A FUNÇÃO DO PROBLEMA: APROXIMAÇÕES ENTRE VYGOTSKY E FREIRE PARA A EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS

Simoni Tormöhlen Gehlen, Demetrio Delizoicov

Resumo


Alguns estudos na área de Educação em Ciências têm-se apoiado no pensamento de Lev S. Vygotsky para discutir aspectos que envolvem a linguagem, a Zona de Desenvolvimento Proximal (ZDP) e o processo de formação de conceitos científicos em de sala de aula, em diferentes níveis de ensino. Além disso, há pesquisadores que compartilham da concepção de que a perspectiva marxista fundamenta tanto as ideias de Vygotsky quanto as de Freire, no que concerne ao processo de humanização, e buscam estabelecer relações entre esses autores. Com o intuito de aprofundar essas relações, objetiva-se investigar articulações teóricas entre as ideias de Freire e Vygotsky que possam contribuir na elaboração e desenvolvimento de programas curriculares na Educação em Ciências. Para tal, realizou-se um estudo das principais obras de Vygotsky e Freire utilizadas no ensino de ciências brasileiro por meio da Análise Textual Discursiva. Dentre os resultados, destacam-se as relações teóricas estabelecidas entre Freire e Vygotsky, quais sejam: i) conceitos espontâneos e codificação; ii) conceitos científicos e descodificação e ii) problematização e ZDP. Essas relações se constituem em parâmetros analíticos a serem considerados no planejamento e desenvolvimento de atividades de sala de aula, bem como na organização de programas escolares, em que o ponto de partida sejam situações da vivência dos sujeitos, marcadas por contradições sociais e/ou demandas sociais, e as estruturas conceituais subordinadas à essas situações.


Palavras-chave


relações Vygotsky-Freire; programas escolares; problematização; ZDP

Texto completo:

PDF

Referências


Aguiar, O.G., & Mortimer, E. F. (2005). Tomada de consciência de conflitos: análise da atividade discursiva em uma aula de Ciências. Investigações em ensino de Ciências, 10(2), 179-207. Recuperada de http://www.if.ufrgs.br/public/ensino/revista.htm

Auler, D. (2018). Cuidado! Um cavalo viciado tende a voltar para o mesmo lugar. Curitiba, PR: Appris.

Bachelard, G. (1977). O racionalismo aplicado. Rio de Janeiro, RJ: Zahar.

Barbosa, R. G., & Batista, I. L. (2018). Vygotsky: um Referencial para Analisar a Aprendizagem e a Criatividade no Ensino da Física. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, 18(1), 49-67. https://doi.org/10.28976/1984-2686rbpec201818149

Bertanha, A., & Silva, A. F. G. (2020). A epistemologia em Freire e sua relação com o currículo da cidade de Sorocaba. Contexto & Educação, 35(111), 29-45. https://doi.org/10.21527/2179-1309.2020.111.29-45

Bonfim, V. S. (2019). O processo de humanização em atividades didático-pedagógicas de ciências: relações Vygotsky e Freire nos Três Momentos Pedagógicos. (Dissertação de mestrado). Programa de Pós-graduação em Educação em Ciências, Universidade Estadual de Santa Cruz, Ilhéus, BA. Recuperada de http://www.biblioteca.uesc.br/biblioteca/bdtd/201710071D.pdf

Boss, S. L., Souza Filho, M. P., Mianutti, J., & Caluzi, J. J. (2012). Inserção de conceitos e experimentos físicos nos anos iniciais do ensino fundamental: uma análise à luz da teoria de Vigotski. Revista Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências (Belo Horizonte), 14(3), 289-312. https://doi.org/10.1590/1983-21172012140318.

Camillo, J. (2015). Contribuições iniciais para uma filosofia da educação em ciências. (Tese de doutorado). Programa de Pós-graduação Interunidades em Ensino de Ciências: Modalidades Física e Química, Universidade São Paulo, São Paulo, SP. Recuperada de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/81/81131/tde-25112015-144311/pt-br.php

Centa, F. G., & Muenchen, C. (2016). O Despertar para uma Cultura de Participação no Trabalho com um Tema Gerador. Alexandria: Revista de Educação em Ciências e Tecnologia, 9(1), 263-291. https://doi.org/10.5007/1982-5153.2016v9n1p263

Crepalde, R. S., & Aguiar, O. G. (2016). A formação de conceitos como ascensão do abstrato ao concreto: da energia pensada à energia vivida. Investigações em Ensino de Ciências, 8(2), 299-325. Recuperado de https://www.if.ufrgs.br/cref/ojs/index.php/ienci/article/view/132

