HABILIDADES COGNITIVAS EM PROCESSOS FORMATIVOS DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA NA APRENDIZAGEM BASEADA EM PROBLEMAS

Antonia Ediele de Freitas Coelho, João Manoel da Silva Malheiro

Resumo


Esta investigação analisa os níveis de habilidades cognitivas desenvolvidos por uma equipe de seis docentes ao solucionarem um problema autêntico, proposto por eles, ao longo de um Curso de Férias desenvolvido na Universidade Federal do Pará. Caracterizamos a investigação de acordo com a abordagem qualitativa, apoiando-nos em suportes metodológicos como diários de campo e videogravações, com decorrente transcrição das falas dos sujeitos para a construção dos dados analisados. Apresentamos o conceito de cognição, bem como as etapas necessárias para que a mente humana alcance o que se pode considerar como habilidade cognitiva. Procuramos ainda analisar de que maneira os níveis de dificuldade, impostos nas perguntas dos monitores, influenciaram na manifestação dessas habilidades. Consideramos também a utilização da experimentação investigativa, como metodologia principal usada no Curso de Férias, destacando que essa envolve algumas etapas que são direcionadas a partir Aprendizagem Baseada em Problemas (ABP). Com base nessa pesquisa, é possível identificarmos que o emprego de atividades experimentais investigativas contribui, consideravelmente, para que as habilidades cognitivas se desenvolvam e manifestem em seus participantes, evidenciando que a metodologia utilizada nesse Curso se aproxima dos objetivos almejados na ABP.


Palavras-chave


Habilidades Cognitivas; Experimentação Investigativa; ABP

Texto completo:

PDF

Referências


Amaral, E. M. R., Scott, P. H., & Mortimer, E. F. (2003). Analisando relações entre aspectos epistemológicos e discursivos na sala de aula de Química. Anais do II Encontro Internacional Linguagem Cultura e Cognição: Reflexões para o ensino. Belo Horizonte, Minas Gerais, MG. Recuperado de http://fep.if.usp.br/~profis/arquivos/ivenpec/Arquivos/Painel/PNL054.pdf

Araújo, R. S. (2014). O uso de analogias e a Aprendizagem Baseada em Problemas: Análise dos discursos docente e discente em um Curso de Férias. (Dissertação de mestrado). Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemáticas, Universidade Federal do Pará, Belém, PA. Recuperado de http://repositorio.ufpa.br/jspui/bitstream/2011/8573/6/Dissertacao_UsoAnalogiasAprendizagem.pdf

Bogdan, R., & Biklen, S. (1994). Investigação qualitativa em educação: Uma introdução à teoria e aos métodos. Portugal: Porto Editora, 1994.

Boud, D., & Feleti, G. (1997). Changing Problem-Based Learning. [Introduction]. In D. Boud & G. Feleti (Orgs.). The challenge of Problem-Based Learning. (2nd ed. reprint). London, UK: Kogan Page,1-14.

Caron, C. R. (2004). Aprendizagem problematizada no Ensino Médico na perspectiva do construtivismo piagetiano. (Dissertação de mestrado). Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, PR. Recuperado de https://acervodigital.ufpr.br/handle/1884/32957

Carvalho, A. M. P. (2006). Uma metodologia de pesquisa para estudar os processos de ensino e aprendizagem em salas de aula. In F. M. T. Santos & I. M. Greca. A pesquisa em Ensino de Ciências no Brasil e suas metodologias. Ijuí,RS: Inijuí.

Carvalho, A. M. P., Vannucchi, A. I., Barros, M. A., Gonçalves, M. E. R., & Rey, R. C. (2009). Ciências no Ensino Fundamental: o conhecimento físico. São Paulo, SP: Scipione.

Coelho, A. E. F. (2016). O desenvolvimento de habilidades cognitivas em um Curso de Férias: a construção do conhecimento científico de acordo com a Aprendizagem Baseada em Problemas. (Dissertação de mestrado). Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemáticas, Universidade Federal do Pará, Belém, PA. Recuperado de https://drive.google.com/file/d/0Bxa8Ai93RdHQYkh5LTE2STBvbUk/view

Garcez, A., Duart, R., & Eisenberg, Z. (2011). Produção e análise de vídeogravações em pesquisas qualitativas. Educação e Pesquisa, São Paulo, 37(2), 249-262. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/ep/v37n2/v37n2a03.pdf

Góes, M. C. R. (2000). A abordagem microgenética na matriz históricocultural. Cadernos CEDES. XX(50), 9-25. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/ccedes/v20n50/a02v2050.pdf

Gohn, M. G. (2006). Educação não-formal, participação da sociedade civil e estruturas colegiadas nas escolas. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, 14(50), 27-28. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/ensaio/v14n50/30405.pdf

Leite, L., & Esteves, E. (2005). Análise Crítica de Actividades Laboratoriais: um Estudo Envolvendo Estudantes de Graduação. Revista Electrónica Enseñanza de las Ciencias. Espanha, 4(1), 19 p. Recuperado de http://reec.uvigo.es/volumenes/volumen4/ART5_Vol4_N1.pdf

Lima, K. E. C., & Teixeira, F. M. (2005). A epistemologia e a história do conceito experimento/experimentação e seu uso em artigos científicos sobre o ensino de Ciências. In Anais do VII Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências. Campinas, SP. Recuperado de http://www.nutes.ufrj.br/abrapec/viiienpec/resumos/R0355-1.pdf

Lipman, M. (1995). O pensar na educação. Petrópolis: Vozes.

