• Duas terraplanistas demonstram em um vídeo que a Terra NÃO é plana!


  • Professor Lang


    Vi seus comentários no vídeo de duas terraplanistas que alegam ter observado a Lua cheia no Brasil no mesmo momento que ela era observada no Japão. Elas apresentaram estas observações como prova de que a Terra é plana. Eu não entendo a razão de na Terra Plana tal ser possível. Além disso gostaria que o sr. explicasse a razão de ter afirmado nos comentários do vídeo que elas apresentaram evidências sobre a esfericidade da Terra.





    A esdrúxula concepção da Terra Plana  coloca a Lua e o Sol em órbitas paralelas à superfície da Terra e a poucos milhares de quilômetros da superfície. Desta forma tanto o Sol quanto a Lua nunca atingem o horizonte, estando ambos sempre acima da face do disco que é a Terra como bem ilustra a histórica figura de 1893 do findamentalista religioso Orlando Ferguson (Wikipedia).


    terra_plana


    Deste modelo decorre singelamente que  não pode haver noite na Terra Plana. Entretanto os terra-chatos criam "argumentos" para justicar a noite, exercitando sempre forte dissociação cognitiva para bem de sustentar esta ideia anacrônica. Não é meu objetivo nesta postagem tratar especificamente da impossibilidade de noite neste estapafúrdio modelo mas apenas notar que na Terra Plana a Lua e o Sol deveriam ser visíveis no mesmo instante de quaisquer dois pontos da "pizza", em particular aqui e no Japão, e em qualquer momento do mês lunar e não apenas na Lua cheia.


    A Lua cheia de fevereiro de 2017 foi registrada em diversos vídeos aqui no Brasil e lá no Japão. Se de fato os dois vídeos citados pelo canal das terraplanistas foram feitos exatamente no mesmo momento, não há informações disponíveis para responder e muito certamente não o foram (possivelmente foram quase simultâneos). Entretanto segundo a Astronomia, dado que a Terra tem forma de globo - quase esférica - é possível ver a Lua cheia no mesmo momento em pontos da Terra diametralmente opostos, em horários locais  que correspondem  ao anoitecer ou noite em um ponto (quando então a Lua está próxima de seu nascente) e  ao amanhecer no outro ponto (quando a Lua está próxima do seu poente).


    A diferença de fuso horário daqui para o Japão é 12 h e como a Lua cheia é visível a partir do cair da noite, por toda a noite, até o amanhecer é fácil concluir que ela pode ser vista por exemplo aqui ao amanhecer e lá no Japão no final do dia ou início da noite; entretanto isto somente pode acontecer na Lua cheia. Lembremos que na fase quarto crescente (quarto minguante) a Lua se encontra elevada no céu ao entardecer (amanhecer). Vide na postagem seguinte uma foto da Lua minguante cedo pela manhã: É possível ver a Lua na fase Nova?


    Então o pretenso fato de terem ocorrido observações simultâneas ou quase simultâneas da Lua cheia aqui e no Japão é um trivialidade para a Astronomia que opera desde a Antiga Grécia com a concepção bem corroborada da Terra em forma de globo.


    Conforme notei acima, do anacrônico modelo de Terra Plana se deriva que a Lua (e o Sol também!) deveria ser visível em pontos diametralmente opostos (e em todos os pontos da Terra) em qualquer momento do ciclo lunar e não apenas na Lua cheia. Os terra-chatos poderiam tentar (obviamente sem êxito) observar a Lua simultaneamente aqui e no Japão por exemplo na fase crescente ou minguante. Portanto a observação da Lua cheia nos dois locais nada prova sobre ter a Terra a forma de pizza. Fica aqui o desafio para os terra-chatos demonstrarem com vídeos sérios que é possível se ver simultaneamente a Lua aqui e no Japão por exemplo em quarto crescente.


    Um ótimo vídeo discutindo todas essas possibilidade é:  Vídeos da Lua no Brasil e no Japão NÃO provam que a Terra é plana.


    Vou agora me deter na prova positiva que as terraplanistas fizeram da esfericidade da Terra  atravé do seu vídeo.


