AS RADIAÇÕES NA MEDICINA: O QUE DIZEM LIVROS DIDÁTICOS DE FÍSICA DO ENSINO MÉDIO?

André Coelho da Silva

Resumo


Tomando os livros didáticos como suporte privilegiado dos conteúdos educativos, objetivamos compreender de que forma livros didáticos de Física abordam a temática da utilização das radiações na Medicina. Fundamentados em noções de Análise de Discurso, analisamos se e como nove coleções aprovadas pelo PNLD-2018 o fazem em termos: da extensão e dos momentos dedicados ao assunto; da acurácia e do detalhamento conceitual; e das visões sobre as inter-relações entre Ciência, Tecnologia e Sociedade. Em média, cada coleção dedicou menos de duas páginas ao assunto, especialmente nos livros destinados ao 3º ano e em capítulos sobre ondas eletromagnéticas e Física Moderna. Os tópicos mais abordados foram radiografia, radioterapia e Medicina Nuclear. Encontramos imprecisões que acabam dificultando ou até mesmo interditando a possibilidade de produção de sentidos pertinentes do ponto de vista científico em onze trechos. Consideramos também que 28 trechos poderiam ter sido melhor detalhados com o objetivo de possibilitar menor abrangência no espectro de sentidos possíveis e, consequentemente, maior esclarecimento aos leitores. De forma geral, os trechos consultados evidenciam uma visão pouco crítica sobre as inter-relações entre Ciência, Tecnologia e Sociedade, predominando o entendimento da Física como maior promotora do progresso. Por fim, tendo em vista os resultados obtidos, sugerimos tópicos cuja presença nos livros didáticos poderia contribuir junto à formação de cidadãos conscientes e críticos sobre aspectos e problemas contemporâneos.


Palavras-chave


Radiações; Medicina; Livros Didáticos; Física; Ensino Médio

Texto completo:

PDF

Referências


Abramowicz, J. S. (2013). Benefits and risks of ultrasound in pregnancy. Seminars in Perinatology, 37(5), 295-300. https://dx.doi.org/10.1053/j.semperi.2013.06.004

Bergmann, A. G., & Dominguini, L. (2015). Análise do Conteúdo Serpentes nos Livros Didáticos de Ciências do 7º Ano do Município de Blumenau. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, 15(2), 259-273. Recuperado de https://seer.ufmg.br/index.php/rbpec/article/view/2517

Bilaniuk, L. T., & Bilaniuk, O. M. (1984). NMR imaging in medicine. Physics Education, 19(5), 247-252. https://dx.doi.org/10.1088/0031-9120/19/5/005

Bonagamba, T. J., Capelle, K. W., & Azevedo, E. R. (2005). A RMN e suas aplicações atuais. Ciência Hoje, 37(221), 40-48. Recuperado de http://cienciahoje.org.br/artigo/a-rmn-e-suas-aplicacoes-atuais/

Borges, O. (2006). Formação inicial de professores de Física: Formar mais! Formar melhor! Revista Brasileira de Ensino de Física, 28(2), 135-142. Recuperado de http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1806-11172006000200003&script=sci_abstract&tlng=pt

Chazan, L. K. (2003). O Corpo Transparente e o Panóptico Expandido: Considerações sobre as Tecnologias de Imagem nas Reconfigurações da Pessoa Contemporânea. PHYSIS: Revista de Saúde Coletiva, 13(1), 193-214. https://dx.doi.org/10.1590/S0103-73312003000100009

Chiquetto, M. J., & Krapas, S. (2012). Livros didáticos baseados em apostilas: como surgiram e por que foram amplamente adotados. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, 12(3), 173-191. Recuperado de https://seer.ufmg.br/index.php/rbpec/article/view/2451

Choppin, A. (2004). História dos livros e das edições didáticas: sobre o estado da arte. Educação e Pesquisa, 30(3), 549-566. https://dx.doi.org/10.1590/S1517-97022004000300012

Colucci, C. (2017a). 'De cara, me ofereceram participação financeira nos exames', relata médico. Folha de São Paulo, 25 de abril. Recuperado de https://www1.folha.uol.com.br/colunas/claudiacollucci/2017/04/1878129-de-cara-me-ofereceram-participacao-financeira-nos-exames-relata-medico.shtml

Colucci, C. (2017b). Hospitais premiam médicos que indicam mais exames. Folha de São Paulo, 26 de fevereiro. https://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/2017/02/1861919-hospitais-premiam-medicos-que-indicam-mais-exames.shtml

