1o Seminário: Medidas de tendência e dispersão. Desigualdade de Chebycheff. Padronização de uma variável. Correlação e regressão.
2o Seminário: Instrumentos de medida educacionais. Validade e fidedignidade. Análise de consistência interna.
3o Seminário: Estatística inferencial. Comparação em médias: 1o caso- 1 grupo com pré e pós-teste. 2o caso - 2 grupos com pré e pós-teste. 3o caso: 2 grupos com teste final e medidas iniciais. Mestrado Especializante em Ensino de Física


 

 
Mestrado Profissionalizante em Ensino de Física

Instituto de Física

Universidade Federal do Rio Grande do Sul

 
 

Resumos de seminários e colóquios promovidos pelo MPEF

Prof. Dr. Agostinho Serrano
Título: A técnica P.O.E. e sua aplicação no uso de simulações computacionais em ensino de ciências

Resumo: Neste seminário será discutido o uso da técnica P.O.E. (Predizer-Observar-Explicar) no ensino de ciências. Esta técnica baseia-se em fazer com que o estudante prediga o resultado de uma simulação computacional, em seguida observe a execução da simulação, para, finalmente, tentar explicar possíveis diferenças entre o previsto e o observado. Assim, é possível se construir guias de simulação para uso didático em ensino de física, bem como de outras ciências. O resultado do uso destas técnicas, tanto no ensino superior, como no ensino médio, será discutido. De maneira geral, os estudantes apresentam uma melhora na compreensão de conceitos físicos (leis de conservação) e químicos (equilíbrio químico) ao utilizarem esta técnica, se naturalmente associada ao uso de simulações conceituais apropriadas. Também pode-se utilizar esta técnica para introduzir conceitos relacionado à mecânica quântica durante o uso de experimentos virtuais, com resultados estimulantes.

Prof. Dr. Arion de Castro Kurtz dos Santos, FURG
Título:Implementando ambientes de aprendizagem baseados em sistemas computacionais de modelagem para o pensamento sistêmico

Resumo: Breve histórico sobre o movimento de sistemas; Modelo e modelagem; Diagramas causais ou de influências e convenções; Realimentação positiva e negativa; Animando diagramas causais utilizando equações de redes neurais – ambiente VISQ (Variáveis que Interagem de Modo SemiQuantitativo); Construindo diagramas de fluxo; Simulações no ambiente STELLA (Laboratório de Aprendizagem Experimental com Animação para o Pensamento Sistêmico); Comportamentos dinâmicos; A modelagem e os modelos mentais; Modos de trabalhar em modelagem; Cenários do tipo “o que acontece se...”; Resultados de pesquisa; A Dinâmica de Sistemas como uma metodologia para a pesquisa em Educação; Modelagem de situações reais.

Prof. Dr. Basilio Xavier Santiago
Título: Observatório Educativo Itinerante - 5 anos de estrelas e de estrada

Resumo: O Observatório Educativo Itinerante (OEI) é um programa do IF/UFRGS de educação continuada para professores do ensino básico em funcionamento há 5 anos. Neste período ministramos 32 cursos de aperfeiçoamento em Astronomia e ciências afins em várias cidades do RS, SC e mesmo do PR. Além disso participamos de inúmeras atividades de divulgação científica e de extensão universitária, sempre dando ênfase à observação astronômica. Em nossa apresentação vamos descrever a história, a proposta e o funcionamento do programa, abordar seus diferenciais com relação a outros cursos de extensão, e relatar os resultados desta longa experiência acumulada.

Prof. Dr. Darcy Dillenburg
Título: A Evolução da Física no Século XX numa Perspectiva Médica e Biológica

Resumo: A conexão mais antiga e conhecida da Física com a Medicina e com a Biologia é constituída por métodos e equipamentos que vem aprofundando nossa visão não só do corpo humano como também de todos as formas de vida. Essa linha de interação remonta à descoberta dos Raios X, em 1895. Outra linha é representada pela migração de físicos para a área de Biologia, em torno dos anos 40, quando ajudaram a estabelecer as bases físicas da hereditariedade e a criar o moderno mundo da genética molecular. Finalmente, hoje a experiência dos físicos na construção e solução de modelos matemáticos coloca-os lado a lado de biólogos e médicos em projetos interdisciplinares para entender o funcionamento das células. Nessa palestra procura-se apresentar a professores de Física do ensino médio os principais aspectos dessas três formas de interação.

