005). Construção de um perfil conceitual de vida. (Tese de doutorado). Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG. Recuperado de https://repositorio.ufmg.br/handle/1843/FAEC-85RHZ8

El-Hani, C. N., & Meyer, D. (2007). A evolução da teoria darwiniana. Scientific American Brasil, 81-91, 14 de junho.

El-Hani, C. N., & Mortimer, E. F. (2007). Multicultural Education, Pragmatism, and the Goals of Science Teaching. Cultural Studies of Science Education, 2(4), 657-687. https://doi.org/10.1007/s11422-007-9064-y

Lemke, J. L. (1990). Talking science: language, learning and values. Norwood, United States of America: Ablex.

Levins, R., & Lewontin R. (1985). The dialectical biologist. Cambridge, England: Harvard University Press.

Martínez, R. I. P. (2015). Perfil conceitual de calor e conglomerados de relevâncias em comunidades culturalmente diferenciadas. (Tese de doutorado). Faculdad de Ciencias y Educación, Universidad Distrital Francisco Jose de Caldas, Bogota, Colombia.

Matta, A. E. R., Silva, F. P. S., & Boaventura, E. M. (2014). Design-based research ou pesquisa de desenvolvimento: metodologia para pesquisa aplicada de inovação em educação do século XXI. Revista da FAEEBA: Educação e Contemporaneidade, 23(42), 23-36. Recuperado de https://www.revistas.uneb.br/index.php/faeeba/article/view/1025

Mattos, C. R. (2014) Conceptual profile as a model of a complex world. In E. F. Mortimer, & C. N. El-Hani (Eds.). Conceptual Profiles: a theory of teaching and learning scientific concepts (pp. 263-292). Dordrecht, Netherlands: Springer.

Mayr, E. (1982). The growth of biological thought. Cambridge, England: Harvard University Press.

Mayr, E. (2005) Biologia, ciência única. Tradução Marcelo Leite. São Paulo, SP: Companhia das Letras.

Meyer, D., & El-Hani, C. N. (2005). Evolução: o sentido da Biologia. São Paulo, SP: Unesp.

Mckenney, S., & Reeves, T. (2012). Conducting educational design research. London, England: Routledge.

Mortimer, E. F. (1994). Evolução do atomismo em sala de aula: mudança de perfis conceituais. (Tese de doutorado). Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP.

Mortimer, E. F. (1997). Para além das fronteiras da química: relações entre filosofia, psicologia e ensino de química. Química Nova, 20(2), 200-207. Recuperado de https://quimicanova.sbq.org.br/detalhe_artigo.asp?id=3284

Mortimer, E. F. (1998). Sobre chamas e cristais: a linguagem cotidiana, a linguagem científica e o Ensino de Ciências. In A. Chassot & R. J. Oliveira (Orgs.) Ciência, ética e cultura na educação (pp. 99-118). São Leopoldo, RS: UNISINOS.

Mortimer, E. F. (2000). Linguagem e formação de conceitos no ensino de ciências. Belo Horizonte, MG: Editora UFMG.

Mortimer, E. F. (2001). Perfil conceptual: formas de pensar y habllar en las classes de ciencias. Infancia y Aprendizaje, 24(4), 475-490. https://doi.org/10.1174/021037001317117402

Mortimer, E., & El-Hani, C. N. (2014). Conceptual Profiles: a theory of teaching and learning scientific concepts. Dordrecht, Netherlands: Springer.

Mortimer, E. F., & Machado, A. H. (2000). Anomalies and Conflicts in Classroom Discourse. Science Education, 84(4), 429-444. https://doi: 10.1002/1098-237X(200007)84:4%3C429::AID-SCE1%3E3.0.CO;2-%23

Mortimer, E. F., & Scott, P. H. (2002). Atividade discursiva nas salas de aula de ciências: uma ferramenta sociocultural para analisar e planejar o ensino. Investigações em Ensino de Ciências, 7(3), 283-306. Recuperado de https://www.if.ufrgs.br/cref/ojs/index.php/ienci/article/view/562/355

Mortimer, E. F., & Scott, P. H. (2003). Meaning making in secondary science classrooms. Philadelphia, United States of America: Open University Press.