    A figura que segue representa dois antípodas, o Tanaka e o João, observando simultaneamente um objeto celeste que para fins de entendimento possui um sistema de eixos ortogonais (azul e vermelho). O Tanaka e o João se encontram de costas nesta representação para nós que olhamos a figura; portanto se transita de um dos antípodas para o outro através de uma rotação de 180 graus. O eixo vermelho no objeto celeste observado tem a orientação da vertical para cima para o Tanaka e da vertical para baixo para o João. Já o eixo azul aponta da direita (D) para a esquerda (E)  do Tanaka e da esquerda para a direita do João. Portanto se os dois observarem o mesmo objeto celeste, eles o verão de maneira diferente, isto é com uma rotação de 180 graus. Mesmo não concordando que a Terra possua a forma de globo um terra-chato entende esta discussão (será mesmo que ele entende?).


    antipodas


    Eu tomei imagens de dois vídeos excelentes, um feito no Japão e outro no Rio de Janeiro, na Lua cheia de fevereiro de 2017. O vídeo que as terraplanistas fizeram é de péssima qualidade mas elas, apesar disso, notaram aquilo que vou mostrar a seguir.


    A proxima figura apresenta a imagem da Lua no Japão (superior) e no Rio de Janeiro (inferior). Indiquei nas duas imagens tês estruturas na superfície da Lua com setas de cores diversas, usando a mesma cor nas duas imagens para identificar a mesma estrutura.


    lua-cheia


    Como se pode observar as duas imagens diferem por uma rotação de aproximadamente 180 graus conforme o previsto.


    As terraplanistas alegaram que tal observação da Lua virada era consistente com a esdúxula Terra Plana. Entretanto a Lua virada refuta a o modelo da Terra Plana!  Se a Lua dos terra-chatos é esférica (sobre isto há dúvidas entre eles pois alguns dizem que a Lua também tem forma de "pizza") e dado que ela apresenta o mesmo tamanho angular de aproximadamente 0,5 graus aqui ou Japão (em qualquer parte do globo com é bem sabido desde a Antiga Grécia), então ela deve estar igualmente distante do Rio de Janeiro e do Japão (no meio) e, portanto, deveriam ser registradas estruturas diferentes sobre a face avistada aqui e lá. Ou seja, ou os brasileiros ou japoneses veriam a face da Lua que NUNCA é visível.


    E se a Lua fosse apenas um disco como querem alguns terra-chatos? Então ela não poderia ser vista como um disco simultaneamente nos dois locais. Ou aqui, ou lá, ou em ambos os locais a sua borda NÃO apareceria circular (como se vê em ambas as imagens) mas em forma de elipse, como quando qualquer disco é observado não frontalmente.


    A aparência da Lua em qualquer dia do mês lunar em que se faça a observação em dois locais da Terra sempre diferirá por uma rotação em um ângulo que depende da distância angular entre os dois locais de observação e do momento da observação pois a distância Terra-Lua é grande quando comparada com o raio da Terra. Daqui de Torres no RS para Roma na Iitália temos um deslocamento angular em latitude e longitude, ambos em cerca de 70 graus. No ano passado o Prof. Adriano Barcellos (IFSUL) me enviou fotos feitas da Lua crescente de agosto de 2016. Na proxima figura vemos fotografias da Lua crescente em Torres (abaixo) e em Roma (acima, feita por Daniel Varella Salvador). Conforme a expectativa  observamos a Lua crescente rotacionada de uma imagem para a outra.


    lua_roma_torres


    Desta forma fica demonstrado que as terraplanistas conseguiram um bela prova de que a Terra continua como sempre com a forma (quase) esférica. Parabéns às terraplanistas! Sobre a forma da Terra vide O formato da Terra e Teste sobre a forma da Terra!


    Um sítio muito elucidativo sobre diversos aspectos de nosso satélite e em particular sobre as fases da  Lua é  MoonConnection.com.


    Alguns aspectos usualmente não abordados em textos elementares sobre a órbita da Lua e os intervalor de tempos entre as fases principais está disponível em ResearchGate.


    Um teste sobre as fases da Lua se encontra em  Teste sobre as fases da Lua.


    A explicação para as cores que a Lua cheia apresenta está em CoresLUAcheia.


    Um progarma na Rádio da Universidade da UFRGS pode ser ouvido em TerraPlana.


    Outras postagens do CREF sobre o terraplanismo:


    Refutando a Terra Plana


    Satélites de telecomunicações não existem, afirmou um aloprado terra-chato!


    AS ATUAIS TECNOLOGIAS DE TELECOMUNICAÇÕES EVIDENCIAM A ESFERICIDADE DA TERRA


    A divergência da luz crepuscular prova que o Sol da Terra Plana está logo ali! Será mesmo?


    Antártica na Terra Plana: muralha de gelo e domo?


    "Docendo discimus." (Sêneca)







    Prof. Fernando Lang da Silveira - www.if.ufrgs.br/~lang/



    Acessos desde 05 de maio de 2017: 1658



    Voltar
    Assine o feed! Adicione aos favoritos! Imprima esta página! Indique por email!


    Pesquisar no CREF









    Total de acessos desde maio de 2013: 2534225