Prof. Dr. Fernando Lang da Silveira
Título: O empirismo e a história da Física nos livros-textos

Resumo: Os livros-texto de física, de um modo geral, apresentam uma história da Física reconstruída de acordo com a concepção empirista: concepção segundo a qual as teorias científicas são produzidas a partir de resultados experimentais/observacionais. Três casos emblemáticos desta reconstrução empirista são discutidos:

  1. Os experimentos de Pisa e no plano inclinado e a teoria galileana da queda dos graves.
  2. Os experimentos de Michelson-Morley e a teoria da relatividade restrita.
  3. Os espectros de emissão atômica e o átomo de Bohr.

Prof. Dr. Fernando Lang da Silveira
Título:Métodos Quantitativos Aplicados à Pesquisa em Ensino de Física.
Seqüência de três seminários:

1o Seminário: Medidas de tendência e dispersão. Desigualdade de Chebycheff. Padronização de uma variável. Correlação e regressão.
2o Seminário: Instrumentos de medida educacionais. Validade e fidedignidade. Análise de consistência interna.
3o Seminário: Estatística inferencial. Comparação em médias: 1o caso- 1 grupo com pré e pós-teste. 2o caso - 2 grupos com pré e pós-teste. 3o caso: 2 grupos com teste final e medidas iniciais.

Profa. Dra. Eliane Angela Veit
Título:O computador como ferramenta cognitiva na aprendizagem de Física

Resumo: Nos dias atuais, o computador é uma ferramenta indispensável na práxis científica. Com seu uso, o cientista pode gerar modelos, estabelecer relações e testar hipóteses de um modo inimaginável há algumas décadas. Mais do que um auxiliar para a aprendizagem de conteúdos específicos, o computador se apresenta como uma ferramenta cognitiva em potencial, oferecendo novas perspectivas à capacidade humana de resolução de problemas. Neste seminário algumas destas perspectivas, já hoje vislumbradas, serão discutidas.

Profa. Dra. Flávia Maria Teixeira dos Santos
Título: Múltiplas Dimensões das Interações em Salas de Aula - aspectos metodológicos da investigação