Macedo, L. (1994). Ensaios construtivistas. (2a ed.). São Paulo: Casa do Psicólogo.

Malheiro, J. M. S. (2005). Panorama da Educação Fundamental e Média no Brasil: o modelo da Aprendizagem Baseada em Problemas como experiência na prática docente. (Dissertação de mestrado). Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemáticas, Universidade Federal do Pará, Belém, PA. Recuperado de http://bdtd.ibict.br/vufind/Record/UFPA_ac0b8bbbce39a2e376fa9fb2c5ffef21/Description

Malheiro, J. M. S., & Teixeira, O. P. B. (2011). A resolução de problemas de Biologia com base em atividades experimentais investigativas: uma análise das habilidades cognitivas presentes em alunos do ensino médio durante um curso de férias. In Anais do VIII Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências, Campinas, SP. Recuperado de http://www.nutes.ufrj.br/abrapec/viiienpec/resumos/R0280-2.pdf

Mamede, S., & Penaforte, J. C. (Orgs.). (2001). Aprendizagem Baseada em Problemas: anatomia de uma nova abordagem educacional. Fortaleza, Ce: Hucitec.

Maturana, R. H. (2001). Cognição, ciência e vida cotidiana (Org. e tradução: Cristina Magro e Victor Paredes). Belo Horizonte, MG: Ufmg.

Miri, B., David, B. C., & Zoller, U. (2007). Purposely teaching for the promotion of higher-order thinking skills: A case of critical thinking. Science Education. 2(27), 353-369. Recuperado de https://link.springer.com/article/10.1007/s11165-006-9029-2

Mortimer, E. F., & Scott, P. (2002). Atividade discursiva nas salas de aula de Ciências: Uma ferramenta sociocultural para analisar e planejar o ensino. Investigações no Ensino de Ciências, 7(3), 283-306. Recuperado de https://www.if.ufrgs.br/cref/ojs/index.php/ienci/article/view/562

Neves, M. D. (2013). Aprendizagem Baseada em Problemas e o raciocínio hipotético-dedutivo no Ensino de Ciências: Análise do padrão de raciocínio de Lawson em um Curso de Férias em Castanhal (PA). (Dissertação de mestrado). Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemáticas, Universidade Federal do Pará, Belém, PA. Recuperado de http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/8565

Oliveira Filho, G. R. (2003). Bases teóricas para a implementação do aprendizado orientado por problemas na Residência Médica em anestesiologia. Revista Brasileira de Anestesiologia. 53(2), 286-299 http://dx.doi.org/10.1590/S0034-70942003000200015

Ribeiro, L. R. C. (2008). Aprendizagem Baseada em Problemas (PBL): uma experiência no Ensino Superior. São Carlos, SP:Ufscar.

Rosito, B. A. (2000). O Ensino de Ciências e a experimentação. In R. Moraes (Org.). Construtivismo e o ensino de ciências: Reflexões epistemológicas e metodológicas. Porto Alegre, RS: Edipucrs.

Schmidt, H. G. (1983). Problem-Based Learning: rationale and description. Medical Education. 2(17), 11-16.

Silva, A. A. B. (2015). Interações discursivas em um curso de férias: A constituição do conhecimento científico sob a perspectiva da Aprendizagem Baseada em Problemas. (Dissertação de Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemáticas, Universidade Federal do Pará, Belém, PA. Recuperado de http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/8538

Sternberg, R. J. (2010). Psicologia Cognitiva. (5a ed.). São Paulo, SP: CENGAGE Learning.

Suart, R. C. (2008). Habilidades cognitivas manifestadas por alunos do ensino médio de química em atividades experimentais investigativas. (Dissertação de mestrado). Instituto de Física, Instituto de Química, Instituto de Biociências, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP.

Vasconcelos, C., & Almeida, A. (2012). A Aprendizagem Baseada na Resolução de Problemas no Ensino das Ciências: propostas de trabalho para Ciências Naturais, Biologia e Geologia. Porto, Portugal: Porto Editora.

Werstch, J. V. (1988). Vygotsky y la formación social de la mente. Barcelona, España: Paidós.

Zoller, U., & Pushkin, D. (2007). Matching Higher-Order Cognitive Skills (HOCS) promotion goals with problem-based laboratory practice in a freshman organic chemistry course. Chemistry Education Research and Practice, 8(2), 153-171. Recuperado de https://pubs.rsc.org/en/content/articlelanding/2007/rp/b6rp90028c#!divAbstract

Zoller, U., Dori, Y., & Lubezky, A. (2002). Algorithmic and LOCS and HOCS (Chemistry) Exam Questions: Perfomance and attitudes of college students. International Journal of Science Education. 24(2), 185-203 https://doi.org/10.1080/09500690110049060




DOI: http://dx.doi.org/10.22600/1518-8795.ienci2019v24n2p163

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Revista Investigações em Ensino de Ciências (IENCI) - ISSN: 1518-8795 

Creative Commons License