Cunha, E. L., & Dickman, A. G. (2018). O estudo da Óptica na modalidade de Educação para Jovens e Adultos (EJA) por meio de uma sequência didática diversificada. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, 35 (1), 262-289. https://doi.org/10.5007/2175-7941.2018v35n1p262

Delizoicov, D. (1991). Conhecimento, Tensões e Transições. (Tese de doutorado). Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP: FEUSP. Recuperado de https://repositorio.ufsc.br/xmlui/bitstream/handle/123456789/75757/82794.pdf

Delizoicov, D.(2002). Problemas e Problematizações. In M. Pietrocola (Org.), Ensino de Física: conteúdo, metodologia e epistemologia em uma concepção integradora (pp. 125- 150). Florianópolis, SC: UFSC.

Delizoicov, D. (2008). La Educación en Ciencias y la Perspectiva de Paulo Freire. Alexandria. Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, 1(2), 37-62. Recuperado de http://www.ppgect.ufsc.br/alexandriarevista/numero_2/artigos/demetrio.pdf.

Fleck, L. (1986). La génesis y el desarrollo de un hecho científico. Madrid, España: Alianza Universidad.

Freire, P. (1987). Pedagogia do Oprimido. (17a ed.). Rio de Janeiro, RJ: Paz e Terra.

Freire, P. (2002). Extensão ou comunicação? Rio de Janeiro, RJ: Paz e Terra.

Freire, P. (1978). Cartas à Guiné-Bissau. (2a ed.). Rio de Janeiro, RJ: Paz e Terra.

Freire, P. (1993). Política e Educação: ensaios. (12a ed.). São Paulo, SP: Cortez.

Freire, P. (2007). Ação cultural para a liberdade e outros ensaios. Rio de Janeiro, RJ: Paz e Terra.

Freire, P. (2005). Pedagogia da Esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. (12a ed.). Rio de Janeiro, RJ: Paz e Terra.

Gehlen, S. T. (2009). A função do problema no processo de ensino aprendizagem de Ciências: Contribuições de Freire e Vygotsky. (Tese de doutorado). Programa de Pós-Graduação em Educação Científica e Tecnológica, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC.

Gehlen, S. T., & Delizoicov, D. (2012). A dimensão epistemológica da noção de problema na obra de Vygotsky: implicações no ensino de ciências. Investigações em Ensino de Ciências, 17(1) 59-79. Recuperado de: http://www.if.ufrgs.br/ienci/artigos/Artigo_ID279/v17_n1_a2012.pdf

Gehlen, S.T., Maldaner, O.A. & Delizoicov, D. (2010). Freire e Vygotsky: um diálogo com pesquisas e sua contribuição na educação em ciências. Pro-Posições, 21(1) 129-148. https://doi.org/10.1590/S0103-73072010000100009.

Gehlen, S.T., Schroeder, E., & Delizoicov, D. (2007). A Abordagem histórico-cultural no Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências. Atas do VI Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências. Florianópolis, SC. Recuperado de: http://www.nutes.ufrj.br/abrapec/vienpec/CR2/p557.pdf

Góes, M. C. (2001). A construção de conhecimentos e o conceito de zona de desenvolvimento proximal. In E. F. Mortimer & A. L. Smolka (Orgs.). Linguagem, cultura e cognição: reflexões para o ensino e a sala de aula. (pp. 77-88). Belo Horizonte, MG: Autêntica.

Góes, M. C. R. (1997). As relações intersubjetivas na construção de conhecimentos. In M. C. R. Góes & A. L. Smolka (Orgs.). A Significação nos Espaços Educacionais: interação social e subjetivação. São Paulo, SP. (Coleção Magistério: Formação e Trabalho Pedagógico).

Goldmann, L. C. (1974). Ciências Humanas e Filosofia. O que é a sociologia? (4a ed.). Rio de Janeiro, RJ: Bertrand Brasil S.A.

Grimes, C., & Schoeder, E. (2015). Os conceitos científicos dos estudantes do Ensino Médio no estudo do tema “origem da vida”. Ciência & Educação (Bauru), 21(4), 959-976. http://dx.doi.org/10.1590/1516-731320150040011

Hippler, E. L.P.R. (2020). A proposta curricular de ciências no município de São Paulo (2019): aproximações e distanciamentos com a concepção educacional freireana. (Dissertação de mestrado). Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de São Carlos – Campus Sorocaba, SP.

Kuhn, T. (1975). A Estrutura das Revoluções Científicas. São Paulo, SP: Perspectiva.

