A Teia Cósmica: Universo com 5% da sua idade

Modelo da distribuição da matéria (lado=15Mpc comóvel, dominada pela matéria escura) quando o Universo tinha 5% da sua idade (z=8) e as primeiras galáxias e estrelas estavam se formando. Simulação feita por Rainer Weinberger (IllustrisTNG Collaboration) para sua contribuição aos Proceedings do Simpósio da IAU 359, que estamos editando (Thaisa Storchi Bergmann, William Forman, Roderick Overzier e Rogério Riffel).  

Compacto de minha entrevista para Podcast Prototipando

Versão compacta da entrevista que dei para Pedro Piovan, fundador da Ensaio Lab, para o Podcast Prototipando. Nesse podcast, abordo diversos assuntos: – o que são os buracos negros e como foram descobertos; – como funciona a inovação na pesquisa científica; – os desafios de ser uma mulher cientista; – a (des)informação científica encontrada na internet; – o que é a vida.  Para assistir na íntegra, acesse o link: https://www.youtube.com/watch?v=UuLTD…

Rádio-galáxias: elípticas, população estelar velha e interações

Em trabalho recente liderado por Julia Comerford (arxiv.org/pdf/2008.11210.pdf), Univ. Colorado, usando o survey MaNGA – SDSS-IV, mostramos que rádio-galáxias próximas são em geral elípticas e com população estelar mais velha do que outras galáxias ativas. Ou o jato rádio está impedindo a formação de novas estrelas, ou a atividade rádio é consequência do pouco combustível para alimentar o Buraco Negro central. Por outro lado, há mais interações com vizinhas em rádio galáxias do que em outras galáxias ativas.

4C+29.30: uma rádio-galáxia poderosa

Rádio galáxias são caracterizadas por jatos de partículas que se estendem além dos limites das galáxias. Num trabalho liderado por Guilherme Couto (arXiv:2007.14977), concluímos que estes jatos em 4C+29.30 depositam na galáxia > 5% da potência liberada pela acreção de matéria ao Buraco Negro central. Isto é muito, e explica porque as galáxias não atingem tamanhos muito grandes durante sua evolução: nas fases ativas (como 4C+29.30) os jatos empurram o gás da vizinhança do núcleo para fora da galáxia e limitam a formação de novas estrelas, impedindo que as galáxias cresçam demais. (Crédito da figura: Chandra).

O Quasar mais brilhante hospeda um dos maiores Buracos Negros do Universo

SMSSJ215728.21-360215.1 é o quasar mais brilhante do Universo, ou seja, que devora mais massa, quase um Sol inteiro por dia! Ele foi descoberto em 2018 por um grupo liderado por Christopher Onken da Australian National University. Recentemente o grupo utilizou um espectro no infravermelho para medir a massa do Buraco Negro (a partir do movimento orbital de nuvens de gás em torno dele), encontrando 34 (+/-0.6) bilhões de massas solares, ~8000 vezes a massa do Buraco Negro Supermassivo da Via-Láctea.

A ilustração mostra uma concepção artística do Buraco Negro mostrando seu horizonte de eventos e a matéria sendo capturada do seu disco de acreção (fonte da ilustração: Explica.co).

Galáxia OJ 287 e seu sistema binário de Buracos Negros Supermassivos

Repercutindo notícia de 28 de Abril de 2020:  Observação de um “flare” produzido por um Buraco Negro Supermassivo em órbita em torno de outro gigante por cruzar seu disco de acreção!

O filme mostra uma simulação de um Buraco Negro gigante no centro da galáxia OJ 287, a 3.5 bilhões de anos-luz da Terra, com uma massa de 18 bilhões de vezes a massa do Sol.  O que é mais interessante é que um outro Buraco Negro com massa 10 vezes menor, está orbitando este Buraco Negro maior. Duas vezes a cada 12 anos, o Buraco Negro menor atravessa o disco de acreção do Buraco Negro maior, produzindo um flash de luz mais luminoso do que um trilhão de estrelas. Astrônomos observando este sistema fizeram um modelo para prever o momento destes flashes e conseguiram prevê-los com uma margem de erro de somente 4 horas! As observações foram feitas com o Satélite Spitzer, que observa no infravemelho, em 2019. Em Janeiro de 2020, o Spitzer parou de funcionar depois de 16 anos de operações. O modelo mais recente e mais preciso foi feito por um grupo de cientistas liderados pelo estudante Lankeswar Dey, do “Tata Institute of Fundamental Research”  de Mumbai, na Índia. O resultado apareceu no Astrophysical Journal Letters: https://iopscience.iop.org/article/10.3847/2041-8213/ab79a4

 

Homenageando o Telescópio Espacial: imagem que obtive com ele de um Quasar

#Universo #Astronomia #Quasares #Telescópio Hubble

Dia 24 de Abril de 2020 o Telescópio Hubble faz 30 anos. Homenageio-o aqui com uma imagem que obtive com ele de um Quasar. Quasares são os núcleos de galáxias mais luminosos do Universo devido à captura de matéria por um Buraco Negro Supermassivo ali presente. Eles estão tão distantes que é preciso excelente qualidade de imagem (daí a necessidade do Hubble) para observar seus detalhes. A imagem mostra a galáxia (delineada em branco) e gás ionizado (em laranja e violeta) se estendendo muito além do limite da galáxia, revelando a potência liberada pelo Quasar. (Crédito da figura: Bruno Dall’Agnol de Oliveira; publicação com base nestas observações.)