A DIVERSIDADE DE PESQUISAS DE NATUREZA INTERVENTIVA DENTRO DA PRODUÇÃO ACADÊMICA EM ENSINO DE BIOLOGIA: UMA ANÁLISE TEÓRICO-METODOLÓGICA

Paulo Marcelo Marini Teixeira

Resumo


A partir da identificação de 1000 Dissertações e Teses (DT) em Ensino de Biologia, selecionamos estudos caracterizados como Pesquisas de Natureza Interventiva (PNI). Tomando como marco teórico um conjunto de autores dedicados a estabelecer reflexões teóricas e metodológicas sobre as pesquisas desenvolvidas na área educacional, foi desenvolvida uma análise das informações relativas ao delineamento metodológico desses trabalhos comparativamente a um esquema munido de critérios utilizados para definir diferentes modalidades nas quais o desenvolvimento da investigação caminhou ligado a alguma forma de ação-intervenção. Os resultados indicam a existência de diferentes modalidades de trabalhos dessa natureza, trazendo exemplos para ilustrar e caracterizar cada caso. Revelamos que em parte das DT há confusão dos autores quanto ao design do trabalho de pesquisa desenvolvido, expressando, em certo sentido, a fragilidade teórico-metodológica caracterizadora de parte da produção acadêmica na área. No final do artigo, destacamos o significativo número de PNI identificadas, apontando reflexões para a tendência no sentido de que os resultados das pesquisas sejam aplicados diretamente nos processos de ensino e aprendizagem em sala-de-aula (micro-contexto). Adicionalmente, indicamos também o baixo número de trabalhos de parcerias colaborativas e de pesquisa-ação. Finalizamos o texto com algumas reflexões sobre problemas merecedores de atenção por parte dos pesquisadores quando pensamos nos rumos da área para os próximos anos.


Palavras-chave


Produção Acadêmica; Modalidades de Pesquisa; Intervenção; Educação em Ciências

Texto completo:

PDF

Referências


Alves-Mazzotti, A. J. (2006). Usos e abusos dos estudos de caso. Cadernos de Pesquisa, 36(129), 637-51.

Alves-Mazzotti, A. J. (2001). Relevância e aplicabilidade da pesquisa em educação. Cadernos de Pesquisa,113, 39-50.

André, M. (2006). Pesquisa em educação: desafios contemporâneos. Pesquisa em Educação Ambiental, 1(1), 43-57.

André, M. (2001). Pesquisa em educação: buscando rigor e qualidade. Cadernos de Pesquisa, 113, 51-64.

André, M. (1995). Diferentes tipos de pesquisa qualitativa. In M. André. Etnografia da prática escolar (27-33). Campinas, SP: Papirus.

Araújo Junior, A. C. (2011). Histórias de vida penduradas em cordel: uma experiência de troca de saberes no ensino de Biologia para jovens e adultos. (Dissertação de Mestrado Profissional em Ensino de Ciências). Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências, Universidade de Brasília, DF. Doc. 809.

Azevedo, A. B. (1982). A compreensão do texto didático de Ciências: propostas para um esquema de melhoria. (Dissertação de Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática). Instituto de Matemática, Estatística e Ciência da Computação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas. Doc. 161.

Barbier, R. (2007). A pesquisa-ação. Brasília/DF: Líber.

Bogdan, R., & Biklen, S. (2010). Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto, Portugal: Porto Editora.

Borg, W. R., & Gall, M. D. (1989). Educational research: an introduction. New York: Longman.

Brandão, C. R. (2006). A pesquisa participante e a participação da pesquisa: um olhar entre tempos e espaços a partir da América Latina. In C. R. Brandão & D. R. Streck, D. R. Pesquisa participante: o saber da partilha (21-54). Aparecida, SP: Ideias & Letras.

Campbell, D. T., & Stanley, J. C. (1979). Delineamentos experimentais e quase experimentais de pesquisa. São Paulo, SP: EPU.

Campos, M. M. (2006). Pesquisa em educação: algumas questões para debate. Educação & Linguagem, 9(14), 46-58.

Campos, M. M. (2009). Para que serve a pesquisa em educação? Cadernos de Pesquisa, 39(136), 269-283.

Capes. (2016). Documento de Área: Área de Ensino. Brasília, DF: CAPES.

Carvalho, W. (2001). O componente estético no currículo de Biologia do Ensino Médio: recuperando o fascínio de aprender e ensinar a ciência da vida. (Tese de doutorado). Faculdade de Educação, Pontifícia Universidade Católica - SP. Doc. 109.

Charles, C. M. (1988). Introduction to educational research. New York: Longman.

