FÉ CRISTÃ E CONTEÚDOS CIENTÍFICOS NAS AULAS DE CIÊNCIAS DA NATUREZA: UMA ANÁLISE A PARTIR DE TRABALHOS PUBLICADOS NOS ÚLTIMOS ANOS

Glênon Dutra, Maria da Conceição P. Antunes

Resumo


Apresenta-se uma análise de trabalhos publicados a respeito das dificuldades de conciliação entre conhecimentos científicos e crenças cristãs por parte de alunos do ensino básico, licenciandos e ou professores de disciplinas científicas. Identificaram-se: teorias conflituosas; sua relevância; reações apresentadas por alunos do ensino básico, graduandos e professores frente ao estudo ou ensino dessas teorias; concepções de crença religiosa apresentadas pelos autores dos trabalhos e pelos investigados; concepções de ciência apresentadas pelos autores dos trabalhos e pelos investigados e possibilidades de relação entre ciência e fé apresentadas. Os resultados confirmam a recorrência de uma relação problemática entre alguns conteúdos científicos e as crenças cristãs no ambiente educacional brasileiro.


Palavras-chave


Ensino de ciências; Crenças cristãs; Dificuldades de conciliação

Texto completo:

PDF (English)

Referências


Azevedo, H. L. (2011). Competência communicativa de futuros professores frente à diversidade religiosa na abordagem do tema “origens do universo” (Dissertação de mestrado). Universidade Estadual Paulista. Bauru, SP. Recuperado de https://repositorio.unesp.br/handle/11449/90952

Azevêdo, E. S. (2013). Breves considerações na convergência ciência e religião. Caderno CRH, 26(69), 469-476. http://doi.org/10.1590/S0103-49792013000300004

Badognas, A. (2014). Comparando os objetivos e métodos da ciência e religião na formação de professores. Quaerentibus, 3(4), 33-48. Recuperado de http://quaerentibus.org/assets/q04i.pdf

Baptista, G. C. S. (2010). Importância da demarcação de saberes no ensino de Ciências para sociedades tradicionais. Ciência & Educação (Bauru), 16(3), 679-694. http://doi.org/10.1590/S1516-73132010000300012

Barbour, I. G. (2004). Quando a ciência encontra a religião. São Paulo, SP: Cultrix.

Bennett, G., & Peters, T. (2003). Construindo pontes entre a ciência e a religião. São Paulo, SP: Unesp.

Bertolin, J. (2015). Ciência e fé em debate: perspectivas históricas (Dissertação de mestrado). Universidade de São Paulo, São Paulo, SP. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8138/tde-16062015-125946/pt-br.php

Borges, M. F. (2010). Ciência e religião: reflexões sobre os livros de história da matemática e a formação do professor (Tese de doutorado). Universidade de São Paulo. São Paulo, SP. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-20042010-143528/pt-br.php

Braga, L. (2016). Entre a fé e a ciência: uma análise sobre a teoria do design inteligente (Dissertação de Mestrado). Universidade Estadual de Campinas. Campinas, SP. Recuperado de http://repositorio.unicamp.br/bitstream/REPOSIP/305055/1/Braga_Lucas_M.pdf

Cerqueira, R., Falcão, E. B. M., & Santos, A. (2016). Praticar ciência: estudantes ensinam como aprender teoria da evolução e lidar com as crenças religiosas. Alexandria: Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, 9(1), 103-130. http://doi.org/10.5007/1982-5153.2016v9n1p103

Dutra, G. (2012). Ciência, fé cristã e ensino de física – diálogo como alternativa ao conflito. In XIV Encontro de Pesquisa em Ensino de Física. (pp. 1-9). Maresias, SP. Recuperado de http://www.sbf1.sbfisica.org.br/eventos/epef/xiv/sys/resumos/T0348-2.pdf

Dutra, G. (2018). Relação Ciência Religião – uma proposta de diálogo como alternativa ao conflito (Tese de doutorado). Universidade do Minho, Braga, Portugal. Recuperado de https://repositorium.sdum.uminho.pt/bitstream/1822/54499/1/Glenon%20Dutra.pdf

Falcão, E. B., Belo, C. L., & Barroso, M. F. (2004). Representações de natureza e caracterização do perfil cultural dos estudantes de física do IF – UFRJ. In S. S do Nascimento, I. Martins, C. R. Mattos, & J.. B. Harres (Orgs.). IX Encontro Nacional de Pesquisa em Ensino de Física. Jaboticatubas, MG. Recuperado de http://www.sbf1.sbfisica.org.br/eventos/epef/ix/sys/resumos/T0132-3.pdf

Falcão, E. B., Santos, A. G., & Luiz, R. R. (2008). Conhecendo o mundo social dos estudantes: encontrando a ciência e a religião. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, 7(2), p. 420-438. Recuperado de http://reec.uvigo.es/volumenes/volumen7/ART9_Vol7_N2.pdf

Ferreira, N. C. (2008). Evolucionismo e criacionismo: aspectos de uma polêmica (Tese de doutorado). Universidade Estadual de Campinas. Campinas, SP. Recuperado de http://repositorio.unicamp.br/bitstream/REPOSIP/268882/1/Ferreira_NilsonCandido_D.pdf

Ferreira, N. S. de A. (2002). As pesquisas denominadas "estado da arte". Educação & Sociedade, 23(79), 257-272. http://doi.org/10.1590/S0101-73302002000300013

Fonseca, L. C. (2005). Religião popular: o que a escola pública tem a ver com isso? (Tese de doutorado). Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, RJ.

