FORMADORES DE PROFESSORES: ANÁLISE DE ESTRATÉGIA QUE OS TORNAM BEM SUCEDIDOS JUNTO AOS ESTUDANTES

Ana Luiza de Quadros, Eduardo Fleury Mortimer

Resumo


Apenas nas últimas décadas a atuação dos formadores de professores, que cursaram programas de pós-graduação em campo específico do saber, tem recebido atenção, em termos de pesquisa.  Com o objetivo principal de analisar as estratégias usadas por professores de Ensino Superior que atuam na formação de professores, selecionamos quatro professores de Química, bem aceitos pelos estudantes, sendo dois que classificam as próprias aulas como mais interativas e dois como menos interativas. Para isso, gravamos em vídeo e analisamos um conjunto de aulas de cada um deles, primeiro em análise mais panorâmica e depois fazendo a microanálise. Posteriormente compartilhamos essas análises com os sujeitos investigados, para investigar como construíram essas estratégias. Observamos características comuns entre eles durante a análise panorâmica. Na microanálise, identificamos estratégias diferenciadas entre o grupo de professores cujas aulas são interativas e o daqueles cujas aulas são menos interativas. Essas estratégias foram construídas usando os professores que tiveram como modelo (para os menos interativos) ou como contramodelo (para os mais interativos). 


Palavras-chave


formação de professores; Ensino Superior; estratégias de ensino

Texto completo:

PDF

Referências


André, M. E. D. A. (2009). Etnografia da Prática Escolar. (16a ed.) São Paulo : Ed. Papirus.

Azevedo, M. A. R. de (2009). Os Saberes de Orientação dos Professores Formadores: Desafios para Ações Tutorais Emancipatórias. (Tese de Doutorado, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP). Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-17052009-190433/pt-br.php

Bakhtin, M. (1986). Speech Genres & Other Late Essays, Emerson C.& Holquist M. (Eds.) trad. Vern W. McGee. Austin: University of Texas Press.

Basei, A. P. (2011). As ações pedagógicas do professor de educação física do Ensino Superior: analogias com a trajetória formativa. Acta Scientiarum Education, 33(1), 37-47.

Bueno Filho, M. A., Fernandez, C., & Marzorati, L. (2009, novembro). Detecção dos esquemas de ação na perspectiva da teoria dos campos conceituais relativos à representação química em alunos do Ensino Superior. In Atas do VII Encontro Nacional de Pesquisa em Ciências.( p. 1-12). Florianópolis, SC. http:/www.nutes.ufrj.br/abrapec/viiienpec/resumos/R1217-1.pdf

Campos, V. T. B. (2010). Marcas indeléveis da docência no Ensino Superior: representações relativas a docência no Ensino Superior de pós-graduandos de instituições federais de Ensino Superior. (Tese de Doutorado, Universidade de São Paulo, SP). Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-14062010-123952/pt-br.php

Chamlian, H. C. (2003). Docência na Universidade: professores inovadores na USP. Cadernos de Pesquisa, 118, 41-64.

Creswell, J. W. (1998). Qualitative Inquiry and Research Design: Choosing among Five Traditions. Thousand Oaks, CA, US: Sage Publications.

Cunha, M. I. (2009). O bom professor e sua prática. (21a ed.) São Paulo: Papirus.

Enricone, D. (2007). A Universidade e a Aprendizagem da Docência. In Cunha, M. I. Reflexões e Práticas em Pedagogia Universitária. pp.145-159. Campinas: Papirus.

Ferenc, A. V. F. (2005). Como o professor universitário aprende a ensinar? Um estudo na perspectiva da socialização profissional. (Tese de doutorado). Programa de Pós Graduação em Educação, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, SP.

Garrido, E. W. (2010). O professor de metodologia de pesquisa na graduação: dilemas e desafios. (Tese de Doutorado, Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Estadual de Londrina, Londrina. PR). Recuperado de http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/DetalheObraForm.do?select_action=&co_obra=187906

Gilles, J. L., Detroz, P., Blais, J. G. (2011). An international online survey of the practices and perceptions of higher education professors with respect to the assessment of learning in the classroom. Assessment & Evaluation in Higher Education, 36(6) 719-733.

Glaser, B. G., & Strauss, A. L. (1967). The Discovery of Grounded Theory: strategies for qualitative research. New York: Aldene de Gruyter.

Goulart, G. A. R. (2013). O lugar da docência na universidade: uma análise das representações sobre o professor universitário. (Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-graduação em Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP). Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-29082013-143626/en.php

Gumperz, J. J. (1992). Contextualization and understanding. In Duranti, A. & Goodwin, C. (Eds.), Rethinking Context. (pp. 229-252) Cambridge, UK: Cambridge University Press.

Iocohama, Celso Hiroshi. (2011). O ensino do Direito e a separação dos eixos teóricos e práticos: inter-relações entre aprendizagem e ação docente. (Tese de Doutorado, Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo. São Paulo, SP). Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-06072011-105014/en.php

Kendall, K. D., & Schussler, E. E. (2012). Does Instructor Type Matter? Undergraduate Student Perception of Graduate Teaching Assistants and Professors. CBE-Life Sciences Education, 11(2), 187-199.