Cheng, C. (2008). Rompendo a “tensão superficial" para educação em Ciências. (Dissertação de mestrado). Instituto de Ciências Biomédicas, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ. Doc. 541.

Chisté, P. S. (2016). Pesquisa-Ação em mestrados profissionais: análise de pesquisas de um

programa de pós-graduação em ensino de ciências e de matemática. Ciência & Educação (Bauru), 22(3), 789-808.

Chizzotti, A. (2006). Pesquisa qualitativa em Ciências Humanas e Sociais. Petrópolis, RJ: Vozes.

Denzin, N. K., & Lincoln, Y. S. (2006). O planejamento da pesquisa qualitativa: teorias e abordagens. Porto Alegre,RS: Artmed.

Demo, P. (2004). Pesquisa participante: saber pensar e intervir juntos. Brasília, DF: Líber.

Dionne, H. (2007). A pesquisa-ação para o desenvolvimento local. Brasília, DF: Líber.

Dresch, A., Lacerda, D. P., & Antunes JR., J. A. (2015). Design science research: método de

pesquisa para avanço da ciência e tecnologia. Porto Alegre, RS: Bookman.

El Andaloussi, K. (2004). Pesquisas-Ações: ciências, desenvolvimento, democracia. São Carlos, SP: EdUFSCar.

Franco, M. A. S. (2005). Pedagogia da Pesquisa-Ação. Educação e Pesquisa, 31(3), 483-502.

Franco, M. L. P. B. (2008). Análise de conteúdo. Brasília, DF: Líber.

Freitas, D. (1998). Mudança conceitual em sala de aula: uma experiência com formação inicial de professores. (Tese de doutorado). Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP. Doc. 101.

Gatti, B. (2001). Implicações e perspectivas da pesquisa educacional no Brasil contemporâneo. Cadernos de Pesquisa, 113, 65-81.

Gatti, B. (2000). A produção da pesquisa em Educação no Brasil e suas implicações socio-político-educacionais: uma perspectiva da contemporaneidade. Atas da III Conferência de Pesquisa Sócio-Cultural. Campinas, SP.

Ghedin, E., & Franco, M. A. S. (2008). Questões de método na construção da pesquisa em educação. São Paulo, SP: Cortez.

Ibiapina, I. M. L. M. (2008). Pesquisa colaborativa: investigação, formação e produção de conhecimentos. Brasília, DF: Líber.

Kneubil, F. B., & Pietrocola, M. (2017). A pesquisa baseada em design: visão geral e contribuições para o Ensino de Ciências. Investigações em Ensino de Ciências, 22(2), 1–18

Laville, C., & Dionne, J. (1999). A construção do saber: manual de metodologia da pesquisa em ciências humanas. Porto Alegre, RS: Artmed.

Lüdke, M., & André, M. (2013). Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. Rio de Janeiro, RJ: EPU.

Lüdke, M., & Cruz, G. B. (2005). Aproximando universidade e escola de educação básica pela pesquisa. Cadernos de Pesquisa, 35(125), 81-109.

Maciel, F. G., Passos, M. M., & Arruda, S. M. (2018). Pesquisas em ensino de ciências com metodologia interventiva. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, 18(2), 549-579.

Mallmann, E. M. (2015). Pesquisa-ação educacional: preocupação temática, análise e interpretação crítico-reflexiva. Cadernos de Pesquisa, 45(155), 76-98.

Matta, A. E. R., Silva, F. P. S., & Boaventura, E. M. (2014). Design-based research ou pesquisa de desenvolvimento: metodologia para pesquisa aplicada de inovação em Educação do século XXI. Educação e Contemporaneidade, 23(42), 23–36.

Megid Neto, J. (2014). Origens e desenvolvimento do campo de pesquisa em Educação em Ciências no Brasil. In R. Nardi & T. V. O. Gonçalves. A pós-graduação em Ensino de Ciências e Matemática no Brasil: memórias, programas e consolidação da pesquisa na área (98-139). São Paulo, SP: ELF.

Megid Neto, J. (1999). Tendências da pesquisa acadêmica sobre o ensino de ciências no nível fundamental. (Tese de doutorado). Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP.

Miranda, M. G., & Resende, A. C. A. (2006). Sobre a pesquisa-ação na educação e as armadilhas do praticismo. Revista Brasileira de Educação, 11(33), 511-18.

Molina, R. (2007). A pesquisa-ação/investigação-ação no Brasil: mapeamento da produção (1966-2002) e os indicadores internos da pesquisa-ação colaborativa. (Tese de doutorado). Programa de Pós-Graduação de Enfermagem, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP.