Forato, T. C. de M., Pietrocola, M., & Martins, R. de A.. (2006). História da ciência e religião: uma proposta para discutir a natureza da ciência. In XVII Simpósio Nacional de Ensino de Física. São Luiz, MA. Recuperado de https://www.researchgate.net/publication/281286053_Historia_da_Ciencia_e_Religiao_uma_proposta_para_discutir_a_natureza_da_ciencia

Grimes, C., & Schroeder, E. (2013). A origem da vida, sob a ótica de licenciandos de um curso de Ciências Biológicas. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias. 2(1), 126-143. Recuperado de http://reec.uvigo.es/volumenes/volumen12/REEC_12_1_7_ex693.pdf

Henrique, A. B., & Silva, C. C. (2010). Relações entre ciência e religião na formação de professores: estudo de caso sobre uma controvérsia cosmológica. In XII Encontro de Pesquisa em Ensino de Física. Águas de Lindóia, SP.

Hurtado, M. T., & Garcia, F. M. (2010). La enseñanza de la evolución en Chile. Historia de un conflicto documentado en los textos de estudio de enseñanza media. Investigações em Ensino de Ciências, 15(2), 310-336. Recuperado de https://www.if.ufrgs.br/cref/ojs/index.php/ienci/article/view/298/0

Jorge, M. T. (1995). O Ensino de Ciências na Problemática da Contradição ou Coexistência entre Ciência e Religião (Dissertação de mestrado) Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas. Campinas, SP. Recuperado de http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/253018

Lei n. 9.394 (1996, 20 de dezembro). Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, Diário Oficial de União, Diário Oficial de União, 23/12/1996, 134(248), 2783:4 - 27841. Brasília, DF: Diário Oficial da República Federativa do Brasil.

Licatti, F. (2005). O ensino de Evolução Biológica no nível Médio: investigando concepções de professores de Biologia (Dissertação de Mestrado). Universidade Estadual Paulista. Bauru, SP. Recuperado de https://repositorio.unesp.br/handle/11449/90884

Lopes, M. H. (2001). A retrogração dos planetas e suas explicações: os orbes dos planetas e seus movimentos, da Antiguidade à Copérnico (Tese de doutorado). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo, SP. Recuperado de http://www.ghtc.usp.br/server/Teses/Maria-Helena-Oliveira-Lopes.PDF

Mahner, M., & Bunge, M. (1996). Is religious education compatible with scieance education?. Science & Education, 5(2), 91-99. http://doi.org/10.1007/BF00428612

Madeira, A. P. L. (2007). Fé e Evolução: a influência de crenças religiosas sobre a criação do homem na aprendizagem da Teoria da Evolução com alunos do 3º ano do Ensino Médio. (Dissertação de mestrado). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo, SP. Recuperado de https://tede.pucsp.br/handle/handle/2033

Marques, D., & Selles, E. (2009). Conflitos e tensões entre ciência e religião nas visões de mundo de alunos evangélicos de uma licenciatura em ciências biológicas. In VIII Congreso internacional sobre investigación en la didáctica de las ciencias, Barcelona, Espanã. Recuperado de https://core.ac.uk/download/pdf/78525673.pdf

Matthews, M. R. (1995). História, filosofia e ensino de ciências: a tendência atual de reaproximação. Caderno Catarinense de Ensino de Física, 12(3), 164-214. http://doi.org/10.5007/%25x

Martins, A. F. P. (2015). Natureza da Ciência no ensino de ciências: uma proposta baseada em “temas” e “questões”. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, 32(3), 703-737. http://doi.org/10.5007/2175-7941.2015v32n3p703

Monteiro, M. M., & Martins, A. F. P. (2012). A existência de Deus na construção da lei de gravitação universal de Isaac Newton: a natureza da ciência no ensino de física. In XIV Encontro de Pesquisa em Ensino de Física (EPEF), Maresias, SP.