Resumo: Desde os anos 50, havia nos Estados Unidos uma abordagem de pesquisa em sala de aula que procurava estabelecer vínculos entre as características de uma aula e o desempenho dos estudantes. Os estudos trataram de questões como a empatia do professor e o clima ou “atmosfera” da aula, as relações de (des)confiança, o tipo de autoridade exercida pelo professor e sua influência sobre as atitudes e a aprendizagem dos alunos. Essa perspectiva de pesquisa, denominada “observação sistemática” (Delamont e Hamilton, 1984), proliferou na Europa e Estados Unidos nos anos 60 e 70. Dentre os vários métodos e projetos desenvolvidos, destacou-se o método Flander’s Interaction Analysis Cathegories (Flanders, 1970). Esse método constitui um sistema de codificação da análise da interação, que utiliza uma lista de códigos pré-estabelecidos para a observação e o registro do comportamento de professores e alunos nas situações em sala. A observação sistemática e o tratamento aritmético dos acontecimentos estavam fundamentados nos princípios da psicologia social. Na década de 70 a observação sistemática foi bastante criticada. Delamont e Hamilton (1984) . As críticas a respeito da pesquisa em sala de aula que utiliza uma lista de códigos pré-determinados, teve como principal eixo uma objeção à utilização de um sistema de categorias prematuramente fechado (Idem, p.16). Como uma reação contra essa tradição de pesquisa “empirista” (Delamont e Hamilton, 1986), pesquisadores ingleses e norte americanos, empreenderam um trabalho de observação “antropológica” ou etnográfica na sala de aula. Esses etnógrafos consideraram um amplo conjunto de aspectos da vida escolar, indo além da ênfase comportamental de descrição das aulas. Nos últimos anos, a influência da psicologia sócio-histórica ou sócio-cultural na pesquisa em Educação em Ciências tem resultado no desenvolvimento gradual do interesse sobre o processo de significação em salas de aula de ciências, gerando um programa de pesquisa que procura responder como os significados são criados e desenvolvidos por meio do uso da linguagem e outros modos de comunicação nas aulas de ciências. Os trabalhos nessa linha procuram analisar a construção de conhecimento em sala de aula como um “processo no qual os significados e a linguagem do professor vão sendo apropriados pelos alunos, na construção de um conhecimento compartilhado” (Mortimer e Machado, 1997, p.140). Os referenciais vygotskianos e bakhtinianos empregados nas análises favorecem o tratamento dos aspectos cognitivos e discursivos envolvidos no processo de construção de conceitos. As análises revelam outros aspectos envolvidos no processo da aprendizagem de conceitos para além da atividade puramente individual (Edwards e Mercer, 1988; Mortimer (1998); Mortimer e Scott (in press); Resnick, Levine, e Teasley, 1993; Machado, 1999; etc.). Dessa forma, a atenção sobre os aspectos discursivos envolvidos no processo de construção de conceitos é hoje um poderoso instrumento para a investigação das interações em salas de aula. Trabalhos ligados a essa abordagem também têm procurado considerar outros elementos constitutivos da comunicação em sala de aula, além dos aspectos verbais. Ogborn, Kress, Martins e McGillicuddy (1996) incluem, nas transcrições e análises das falas dos professores e estudantes, comentários sobre as ações, os gestos, as relações pessoais que constituem as interações comunicativas em classe. Entretanto, as análises sobre os outros recursos utilizados na comunicação em aula ainda são tímidas na área do ensino e aprendizagem de ciências. Tais recursos compreendem os aspectos verbais (palavras ou expressões) que operam como marcadores discursivos (Marcuschi, 1991, p.62); os aspectos não-verbais (o olhar, o riso, os meneio de cabeça, a gesticulação) e os aspectos supra-linguísticos, que são de natureza lingüística, mas não têm caráter verbal (pausas e o tom de voz) (Idem, p. 63). Esses recursos têm um papel fundamental nas interações face a face, ao situarem os interlocutores no contexto geral da conversação, além de estabelecer, manter e regular o contato. Neste seminário vamos discutir as características das pesquisas em salas de aula, assim como o contorno metodológico do tratamento das várias dimensões das interações em salas de aula de ciências.

Profa. Dra. Flávia Rezende
Título: Formação continuada de professores de Física em um ambiente virtual construtivista

Resumo: Tendo em vista o contexto da formação do professor da escola pública e as possibilidades abertas pela Educação a Distância mediada pelas Tecnologias da Informação e Comunicação, foram dedicados esforços no desenvolvimento de um ambiente virtual guiado por pressupostos construtivistas. O colóquio teve como objetivo o desenho instrucional desta ferramenta, seus principais elementos, características, desdobramentos e futuros estudos a serem realizados a partir de sua utilização. A caracterização do ambiente virtual construtivista desenvolvido é adequada à concepção de formação continuada enquanto processo que propicie a vivência da reflexão-na-ação e que tem como objetivo a perspectiva evolutiva do conhecimento profissional do professor. Este processo é vivenciado pelo professor a partir da interação com o ambiente virtual, com tutores e com uma comunidade de professores, na direção da coerência entre pressupostos teóricos de formação e a prática pedagógica.