Molina, R., & Garrido, E. (2010). A produção acadêmica sobre pesquisa-ação em educação no Brasil: mapeamento das dissertações e teses defendidas no período 1966-2002. Revista Brasileira de Pesquisa sobre Formação Docente, 2(2), 27-40.

Morin, A. (2004). Pesquisa-ação integral e sistêmica: uma antropopedagogia renovada. Rio de Janeiro, RJ: DP&A.

Moreira, M. A. (2011). Metodologias de Pesquisa em Ensino. São Paulo, SP: Livraria da Física.

Moreira, M. A. (2004). O mestrado (profissional) em ensino. Revista Brasileira da Pós-Graduação, 1, 131-142.

Moreira, M. A. (2004a). Pesquisa básica em Educação em Ciências: uma visão pessoal. Revista Chilena de Educación Científica, 3(1), 10-17.

Mortimer, E. F. (2002). Uma agenda para a pesquisa em Educação em Ciências. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, 2(1), 25-35.

Nale, N. (1973). Análise de um curso programado individualizado de Biologia. (Tese de doutorado). Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Assis, Universidade Estadual Paulista, Assis, SP. Doc. 43.

Oliveira, S. S. (2004). Refletindo uma prática pedagógica no ensino de ciências baseada na alfabetização científica: relato de uma parceria entre professora e pesquisador. (Dissertação de Mestrado em Educação em Ciências e Matemática). Núcleo Pedagógico de Apoio ao Desenvolvimento Científico, Universidade Federal do Pará. Belém, PA. Doc. 262.

Ostermann, F., & Rezende, F. (2009). Projetos de desenvolvimento e de pesquisa na área de Ensino de Ciências e Matemática: uma reflexão sobre os mestrados profissionais. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, 26(1), 66-80.

Pórlan, R. (2018). Didáctica de las ciencias con consciencia. Enseñanza de las Ciencias, 36(3), 5-22.

Salem, S. (2012). Perfil, evolução e perspectivas da pesquisa em Ensino de Física no Brasil. (Tese de doutorado em Ensino de Ciências). Universidade de São Paulo, São Paulo, SP.

Sánches Gamboa, S. (2007). Pesquisa em educação: métodos e epistemologias. Chapecó, SC: Argos.

Sarraipa, M. F. (2009). Desenvolvimento e avaliação de um método para ensino da glicólise baseado na montagem da via metabólica assistida por computador. (Dissertação de mestrado). Instituto de Biologia, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP. Doc. 664.

Soares, M. (2006). Pesquisa em educação no Brasil: continuidades e mudanças. Um caso exemplar: a pesquisa sobre alfabetização. Perspectiva, 24(2), 393-417.

Sudan, D. C. (2005). Saberes em construção de uma professora que pesquisa a própria prática. (Dissertação de mestrado em Educação). Centro de Educação e Ciências Humanas, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, SP. Doc. 949.

Tardif, M., & Zourhlal, A. (2005). Difusão da pesquisa educacional entre profissionais do ensino e círculos acadêmicos. Cadernos de Pesquisa, 35(125), 13-35, 2005.

Teixeira, P. M. M. (2008). Pesquisa em Ensino de Biologia no Brasil (1972-2004): um estudo baseado em dissertações e teses. (Tese de doutorado em Educação). Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP.

Teixeira, P. M. M., & Megid Neto, J. (2018). Sobre a pesquisa-ação nas dissertações e teses em Ensino de Biologia (1972-2011). Alexandria: Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, 11(1), 283-308.

Teixeira, P. M. M., & Megid Neto, J. (2017). Uma proposta de tipologia para pesquisas de natureza interventiva. Ciência & Educação (Bauru), 23(4), 1055-1076.

Teixeira, P. M. M., & Megid Neto, J. (2017a). A Produção Acadêmica em Ensino de Biologia no Brasil – 40 anos (1972–2011): Base Institucional e Tendências Temáticas e Metodológicas. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, 17(2), 521-549.

Thiollent, M. (2011). Metodologia da pesquisa-ação. São Paulo, SP: Cortez.

Villar, L. O. P. (1981). Como lograr un aprendizaje significativo através de la enseñanza de la Biologia. (Dissertação de mestrado em Ensino de Ciências e Matemática). Instituto de Matemática, Estatística e Ciência da Computação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP. Doc. 62.

Zeichner, K. M., & Diniz-Pereira, J. E. (2005). Pesquisa de educadores e formação docente voltada para a transformação social. Cadernos de Pesquisa, 35(125), 63-80.




DOI: http://dx.doi.org/10.22600/1518-8795.ienci2020v25n1p140

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Revista Investigações em Ensino de Ciências (IENCI) - ISSN: 1518-8795 

Creative Commons License