Mota, H. S. (2013). Evolução biológica e religião: atitudes de jovens estudantes brasileiros (Tese de doutorado). Universidade de São Paulo. São Paulo, SP. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-28012014-143821/pt-br.php

Nicolini, L. B., Falcão, E. B., & Faria, F. S. (2010). Origem da vida: como licenciandos em ciências biológicas lidam com esse tema? Ciência & Educação (Bauru), 16(2), 355-367. http://doi.org/10.1590/S1516-73132010000200006

Oleques, L. C. (2010). Evolução biológica: pecepções de professores de biologia de Santa Maria (Dissertação de mestrado). Universidade Federal de Santa Maria. Santa Maria, RS. Recuperado de https://repositorio.ufsm.br/handle/1/6642

Oliveira, G. D. (2009). Aceitação/rejeição da evolução biológica: atitudes de alunos da educação básica (Dissertação de mestrado). Universidade de São Paulo. São Paulo, SP. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-26022010-093911/publico/OLIVEIRA_Graciela_FEUSP_dissertao2009.pdf

Oliveira, J. H. (2006). Noções de cosmologia no Ensino Médio: o paradigma criacionista do Big Bang e a inibição de teorias rivais (Dissertação de mestrado). Universidade Estadual de Maringá, Maringá, PR. Recuperado de http://www.btdea.ufscar.br/teses-e-dissertacoes/nocoes-de-cosmologia-no-ensino-medio-o-paradigma-criacionista-do-big-bang-e-a-inibicao-de-teorias-rivais

Oliveira, G. da S. (2015). Estudantes e a evolução biológica: conhecimento e aceitação no Brasil e Itália (Tese de doutorado). PPG em Educação. Universidade de São Paulo. São Paulo, SP. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-14092015-142810/pt-br.php

Pagan, A. A. (2009). Ser (animal) humano: evolucionismo e criacionismo na visão de alguns graduandos em ciências biológicas (Tese de doutorado). Universidade de São Paulo. São Paulo, SP. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-04052009-001634/pt-br.php

Parada Filho, C. J. (2006). Entre sentidos e saberes: a religião na educação universitária (Tese de doutorado). Universidade Estadual de Campinas. Campinas, SP. Recuperado de http://www.bdae.org.br/dspace/handle/123456789/1662

Pinto, T. L. (2008). A bioética e os evangélicos no Brasil: uma visão a partir da mídia evangélica (Dissertação de mestrado). Universidade Presbiteriana Mackenzie. São Paulo, SP. Recuperado de http://bdtd.ibict.br/vufind/Record/UPM_e3af3d5a1624c49dd8a4f920db9cbc5f

Romanowski, J. P., & Ens, R. T. (2006). As pesquisas denominadas do tipo “estado da arte”. Diálogo Educacional, 6(19), 37-50. Recuperado de http://www.redalyc.org/pdf/1891/189116275004.pdf

Sá, N. M. (2012). Discurso, biotecnociência e bioética: Análise dos discursos morais acerca de células-tronco em mídia de massa. (Tese de doutorado). Universidade de Brasília. Brasília, DF. Recuperado de http://bdtd.ibict.br/vufind/Record/UNB_cc51ba33824400f106468bec2efc102e

Segal, R. A. (2005). Theories of religion. In: Hinnells, J. R. (Ed.). The routledge companion to the study of religion (pp. 49-60). London, England: Routledge

Sepúlveda, C., & El-Hani, C. (2004). Quando visões de mundo se encontram: religião e ciência na trajetória de alunos protestantes de uma licenciatura em ciências biológicas. Investigações em ensino de ciências, 9(2), 137-175. Recuperado de https://www.if.ufrgs.br/cref/ojs/index.php/ienci/article/view/533

Sepúlveda, C., & El-Hani, C. (2006). Apropriação do discurso científico por alunos protestantes de biologia: uma análise à luz da teoria da linguagem de Bakhtin. Investigações em Ensino de Ciências, 11(1), 29-51. Recuperado de https://www.if.ufrgs.br/cref/ojs/index.php/ienci/article/view/501/301

Souza, C. M. (2008). A presença do Evolucionismo e do Criacionismo em disciplinas do Ensino Médio (Geografia, História e Biologia): um mapeamento de conteúdos na sala de aula sob a ótica dos porfessores (Dissertação de Mestrado). Universidade de Campinas. Campinas, SP. Recuperado de http://bdtd.ibict.br/vufind/Record/CAMP_774e79416d0375155244cd35dcd7c9e1

Tort, A. C., & Nogarol, F. (2013). Revendo o debate sobre a idade da Terra. Revista Brasileira de Ensino de Física, 35 (1), 1603-1-1603-9. http://doi.org/10.1590/S1806-11172013000100026

Vieira, V., & Falcão, E. (2012). “Eu não confio na evolução, mas no resto eu confio quase que às cegas.” Evolução Biológica: o limite entre ciência e crença religiosa. Ensino, Saúde e Ambiente, 5(2), 138-148. http://doi.org/10.22409/resa2012.v5i2.a21069




DOI: http://dx.doi.org/10.22600/1518-8795.ienci2019v24n1p45

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Revista Investigações em Ensino de Ciências (IENCI) - ISSN: 1518-8795 

Creative Commons License