Prof. Dr. Francisco Catelli
Título: Gêneses virtuais e o ensino de Física

Resumo: Os livros-texto de física, de um modo geral, apresentam uma história da Física reconstruída de acordo com a concepção empirista: concepção segundo a qual as teorias científicas são produzidas a partir de resultados experimentais/observacionais. Três casos emblemáticos desta reconstrução empirista são discutidos:

Prof. Dr. Ian Lawrence
Título: Advancing Physics: A modern Physics Course

Advancing Physics is a tried and tested course running in the UK, aimed at high school students, 16-19 years old. It was designed to present an up-to-date view of physics in an up-to-date way. The Advancing Physics course is one of six courses in the UK at this level and accounts for 25% of the age group. It makes essential use of IT in both pedagogy and delivery: the great majoriy of the teaching materials are provided on a CD-ROM in two versions, for teachers and for students. There is also a student's book that helps to provide hooks for the electronic resources, emeplifying the stucture of the course. Besides a structured set of searchable resources, there are a number of separate applications which are integrated into the course, including a sound processor, and image processor and Modellus. These were chosen and used on the basis that they supported students in learning the physics. Within the first year of the course there are a number of innovative approaches and distinct perspectives. Some of these make essential use of IT. I will give an overview of the course and describe some of the constraints and opportunities that shaped its construction. Then I will explore some of the themes in the course in some detail, showing how the IT supports the learning. Then I will give some perspectives on how well the course is being received.

Profa. Dra. Ileana Greca
Título: Do saber fazer ao saber dizer: uma discussão do papel dos problemas e da aprendizagem conceitual na compreensão de conceitos físicos

Resumo: Neste seminário discutiremos a aprendizagem procedimental e a aprendizagem conceitual, de acordo com a perspectiva da Teoria dos Campos Conceptuais de Vergnaud. Partindo de uma visão integrada de ambas as aprendizagens, argumentaremos a favor de uma postura que considere os problemas tradicionais e os problemas abertos como sendo ambos indispensáveis e complementares para a compreensão de conceitos físicos.

Msc. Ives Solano Araújo
Título: Pesquisas envolvendo tecnologias computacionais no ensino de Física: onde estamos e para onde vamos?

Resumo: Neste trabalho apresentamos os resultados de uma revisão da literatura referente ao uso de tecnologias computacionais no ensino de Física em nível médio e universitário. Os artigos foram classificados em termos das modalidades de uso do computador e dos tópicos de Física abrangidos. Pode-se observar uma grande concentração de trabalhos envolvendo simulações computacionais e uma forte predileção pela mecânica newtoniana. Pode-se também constatar que somente a metade desses artigos poderia ser classificada como de pesquisa em Ensino de Física.

Prof. Dr. João Batista Siqueira Harres
Título: Como trabalhar com as idéias dos alunos: um exemplo nas relações conceituais entre força e movimento segundo uma perspectiva histórico-evolutiva

Resumo: Parte-se de uma análise, realizada segundo a perspectiva epistemológica evolucionista de Stephen Toulmin, da evolução histórica das concepções sobre força e movimento para avaliar a evolução das idéias dos alunos nestas concepções. Concretamente e sem cair em um paralelismo estrito, esta abordagem histórica orientou a implementação, em sala de aula, de estratégias metodológicas e práticas avaliativas supostamente potentes para promover um avanço conceitual significativo. O seminário pretende discutir os resultados encontrados em comparação com o freqüente fracasso registrado pela literatura na compreensão das relações entre força e movimento. Ao mesmo tempo, analisam-se os aspectos formativos desse processo, uma vez que o contexto de aplicação da proposta refere-se a um curso de licenciatura, envolvido em uma pesquisa mais ampla sobre processos inovadores na formação de professores.

Prof. Dr. Marco Antonio Moreira
Título: Mudança conceitual: análise crítica à luz da Teoria de Aprendizagem Significativa

Resumo: É feita uma análise crítica sobre mudança conceitual, ao longo de um período de vinte anos, à luz de uma revisão parcial da literatura e da Teoria de Aprendizagem Significativa. Nesta análise se destaca a necessidade de se atribuir novos significados ao conceito de mudança conceitual, que não implicam a idéia de subsituição ou troca de concepções na estrutura cognitiva do sujeito que aprende. Propõe-se a discriminação de significados, o desenvolvimento/enriquecimento conceitual e evolução conceitual como perspectivas mais adequadas.