Klaus, M. (2011). A formação docente e a qualidade de ensino na Universidade Estadual de Londrina - UEL na percepção de coordenadores dos colegiados de cursos de graduação. (Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Estadual de Londrina, Londrina, PR). Recuperado de http://www.bibliotecadigital.uel.br/document/?code=vtls000172393

Espinosa, A. M. (2013). La individualización del aprendizaje y el trabajo cooperativo mediante las Tecnologías de la Información y la Comunicación en Educación (TICE). Desarrollo de las competencias profesionales en los estudiantes de 2º curso del Grado de Maestros en Educación. História y Comunicacion Social. 18, [Edição especial], 765-780.

Massena, E. P. (2010). A História do currículo da Licenciatura em Química da UFRJ: tensões, contradições e desafios dos Formadores de Professores (1993-2005). (Tese de Doutorado, Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ). Recuperado de http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/DetalheObraForm.do?select_action=&co_obra=200698

Moreira, J. A. M., & Monteiro, A. M. (2010). O trabalho pedagógico em cenários presenciais e virtuais no Ensino Superior. Educação, Formação & Tecnologias, 3(2), 82-94.

Mortimer, E. F., & Scott, P. H. (2003). Meaning making in secondary science classrooms. Buckingham: Open University Press.

Mortimer, E. F., Massicame, T., Buty, C., & Tiberghien (2007). Uma metodologia para caracterizar os gêneros de discurso como tipos de estratégias enunciativas nas aulas de ciências. In Nardi, R. A pesquisa em ensino de ciência no Brasil: alguns recortes. (pp 53-94) São Paulo: Escrituras Editora.

Mortimer, E. F., Quadros, A. L., Silva, A. C. A., Sá. E. F., Moro, L., Silva, P. S., Martins, R. F & Pereira, R. R. (2014). Interações entre modos semióticos e a construção de significados em aulas de Ensino Superior. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, 16(3), 121-146.

Nóvoa, A. (1999). O passado e o presente dos professores. In: Nóvoa, A. (Org.). Profissão professor. (2a ed.) (pp 13-34). Porto, Portugal: Porto Editora.

Pedrosa-de-Jesus, M. H., & Lopes, B. S. (2011). The relationship between teaching and learning conceptions, preferred teaching approaches and questioning practices. Research Papers in Education, 26(2), 223–243.

Pimentel, M. G. (1993). O Professor em Construção. Campinas: Papirus.

Pretto, N. L., & Riccio, N. C. R. (2010). A formação continuada de professores universitários e as tecnologias digitais. Educar em Revista, 37, 153-169.

Quadros, A. L., & Mortimer, E. F. (2014). Fatores que tornam o professor de Ensino Superior bem-sucedido: analisando um caso. Ciência & Educação, 20(1) 259-278.

Quadros, A. L., Silva, D. C., Silva, F. C., Silva, G. F., Oliveira, S. R., Andrade, F. P., Tristão, J. C., Santos, L. J., & Aleme, H. G. (2011). Percepção dos pós-graduandos em Química da Universidade Federal de Minas Gerais sobre a própria formação docente. Quím. Nova, São Paulo, 34(5), 893-898.

Quadros, A. L., Silva, D. C., Silva, F. C., Silva, G. F., Oliveira, S. R., Andrade, F. P., Tristão, J. C., Santos, L. J., & Aleme, H. G. (2012). Professor de Ensino Superior: o entendimento a partir de narrativas de pós-graduandos em Química. Educação e Pesquisa, 38(2), 389-402.

Ribeiro, L. R. C., & Escrivão Filho, E. (2011). Avaliação formativa no Ensino Superior: um estudo de caso. Acta Scientiarum: Human and Social Sciences, 33(1), 45-54.

Sadler, I. (2012). The influence of interactions with students for the development of new academics as teachers in higher education. Higher Education, 64(2), 147-160.

Sauloéber, T. S., & Ribeiro, B. O. L. (2012). Ensino de história da educação no Brasil: reflexões sobre o perfil de professores e suas metodologias. História da Educação, 16(36), 60-76.

Silva, L. H. A., & Schnetzler, R. P. (2006). A mediação pedagógica em uma disciplina científica como referência formativa para a docência de futuros professores de Biologia. Ciência & Educação, 12(1), 57-72.

Tsukamoto, M. H. C. (2012). Dando laços, construindo pontes: docentes universitários em busca da integração entre teoria e prática nas disciplinas ginásticas. (Tese de Doutorado, Escola de Educação Física e Esporte, Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/39/39133/tde-04062012-083403

Usak, M., Ulker, R., Oztas, F., & Terzi, I. (2013). The effects of professors' pedagogical content knowledge on elementary teacher candidates' attitude and achievement regarding biology. Anthropologist, 16(1-2), 251-261.

Vieira, R. A. G. (2013). Identidades docentes no Ensino Superior de Educação Física: recorte da cidade de Sorocaba. (Dissertação de Mestrado, Faculdade de Educação. Universidade de São Paulo, SP). Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-27062013-152508/en.php

Zanchet, B. M. B. A., & Cunha, M. I. (2007). Políticas da Educação Superior e Inovações educativas na sala de aula universitária. In Cunha, M. I. Reflexões e Práticas em Pedagogia Universitária. (pp. 179-192). Campinas: Papirus.




DOI: http://dx.doi.org/10.22600/1518-8795.ienci2016v21n1p12

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Revista Investigações em Ensino de Ciências (IENCI) - ISSN: 1518-8795 

Creative Commons License