Mortimer, E. F., El Hani, C. N., Sepulveda, C., Amaral, E. M. R., Coutinho, F. A., & Silva, F. A. R. E. (2014). Methodological grounds of the conceptual profile research program. In E. F. Mortimer & C. N. El-Hani (Eds.). Conceptual Profiles: a theory of teaching and learning scientific concepts (pp. 67-100). Dordrecht, Netherlands: Springer.

Plomp, T. (2009). Educational Design Research: an Introduction. In T. Plomp & N. Nieveen (Eds.) An introduction to educational Design Research (pp. 9-35). Enschede, Netherlands: SLO-Netherlands Institute for Curriculum Development.

Plomp, T. (2018). Pesquisa-aplicação em educação: uma introdução. In T. Plomp, N. Nieveen, E. Nonato & A. Matta (Org.) Pesquisa-Aplicação em Educação: uma introdução (pp. 25-66). São Paulo, SP: Artesanato Educacional.

Plomp, T., & Nieveen N. (2009). An introduction to educational Design Research. Enschede, Netherlands: SLO-Netherlands Institute for Curriculum Development.

Plomp, T., Nieveen, N., Nonato, N., & Matta, A. (2018). Pesquisa-Aplicação em Educação: uma introdução. São Paulo, SP: Artesanato Educacional.

Reis, V. P. G. S. (2018). Um perfil conceitual de herança biológica: investigando dimensões epistemológicas e axiológicas de significação do conceito no contexto do ensino médio de genética. (Tese de doutorado). Programa de Pós-Graduação em Ensino, Filosofia e História das Ciências, Universidade Federal da Bahia, Salvador, BA. Recuperado de https://ppgefhc.ufba.br/sites/ppgefhc.ufba.br/files/tese_vanessa_reis_versao_final_para_homologacao.pdf

Reis, V. P. G., Carneiro, M. C. L., Amarante, A. L. A. P. C., Almeida, C. A, Sepulveda, C., & El-Hani, C. N. (2013). O jogo dos clipsitacídeos: uma simulação do processo de seleção natural como estratégia didática para ensino de ciências. Ciência em Tela, 6(2), 1-18. Recuperado de http://www.cienciaemtela.nutes.ufrj.br/artigos/0602sa01.pdf

Rommetveit, R. (1979). Deep structure of sentence versus message structure: Some critical remarks on current paradigms, and suggestions for an alternative approach. In R. Rommetveit & R. Blakar. Studies of language, thought and verbal communication (pp.17-33. London, England: Academic Press.

Sadler, T. (2005). Evolutionary theory as a guide to socioscientific decision-making. Journal of Biological Education, 39(2), 68-72 https://doi.org/10.1080/00219266.2005.9655964

Sarmento, A. N. de H. (2016). Como ensinar citologia e promover uma visão informada de ciência no nível médio de escolaridade. (Dissertação de Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Ensino, Filosofia e História das Ciências, Universidade Federal da Bahia, Salvador, BA. Recuperado de https://ppgefhc.ufba.br/pt-br/como-ensinar-citologia-e-promover-uma-visao-informada-da-ciencia-no-nivel-medio-de-escolaridade

Scott, P., Mortimer, E. F., & Aguiar Jr., O. (2006). The tension between authoritative and dialogic discourse: A fundamental characteristic of meaning making interactions in high school science lessons. Science Education, 90(4), 605-631 https://doi.org/10.1002/sce.20131

Sepulveda, C. (2010). Perfil conceitual de adaptação: Uma ferramenta para a análise de discurso em salas de aula de biologia em contextos de ensino de evolução. (Tese de doutorado). Programa de Pós-Graduação em Ensino, Filosofia e História das Ciências, Universidade Federal da Bahia, Salvador, BA. Recuperado de https://ppgefhc.ufba.br/sites/ppgefhc.ufba.br/files/claudiasepulveda_homologacao.pdf

Sepulveda, C., & El Hani, C. N. (2008). Adaptacionismo versus exaptacionismo: o que este debate tem a dizer ao ensino de evolução? Ciência & Ambiente, 36, 93-124.