Laburú, C. E., Zompero, A. F., & Barros, A. A. (2013). Vygotsky e múltiplas representações: leituras convergentes para o ensino de ciências. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, 30(1), 7-24. https://doi.org/10.5007/2175-7941.2013v30n1p7

Lambach, M. (2013). Formação permanente de professores de Química da EJA na Perspectiva Dialógico-Problematizadora Freireana. (Tese de doutorado). Programa de Pós-Graduação em Educação Científica e Tecnológica, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC. Recuperada de https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/122825

Lima Júnior, P.; Ostermann, F. & Rezende, F. (2013). Marxism in Vygostkian approaches to cultural studies of Science education. Cultural Studies of Science Education, 9(3), 543-566. https://doi.org/10.1007/s11422-013-9485-8

Maia, R. N. P., Caetano, R. R. S., & Marinho, F. (2016). Aspectos da teoria de Vigotski no processo de medição de grandezas físicas na universidade. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, 33(3), 822-838. https://doi.org/10.5007/2175-7941.2016v33n3p822

Maldaner, O. A. (2007). Situações de Estudo no Ensino Médio: nova compreensão de educação básica. In R. Nardi (Org.). Pesquisa em Ensino de Ciências no Brasil: alguns recortes (pp. 237-253). São Paulo, SP: Escrituras.

Marx, K. (1983). O capital: crítica da economia política. São Paulo, SP: Abril Cultural.

Mendonça, A. R. A. (2016). A aposta da reorientação curricular via Tema Gerador no Projeto Parnamirim Interdisciplinar. (Dissertação de mestrado). Programa de Pós-graduação em Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, RN. Recuperada de https://repositorio.ufrn.br/jspui/bitstream/123456789/24564/1/ArianeRochelleMendonca_DISSERT.pdf

Michels, I. B., & Volpato, G. (2011). Marxismo e fenomenologia nos pensamentos de Paulo Freire. Filosofia e Educação, 3(1), 122-134. https://doi.org/10.20396/rfe.v3i1.8635473

Milli, J. C. L. (2019). A Investigação Temática à luz da Análise Textual Discursiva: em busca da superação do obstáculo praxiológico do silêncio. (Dissertação de mestrado). Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências, Universidade Estadual de Santa Cruz, Ilhéus, BA. Recuperada de http://www.biblioteca.uesc.br/biblioteca/bdtd/201710065D.pdf

Miranda, A. C., Jófili, Z. M. S., Leão, A. M. A. C., & Lins, M. (2010). Alfabetização ecológica e formação de conceitos na educação infantil por meio de atividades lúdicas. Investigações em Ensino de Ciências, 15(1), 181-200. Recuperado de: https://www.if.ufrgs.br/cref/ojs/index.php/ienci/article/view/320/207

Moraes, R., & Galiazzi, M.C. (2011). Análise Textual Discursiva. Ijuí, RS: Unijuí.

Mortimer, E. F. (2000). Linguagem e formação de conceitos no Ensino de Ciências. Belo Horizonte, MG: UFMG.

Mortimer, E. F., & Scott, P. (2002). Atividade discursiva nas aulas de Ciências: uma ferramenta sociocultural para analisar e planejar o ensino. Investigações em Ensino de Ciências, 7(3), 283-306. Recuperado de http://www.if.ufrgs.br/ienci/artigos/Artigo_ID94/v7_n3_a2002.pdf

Moura, T. M. M. (2004). A Prática pedagógica dos alfabetizadores de Jovens e Adultos: Contribuições de Freire, Ferreiro e Vygotsky. (2a ed.). Maceió, AL: EDUFAL.

Nicolai, A. (1973). Comportamento econômico e estruturas sociais. São Paulo, SP: Companhia Editora Nacional.

Palinscar, A. S. (1998). Keeping the metaphor of scaffolding fresh: A response to C. Addison Stone’s “The metaphor of scaffolding: Its utility for the field of learning disabilities”. Journal of Learning Disabilities, 31, 370- 373. https://doi.org/10.1177/002221949803100406

Pereira, A. P., & Lima-Júnior, P. (2014). Implicações da perspectiva de Wertsch para a interpretação da teoria de Vygotsky no ensino de Física. Caderno Brasileiro de Ensino de Física. 31(3), 518-535. https://doi.org/10.5007/2175-7941.2014v31n3p518

Pfundt, H. ,& Duit, R. (1994). Bibliography. Students’ Alternative Frameworks and Science Education (4th ed.). Kiel, German: IPN. Institute for Science Education.

Pinto, A.V. (1960). Consciência e Realidade Nacional. Rio de Janeiro, ISEB, 1960, vol. II.