Constituição da República Federativa do Brasil, de 05 de outubro de 1988. (1988). Brasília, DF: Presidência da República, Casa Civil. Recuperado de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituicao.htm

Cordeiro, M. D., & Peduzzi, L. O. Q. (2013). Consequências das descontextualizações em um livro didático: uma análise do tema radioatividade. Revista Brasileira de Ensino de Física, 35(3), 3602-3612. https://dx.doi.org/10.1590/S1806-11172013000300027

Corneliussen, S. T. (2014). Are we “silently irradiating ourselves to death” in medical imaging? Physics Today, 10 de fevereiro. Recuperado de https://physicstoday.scitation.org/do/10.1063/PT.5.8031/full/

Cuppari, A., Rinaudo, G., Robutti, O., & Violino, P. (1997). Gradual introduction of some aspects of quantum mechanics in a high school curriculum. Physics Education, 32(5), 302-308. https://dx.doi.org/10.1088/0031-9120/32/5/012

Decreto-Lei n. 1.006, de 30 de dezembro de 1938 (1938). Estabelece as condições de produção, importação e utilização do livro didático, Diário Oficial da União. Rio de Janeiro, RJ: Diário Oficial da União. Recuperado de http://www2.camara.leg.br/legin/fed/declei/1930-1939/decreto-lei-1006-30-dezembro-1938-350741-publicacaooriginal-1-pe.html

Ferreira, M. (2013). O efeito das radiações ionizantes em doses baixas – cinco décadas de disputa. Com Ciência: revista eletrônica de jornalismo científico, (152). Recuperado de http://comciencia.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-76542013000800008&lng=es&nrm=iso

Garcia, N. M. D. (2012). Livro didático de Física e de Ciências: contribuições das pesquisas para a transformação do ensino. Educar em Revista, (44), 145-163. https://dx.doi.org/10.1590/S0104-40602012000200010

Garcia, N. M. D. (2017). O Livro Didático de Física e de Ciências em Foco: dez anos de pesquisa. São Paulo, SP: Livraria da Física.

Gardner, P. L. (1999). The representation of science-technology relationships in Canadian physics textbooks. International Journal of Science Education, 21(3), 329-347. https://dx.doi.org/10.1080/095006999290732

Gibson, A. P., Cook, E., & Newing, A. (2006). Teaching Medical Physics. Physics Education, 41(4), 301-306. https://dx.doi.org/10.1088/0031-9120/41/4/001

Guerra, A., Braga, M., & Reis, J. C. (2007). Teoria da relatividade restrita e geral no programa de mecânica do ensino médio: uma possível abordagem. Revista Brasileira de Ensino de Física, 29(4), 575-583. Recuperado de http://www.sbfisica.org.br/rbef/pdf/070304.pdf.

Hershkovitz, R., Sheiner, E., & Mazor, M. (2002). Ultrasound in obstetrics: a review of safety. European Journal of Obstetrics & Gynecology and Reproductive Biology, 101(1), 15-18. https://dx.doi.org/10.1016/S0301-2115(01)00469-9

Johansson, K. E., Nilsson, C., & Tegner, P. E. (2006). An educational PET camera model. Physics Education, 41(5), 437-439. https://dx.doi.org/10.1088/0031-9120/41/5/009

Keevil, S. F. (2001). Magnetic resonance imaging in medicine. Physics Education, 36(6), 476-485. https://dx.doi.org/10.1088/0031-9120/36/6/305

Lajolo, M. (1996). Livro didático: um (quase) manual de usuário. Revista em Aberto, 16(69), 45-50. https://dx.doi.org/10.24109/2176-6673.emaberto.16i69.2061

Langhi, R., & Nardi, R. (2012). Trajetórias formativas docentes: buscando aproximações na bibliografia sobre formação de professores. Alexandria: Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, 5(2), 7-28. Recuperado de https://periodicos.ufsc.br/index.php/alexandria/article/view/37710

Lima, R. S., Afonso, J. C., & Pimentel, L. C. F. (2009). Raios-X: fascinação, medo e ciência. Química Nova, 32(1) 263-270. https://dx.doi.org/10.1590/S0100-40422009000100044

Machado, D. I., & Nardi, R. (2007). Construção e validação de um sistema hipermídia para o ensino de física moderna. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, 6(1), 90-116. Recuperado de http://reec.uvigo.es/volumenes/volumen6/ART6_Vol6_N1.pdf