Sepulveda, C., & El-Hani, C. N. (2012). Obstáculos epistemológicos y ontológicos en la comprensión del concepto darwinista de adaptación: implicaciones en la enseñanza de evolución. In A. M. Andrade (Org.). Algunas aproximaciones a la investigación en educación en enseñanza de las Ciencias Naturales en América Latina (89-113). Bogota, Colombia: Universidad Distrital Francisco José de Caldas.

Sepulveda, C. & El-Hani, C. N. (2014) Obstáculos epistemológicos e sementes conceituais para a aprendizagem sobre adaptação: uma interpretação epistemológica e sociocultural dos desafios no ensino de evolução. Acta Scientiae, 16(2), 237-263. Recuperado de http://posgrad.ulbra.br/periodicos/index.php/acta/article/view/1159

Sepulveda, C., Meyer, D., & El-Hani, C. (2011). Adaptacionismo. In P. C. Abrantes (Org.). Filosofia da Biologia (pp. 162-192). São Paulo, SP: Artmed. Recuperado de https://repositorio.unb.br/bitstream/10482/32184/1/LIVRO_FilosofiaBiologia.pdf

Sepulveda, C., Mortimer, E. F., & El-Hani, C. N. (2013). Construção de um perfil conceitual de adaptação: implicações metodológicas para o programa de pesquisa sobre perfis conceituais e o ensino de evolução. Investigações em Ensino de Ciências, 18(2), 439-479. Recuperado de https://www.if.ufrgs.br/cref/ojs/index.php/ienci/article/view/140

Sepulveda, C., Mortimer, E. F., & El-Hani, C. N. (2014). Conceptual profile of adaptation: a tool to investigate evolution learning in biology classrooms. In E. F. Mortimer & C. N. El-Hani (Eds.). Conceptual profiles: a theory of teaching and learning scientific concepts (pp.163-200). Dordrecht, Netherlands: Springer.

Sepulveda, C., Mortimer, E. F., & El-Hani, C. N. (2020) Analyzing discursive interactions in the context of evolution teaching with a conceptual profile of adaptation. In: C. N. El-Hani, E. F. Mortimer, M. Pietrocola & M. R. Otero (Orgs.). Science Education Research in Latin America (pp. 277-306). Leiden, Netherlands: Brill. https://doi.org/10.1163/9789004409088_012

Sepulveda, C., Sarmento, A. C. de H., Guimarães, A. P. M., Muniz, C. R. R., Almeida, C. A., & El Hani, C. N. (2016). A prática social de pesquisa colaborativa e a controvérsia sobre estatuto epistemológico da pesquisa docente. In C. Sepulveda & M. Almeida (Orgs.). Pesquisa colaborativa e inovações educacionais em Ensino de Ciências (pp. 49-95). Feira de Santana, BA: UEFS Editora.

Tardif, M. (2007). Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis, RJ: Vozes.

van den Akker, J. (1999). Principles and methods of development research. In J. van Den Akker, R. M. Branch, K. Gustafson, N. Nieveen & T. Plomp (Eds.) Design approaches and tools in education and training (pp.1-4). Dordrecht, Nertherlands: Springer.

van den Akker, J., Gravemeijer, K, McKenney, S., & Nieveen, N. (Eds) (2006). Educational design research. London, England: Routledge.

Wertsch, J. V., & Hickmann, M. (1987). Problem solving in social interaction: A microgenetic analysis. In M. Hickmann (Ed.). Social and functional approaches to language and thought (pp.251-266). New York, United States of America: Academic Press.




DOI: http://dx.doi.org/10.22600/1518-8795.ienci2020v25n2p56

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Revista Investigações em Ensino de Ciências (IENCI) - ISSN: 1518-8795 

Creative Commons License