Rodríguez-Arocho, W. (2000). El tema de la conciencia en la psicología de Vygotski y en la pedagogía de Freire: implicaciones para la educa-ción. En X Encuentro Nacional de Educación y Pensamiento. San Juan/Puerto Rico. Recuperado de: http://encuentropensamiento.org/docs/el%20tema%20de%20la%20conferencia%20vygotsky,%20freire.htm

Rodrigues, A., Camillo, J., & Mattos, C. (2014). Quasi-appropriation of dialectical materialism: a criticalreading of Marxism in Vygotskian approaches to culturalstudies in science education. Cultural Studies of Science Education (on line), 9, 583-589. https://doi.org/10.1007/s11422-014-9570-7

Sangiogo, F., Halmenschlager, K. R., Hunsche, S., & Maldaner, O. A. (2013). Pressupostos epistemológicos que balizam a Situação de Estudo: algumas implicações ao processo de ensino e à formação docente. Ciência & Educação Bauru), 19(1), 35-54. http://dx.doi.org/10.1590/S1516-73132013000100004

Santos, J. O. (2019). Amaba/projeto reculturarte – o esquecido círculo de cultura da Aracaju dos anos 1980 e 1990. In P.R. Padilha & J. Abreu (Orgs.). Paulo Freire em tempos de Fake News [livro eletrônico]: artigos e projetos de intervenção produzidos durante o curso da EaD Freiriana do Instituto Paulo Freire. (pp.150-156). São Paulo, SP: Instituto Paulo Freire.

Saul, A. M. (2012). O pensamento de Paulo Freire na Educação Brasileira: análise de sistemas de ensino a partir de 1990. Currículo sem Fronteiras, 12(3), 37-56. Recuperado de: http://www.curriculosemfronteiras.org/vol12iss3articles/saul.pdf

Silva, A. F. G. (2004). A construção do currículo na perspectiva popular crítica: das falas significativas às práticas contextualizadas. (Tese de Doutorado). Programa de Pós-graduação em Educação, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, SP. Recuperada de https://tede2.pucsp.br/handle/handle/22098

Schaffer, R. H. (2002). Episódios de envolvimento conjunto como contexto para o desenvolvimento. In: H. Daniels, (Org.). Uma introdução a Vygotsky. (Trad. Marcos Bagno). São Paulo, SP: Loyola.

Sodré, F. (2017). Uma proposta de levantamento de Perfil Conceitual Complexo de Tempo. (Tese de doutorado em Ensino de Ciências: Modalidades Física e Química, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP. Recuperada de https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/81/81131/tde-10072018-134104/pt-br.php

Solino, A. P. (2017). Potenciais Problemas Significadores em aulas investigativas: contribuições da perspectiva histórico-cultural. (Tese de doutorado). Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP. Recuperada de https://teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-14072017-171353/pt-br.php

Solino, A. P., & Sasseron, L. H. (2018). Investigando a significação de problemas em sequências de ensino investigativa. Investigações em Ensino de Ciências, 23(2), 104-129. http://dx.doi.org/10.22600/1518-8795.ienci2018v23n2p104

Vygotsky, L. S. (2005). Pensamento e Linguagem. (3a ed. Trad. Jefferson Luiz Camargo). São Paulo, SP: Martins Fontes.

Vygotsky, L. S. (2001). A Construção do Pensamento e da Linguagem. (Trad. Paulo Paulo Bezerra). São Paulo, SP: Martins Fontes.

Vygotsky, L. S. (1998). A Formação Social da Mente. (6a ed.). São Paulo, SP: Martins Fontes.

Vygotsky, L. S. (1982). Incluye Pensamento y Lenguaje: Conferencias sobre Psicología. Obras Escogidas II. Coleción Aprendizaje. (Trad. José María Bravo). Madrid, España: Visor.

Vande Der Verr, R. & Valsiner, J. (1996). Vygotsky: uma síntese. (Trad. Cecília C. Bartalotti). São Paulo, SP: Loyola.

Wenzel, J. S., & Maldaner, O. A. (2016). A prática da escrita e da reescrita orientada no processo de significação conceitual em aulas de química. Revista Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências (Belo Horizonte), 18(2),129-146. http://dx.doi.org/10.1590/1983-21172016180206

Zanella, A. V. (2001). Vygotski: contexto, contribuições à psicologia e o conceito de zona de desenvolvimento proximal. Itajaí, SC: UNIVALI.

Wertsch, J. V. (1998). Vygotsky y la formación social de la mente. Barcelona, España: Paidós.




DOI: http://dx.doi.org/10.22600/1518-8795.ienci2020v25n2p347

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Revista Investigações em Ensino de Ciências (IENCI) - ISSN: 1518-8795 

Creative Commons License