Martins, I. (2006). Analisando livros didáticos na perspectiva dos Estudos do Discurso: compartilhando reflexões e sugerindo uma agenda para a pesquisa. Pro-Posições, 17(1), 117-136. Recuperado de https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8643659

Martins, R. A. (1998). A descoberta dos raios X: o primeiro comunicado de Röntgen. Revista Brasileira de Ensino de Física, 20(4), 373-391. Recuperado de http://www.sbfisica.org.br/rbef/pdf/v20_373.pdf

Martins, R. A. (2003). As primeiras investigações de Marie Curie sobre elementos radioativos. Revista da Sociedade Brasileira de História da Ciência, 1(1), 29-41. Recuperado de http://www.ghtc.usp.br/server/pdf/curie-a1.pdf

Martins, R. A. (1990). Como Becquerel não descobriu a radioatividade. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, 7(n. esp.), 27-45. Recuperado de https://periodicos.ufsc.br/index.php/fisica/article/viewFile/10061/14903

Martins, R. A. (2004). Hipóteses e interpretação experimental: a conjetura de Poincaré e a descoberta da hiperfosforescência por Becquerel e Thompson. Ciência & Educação (Bauru), 10(3), 501-516. https://dx.doi.org/10.1590/S1516-73132004000300013

Martins, R. A. (1997). Investigando o invisível: as pesquisas sobre raios X logo após a sua descoberta por Röntgen. Revista da Sociedade Brasileira de História da Ciência, (17), 81-102. Recuperado de https://www.sbhc.org.br/arquivo/download?ID_ARQUIVO=207

MCTI – Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. (2014). Diretrizes Básicas de Proteção Radiológica (Resolução CNEN 164/14). Comissão Nacional de Energia Nuclear. Brasília, DF: MCTI/CNEN. Recuperado de http://appasp.cnen.gov.br/seguranca/normas/pdf/Nrm301.pdf

MEC – Ministério da Educação. (2002). Orientações Educacionais Complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN +) – Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias. Brasília, DF: MEC. Recuperado de http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/CienciasNatureza.pdf

MEC – Ministério da Educação. (2017). Programas do Livro – Histórico. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Brasília, DF: MEC/FNDE. Recuperado de http://www.fnde.gov.br/programas/programas-do-livro/livro-didatico/historico

MEC – Ministério da Educação. (2018). Base Nacional Comum Curricular. Brasília, DF: MEC. Recuperado de http://basenacionalcomum.mec.gov.br

Medeiros, M. A., & Lobato, A. C. (2010). Contextualizando a abordagem de radiações no ensino de química. Ensaio: Pesquisa em Educação em Ciências, 12(3), 65-84. https://dx.doi.org/10.1590/1983-21172010120306

Michael, G. (2001). X-ray computed tomography. Physics Education, 36(6), 442-451. https://dx.doi.org/10.1088/0031-9120/36/6/301

Miquelin, A. F., Freitas, M. S. T., Miquelin, C. A., & França, A. C. (2012). Reflexões sobre os conteúdos envolvendo radiologia em alguns livros didáticos de ensino médio de física e química relacionados ao PNLEM. In XIV Encontro de Pesquisa em Ensino de Física (EPEF). Maresias, SP. Recuperado de http://www.sbf1.sbfisica.org.br/eventos/epef/xiv/sys/resumos/T0356-1.pdf

Moreira, M. A. (2000). Ensino de Física no Brasil: retrospectiva e perspectivas. Revista Brasileira de Ensino de Física, 22(1), 94-99. Recuperado de http://www.sbfisica.org.br/rbef/pdf/v22a13.pdf

Moreira, M. C. A., & Martins, I. (2015). A recontextualização de discursos da pesquisa em educação em ciências em livros didáticos de ciências: um estudo de caso. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, 15(2), 237-257. Recuperado de https://seer.ufmg.br/index.php/rbpec/article/view/2516

Navarro, M. V. T., Leite, H. J. D., Alexandrino, J. C., & Costa, E. A. (2008). Controle de riscos à saúde em radiodiagnóstico: uma perspectiva histórica. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, 15(4), 1039-1047. https://dx.doi.org/10.1590/S0104-59702008000400009

Okuno, E. (2013). Efeitos biológicos das radiações ionizantes - Acidente radiológico de Goiânia. Estudos Avançados, 27(77), 185-199. https://dx.doi.org/10.1590/S0103-40142013000100014

Okuno, E. (1988). Radiação: efeitos, riscos e benefícios. São Paulo, SP: Harbra.