Prof. Dr. Marco Antonio Moreira
Título: Aprendizagem Significativa e Linguagem

Resumo: Será destacado o papel fundamental da linguagem humana na aprendizagem significativa tanto do ponto de vista original de Ausubel como nas perspectivas de outros autores como Vygostky , Postman, Johson-Laird e Maturana.

Prof. Dr. Paulo Ricardo da Silva Rosa
Título: Prometeus: Um software para detecção de concepções alternativas em Mecânica

Resumo: Descobertas na década de 70, mapeadas extensamente na década de 80, as concepções espontâneas continuam sendo um problema para o ensino de Física devido à sua permanência e ainda são um desafio para a pesquisa em ensino de Física, pois não temos ainda uma tecnologia testada e geral para lidar com elas. Dentre as possibilidades teóricas para provocar a mudança da forma de pensar dos estudantes, a idéia do conflito conceitual desponta como um caminho com grande possibilidade de sucesso. Entretanto, a estratégia de conflito conceitual é de difícil implementação. Neste seminário descreveremos a implementação de uma estratégia desse tipo na área de Mecânica, baseada no uso de simulações em computador, potencialmente capaz de levar os estudantes a questionar suas concepções espontâneas e, com isso, abrir caminho para o ensino significativo de conceitos físicos.

Prof. Dr. Paulo Ricardo da Silva Rosa
Título: Física Geral na UFMS à luz da Teoria de Aprendizagem de Ausubel

Resumo: Um dos problemas no ensino de Física em nível superior é a dificuldade que os estudantes apresentam para integrar os conhecimentos adquiridos em várias áreas ao longo de sua formação. Os curricula dos cursos de Física, em geral, apresentam os diversos campos da Física como não conectados, não interligados e não interdependentes. Neste seminário, apresentaremos a proposta de uma nova formatação dos cursos de Física Básica (2 primeiros anos do curso de Física, Licenciatura e Bacharelado) baseada na teoria da Aprendizagem Significativa de Ausubel que foge dos padrões convencionais, a qual está sendo implementada na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul desde o ano de 2004. Apresentaremos os pressupostos teóricos da proposta, suas estratégias de implementação e uma avaliação preliminar da sua eficácia (de natureza qualitativa).

Prof. Dr. Renato P dos Santos
Título: O Perfil Conceitual e a Compreensão de Conceitos Físicos

Resumo: Buscando entender a coexistência simultânea de visões da realidade, ou concepções alternativas, num mesmo indivíduo, Mortimer (1995) construiu um modelo denominado Perfil Conceitual, a partir do perfil epistemológico de Bachelard (1940). Já foram construídos perfis para os conceitos de reações químicas, átomo, estados físicos dos materiais, calor, espontaneidade, transformação e energia em Química, função em Matemática, periodicidade e radiação em Física. Temos construído os perfis dos conceitos de massa e força e agora os estamos validando através de instrumentos que, principalmente através do incitamento à reflexão mental sobre experiências do quotidiano, aceda às representações dos conceitos pelos estudantes.

Prof. Dr. Roque Moraes
Título: UMA TEMPESTADE DE LUZ: A compreensão possibilitada pela análise textual discursiva

Resumo: No seminário nos propomos a examinar um processo de análise textual qualitativa que, num ciclo de análise constituído de três elementos - unitarização, categorização e comunicação - se apresenta como um movimento que possibilita a emergência de novas compreensões em relação aos fenômenos investigados. Ao longo do seminário trabalha-se com a metáfora de uma tempestade de luz, procurando com isso criar uma imagem que traduza o modo como emergem as novas compreensões no processo analítico, atingindo-se novas formas de ordem com a participação do caos e da desordem.

Profa. Msc. Sayonara S. Cabral da Costa
Título: Resolução de problemas, a pesquisa e o professor

Resumo: Discutir-se-á a relevância da pesquisa em resolução de problemas para auxiliar o professor no seu papel de facilitador da aprendizagem. Serão apresentadas algumas tendências de pesquisa registradas pela literatura a partir dos anos 80 e, particularmente, o trabalho que estou desenvolvendo, fundamentado na teoria dos Campos Conceituais de Gérard Vergnaud.