A TEORIA DOS REGISTROS DE REPRESENTAÇÃO SEMIÓTICA: CONTRIBUIÇÕES PARA O ENSINO E APRENDIZAGEM DA FÍSICA

Luís Gomes de Lima

Resumo


Este trabalho é, em partes, fruto de uma pesquisa de doutorado, e tem por objetivo apresentar a Teoria dos Registros de Representação Semiótica e suas contribuições teórico-metodológicas para o ensino e aprendizagem da física. Busca-se verificar os signos e símbolos próprios da física pela vertente semiótica de Duval, a fim de possibilitar caminhos possíveis para o ensino da disciplina que permita melhorar sua aprendizagem por parte dos estudantes. As atividades cognitivas fundamentais de representação ligadas às semiósis: formação, tratamento e conversão, são analisadas com foco na verificação do fenômeno de congruência que leva à compreensão integrativa. Como aporte metodológico é sugerido que os critérios de congruência e modelo cognitivo de representação, centrado sobre a função de objetivação, sejam articulados de forma a permitir o uso da teoria aos problemas específicos da física. Nesse sentido, são tratados cinco problemas canônicos de física com 28 alunos de 3º ano do Ensino Médio, de uma escola da rede privada de São Paulo, durante o 2º semestre de 2017. As análises realizadas sobre as atividades, com aporte da Teoria dos Registros de Representação Semiótica apontam para resultados que demonstram sua importância no desenvolvimento do ensino e aprendizagem da física por permitir aumentos nas taxas de sucesso dos alunos ao tratarem os problemas próprios da disciplina.


Palavras-chave


Teoria dos Registros de Representação Semiótica; Ensino e Aprendizagem da Física; Resolução de Problemas

Texto completo:

PDF

Referências


Bachelard, G. (2011). A formação do Espírito Científico. Rio de Janeiro, RJ: Contraponto.

BIPM. Bureau International des Poids et Mesures. Recuperado de https://www.bipm.org/en/about-us/

Boemo, M. S. (2015). Registros de Representação Semiótica Mobilizados do Estudo de Sistemas Lineares no Ensino Médio. (Dissertação de mestrado em Educação Matemática). Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, RS. Recuperado de https://repositorio.ufsm.br/handle/1/6757

Boemo, M. S., Rosa, C. W., & Mariani, R. C. P. (2014). Os Registros de Representação Semiótica nas Pesquisas em Matemática: Um olhar para os sistemas lineares e funções. In IV Escola de Inverno de Educação Matemática. Santa Maria, RS. Recuperado de http://w3.ufsm.br/ceem/eiemat/Anais/arquivos/ed_4/CC/CC_Boemo_Marinela.pdf

Brandt, C. F. (2005). Contribuições dos registros de representação semiótica na conceituação do sistema de numeração. (Tese de Doutorado em Educação Científica e Tecnológica). Centro de Ciências da Educação, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC. Recuperado de https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/103059

Brandt, C. F., & Moretti, M. T. (2014). (Orgs.) As contribuições da teoria das representações semióticas para o ensino e pesquisa na educação Matemática. Ijuí, RS: Unijuí.

Colombo, J. A. A., Flores, C. R., & Moretti, M. T. (2008). Registros de representação semiótica nas pesquisas brasileiras em educação matemática: pontuando tendências. Zetetiké – Revista de Educação Matemática, Campinas, 16(29), 41-72. Recuperado de https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/zetetike/article/download/8647035/13936.

Costa, W. R. (2010). Investigando a conversão da escrita natural para registros em escrita algébrica em problemas envolvendo equações de primeiro grau. (Dissertação de mestrado). Universidade Federal de Pernambuco. Recife, PE. Recuperado de https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/3808

Duval, R. (1993). Registres de représentation sémiotique et fonctionnement cognitif de la pensée. Annales de Didactique et de Sciences Cognitives. Strasbourg, France: IREM - ULP.

Duval, R. (2005). Registros de representações semióticas e o funcionamento cognitivo da compreensão em matemática. In S. D. A. Machado (Org.) Aprendizagem em matemática: registros de representações semióticas. São Paulo, SP: Papirus.