Okuno, E., & Yoshimura, E. M. (2010). Física das radiações. São Paulo, SP: Oficina de Textos.

Orlandi, E. P. (1987). A linguagem e seu funcionamento: as formas do discurso. São Paulo, SP: Pontes.

Orlandi, E. P. (1997). As Formas do Silêncio: no movimento dos sentidos. Campinas, SP: Unicamp.

Orlandi, E. P. (2000). Discurso e leitura. (5a ed.). São Paulo e Campinas. SP: Cortez e Unicamp.

Orlandi, E. P. (2001). Apresentação: Cidade Atravessada. In E. P. Orlandi (Org.). Cidade atravessada: os sentidos públicos no espaço urbano (pp. 7-8). Campinas, SP: Pontes.

Orlandi, E. P. (2008). Silêncios: presença e ausência. Com Ciência: Revista Eletrônica de Jornalismo Científico, (101). Recuperado de http://comciencia.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-76542008000400007

Ortega, F. (2006). O corpo transparente: visualização médica e cultura popular no século XX. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, 13 (suplemento), 89-107. https://dx.doi.org/10.1590/S0104-59702006000500006

Osei, E. K, & Darko, J. (2013). A Survey of Organ Equivalent and Effective Doses from Diagnostic Radiology Procedures. ISRN Radiology, 2013, 1-9. https://dx.doi.org/10.5402/2013/204346

Ostermann, F., & Cavalcanti, C. J. H. (1999). Física moderna e contemporânea no ensino médio: elaboração de material didático, em forma de pôster, sobre partículas elementares e interações fundamentais. Caderno Catarinense de Ensino de Física, 16(3), 267-286. Recuperado de https://periodicos.ufsc.br/index.php/fisica/article/view/6795/6275

Paiva, E. (2016). The Inverse-Square Law and the Exponential Attenuation Law Used to the Shielding Calculation in Radiotherapy on a High School Level. The Physics Teacher, 54(4), 239-242. https://dx.doi.org/10.1119/1.4944368

Pena, F. L. A. (2006). Por que, nós professores de Física do Ensino Médio, devemos inserir tópicos e ideias de física moderna e contemporânea na sala de aula? Revista Brasileira de Ensino de Física, 28(1), 1-2. Recuperado de http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-11172006000100001

Pinto, A. C., & Zanetic, J. (1999). É possível levar a Física Quântica para o ensino médio? Caderno Catarinense de Ensino de Física, 16(1), 7-34. Recuperado de https://periodicos.ufsc.br/index.php/fisica/article/view/6873/6333

Quadros, A. L., Carvalho, E., Coelho, F. S., Salviano, L., Gomes, M. F. P. A., Mendonça, P. C., & Barbosa, R. K. (2005). Os professores que tivemos e a formação da nossa identidade como docentes: um encontro com nossa memória. Ensaio: Pesquisa em Educação em Ciências, 7(1), 4-11. https://dx.doi.org/10.1590/1983-21172005070102

Redberg, R. F., & Smith-Bindman, R. (2014). We are giving ourselves cancer. The New York Times, Opinion Pages, Jan. 30. Recuperado de https://www.nytimes.com/2014/01/31/opinion/we-are-giving-ourselves-cancer.html

Rego, F., & Peralta, L. (2006). Portuguese students’ knowledge of radiation physics. Physics Education, 41(3), 259-262. https://dx.doi.org/10.1088/0031-9120/41/3/009

Robilotta, C. C. (2006). A tomografia por emissão de pósitrons: uma nova modalidade na medicina nuclear brasileira. Revista Panamericana de Salud Pública, 20(2/3), 134-142. Recuperado de https://www.scielosp.org/article/ssm/content/raw/?resource_ssm_path=/media/assets/rpsp/v20n2-3/10.pdf

Rodríguez, L. V., & Terris, M. K. (2000). Risks and complications of transrectal ultrasound. Current Opinion in Urology, 10(2), 111-116. https://dx.doi.org/10.1097/00005392-199812010-00045

Ronen, M., & Ganiel, U. (1988). From assumption of knowledge to knowledgeable considerations: a class activity on ‘ionizing radiation and its biological effects’. International Journal of Science Education, 10(5), 523-529. https://dx.doi.org/10.1080/0950069880100505

Ronen, M., & Ganiel, U. (1989a). Physics in Medical Diagnosis: implementation and evaluation of an applied science unit for high school. Research in Science & Technological Education, 7(1), 93-108. https://dx.doi.org/10.1080/0263514890070110

Ronen, M., & Ganiel, U. (1989b) Physics in action - visiting a hospital. Physics Education, 24(1), 18-21. https://dx.doi.org/10.1088/0031-9120/24/1/307

Santomé, J. T. (1998). Globalização e Interdisciplinaridade: o currículo integrado. Porto Alegre, RS: Artmed.

Schirmer, S. B., & Sauerwein, I. P. S. (2017). Livros didáticos em publicações na área de ensino: contribuições para análise e escolha. Investigações em Ensino de Ciências, 22(1), 23-41. https://dx.doi.org/10.22600/1518-8795.ienci2017v22n1p23

Schmidt, R. H. (1973). X-ray physics for radiologic technologists. St. Louis, United States of America: W. H. Green.

Schnetzler, R. P. (1981). Um estudo sobre o tratamento do conhecimento químico em livros didáticos brasileiros dirigidos ao ensino secundário de Química de 1875 a 1978. Química Nova, 4(1), 6-15. Recuperado de http://quimicanova.sbq.org.br/detalhe_artigo.asp?id=3443

Sienkiewicz, Z. (2013). International Workshop on Non-Ionizing Radiation Protection in Medicine. Medical Physics, 40(11), 1-7. https://dx.doi.org/10.1118/1.4824921

Silva, A. C., & Almeida, M. J. P. M. (2011). Física Quântica no Ensino Médio: o que dizem as pesquisas. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, 28(3), 624-652. Recuperado de https://periodicos.ufsc.br/index.php/fisica/article/view/2175-7941.2011v28n3p624

Silva, D. N. G., & Pereira, M. V. (2011). Análise preliminar da temática radiações ionizantes em livros didáticos do nono ano do ensino fundamental. In XIX Simpósio Nacional de Ensino de Física (SNEF). Manaus, AM, Brasil. Recuperado de http://www.sbf1.sbfisica.org.br/eventos/snef/xix/sys/resumos/T0015-3.pdf

Silva, G. S., Braibante, M. E. F., & Pazinato, M. S. (2013). Os recursos visuais utilizados na abordagem dos modelos atômicos: uma análise nos livros didáticos de Química. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, 13(2), 159-182. Recuperado de https://seer.ufmg.br/index.php/rbpec/article/view/2470

Silveira, E. L., Gealh, A. M., Morales, A. G., & Caldeira, C. S. (2013). Análise do conteúdo de zoologia de vertebrados em livros didáticos aprovados pelo PNLEM 2009. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, 13(1), 217-232. Recuperado de https://seer.ufmg.br/index.php/rbpec/article/view/2462

Terrazzan, E. A. (1992). A inserção da física moderna e contemporânea no ensino de Física na escola de 2º grau. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, 9(3), 209-214. Recuperado de https://periodicos.ufsc.br/index.php/fisica/article/viewFile/7392/6785

Valadares, E. C., & Moreira, A. M. (1998). Ensinando Física moderna no segundo grau: Efeito fotoelétrico, laser e emissão de corpo negro. Caderno Catarinense de Ensino de Física, 15(2), 121-135. Recuperado de https://periodicos.ufsc.br/index.php/fisica/article/view/6896/7584

Van Gelderen, F. (2004). Understanding X-rays: a synopsis of radiology. Berlin, Germany: Springer.

Vargas, M. (2003). Técnica, Tecnologia e Ciência. Revista Educação & Tecnologia, (6), 178-183. Recuperado de http://revistas.utfpr.edu.br/pb/index.php/revedutec-ct/article/view/1084

Winner, L. (1986). The whale and the reactor: a search for limits in an age of high technology. Chicago, United States of America: University of Chicago Press.

Wuo, W. (2000). A física e os livros: uma análise do saber físico nos livros didáticos adotados para o ensino médio. São Paulo, SP: PUC-SP.

Zimmermann, E., & Bertani, J. A. (2003). Um novo olhar sobre os cursos de formação de professores. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, 20(1), 43-62. Recuperado de https://periodicos.ufsc.br/index.php/fisica/article/view/6563




DOI: http://dx.doi.org/10.22600/1518-8795.ienci2019v24n3p222

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Revista Investigações em Ensino de Ciências (IENCI) - ISSN: 1518-8795 

Creative Commons License