Duval, R. (2009). Semiósis e Pensamento Humano: Registros Semióticos e Aprendizagens Intelectuais. São Paulo, SP: Livraria da Física.

Duval, R. (1995). Sémiosis et pensée humaine: registres sémiotiques et apprentissageges intellectuels. Bern, Suisse: Peter Lang.

Feio, E. S. P., & Silveira, M. R. A. (2008). A conversão da língua natural para a linguagem matemática à luz da teoria dos registros de representação semiótica. Anais do sexto Encontro Paraense de Educação Matemática, Belém, PA. Recuperado de http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/2664.

Granger, G. G. (1979). Langages et Épistémologie. Paris, France: Editions Lincksieck.

Kluppel, G. T., & Brandt, C. F. (2014). Reflexões sobre o ensino da Geometria em livros didáticos à luz da teoria de representações semióticas segundo Raymond Duval. Ijuí, RS: Unijuí.

Lima, L.G. (2014). A abstração como ponte entre a física e a literatura na construção de conceitos de Mecânica Quântica no Ensino Médio. (Dissertação de mestrado em Ensino de Física). Universidade de São Paulo. São Paulo, SP. http://doi.org/10.11606/D.81.2014.tde-27042015-104526

Lima, L. G. (2018). A abstração no ensino e aprendizagem da física: contribuições da teoria dos registros de representação semiótica na resolução de problemas. (Tese de doutorado em Educação: Ensino de Ciências e Matemática). Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo. Universidade de São Paulo. São Paulo, SP. http://doi.org/10.11606/T.48.2019.tde-14122018-160748

OCDE. Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico. Recuperado de http://www.oecd.org/pisa/pisa-2015-Brazil-PRT.pdf.

Paulo, I. J. C. D., & Moreira, M. A. (2011). O problema da linguagem e o ensino da mecânica quântica no nível médio. Ciência & Educação (Bauru). 17(2), 421-434. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/ciedu/v17n2/a11v17n2.pdf.

Peirce, C. S. (1931). Collected Papers, II, Elements of Logic. Cambridge, United States of America: Harvard University Press.

Peirce, C. S. (2017). Semiótica. São Paulo, SP: Editora Perspectiva.

Pessoa, F. (1998). Mensagem. São Paulo,SP: Martin Claret.

Picone, D. F. B. (2007). Os registros de representação semiótica mobilizados por professores no ensino do teorema fundamental do Cálculo. (Dissertação de mestrado em Educação Matemática). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo, SP. Recuperado de https://tede2.pucsp.br/handle/handle/11275

Pietrocola, M. (2002). A Matemática como estruturante do conhecimento Físico. Caderno Catarinense de Ensino de Física 19(1), 89-109. Recuperado de https://periodicos.ufsc.br/index.php/fisica/article/view/9297

Pontes, H. M. S., Brandt, C. F., & Nunes, A. L. R. (2017). O estado da arte da teoria dos registros de representação semiótica na educação matemática. Educação Matemática Pesquisa, 19(1), 297-325. Recuperado de https://revistas.pucsp.br/index.php/emp/article/view/30291

Ribeiro, A. J. (2007). Equação e seus multisignificados no ensino de Matemática: contribuições de um estudo epistemológico. (Tese de doutorado em Educação Matemática). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, SP. Recuperado de https://tede2.pucsp.br/handle/handle/11208

Richit, A., & Silva, R. S. (2014). Superfícies quádricas e TIC’s: concepção, aplicação e análise de uma proposta didática à luz da teoria da representação semiótica de Duval. # Tear: Revista de Educação, Ciência e Tecnologia, 3(2), 1-23. Recuperado de https://periodicos.ifrs.edu.br/index.php/tear/article/download/1865/1445.

Vygotsky, L. S. (2007). A formação social da mente. São Paulo, SP: Martins Fontes.

Vygotsky, L. S. (2008). Pensamento e Linguagem. São Paulo, SP: Martins Fontes.




DOI: http://dx.doi.org/10.22600/1518-8795.ienci2019v24n3p196

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Revista Investigações em Ensino de Ciências (IENCI) - ISSN: 1518-8795 

Creative Commons License