Redes Sociais

FacebookTwitterYoutubeGoogleYahooFeedWordpressLinkedin

Colóquios 2015

Evento 

Título:
Colóquio:O ESTADO ATUAL DA RADIOTERAPIA COM PARTÍCULAS E A VIABILIDADE NO BRASIL. J.C.Cruz
Quando:
06.10.2015 16.00 h
Onde:
Anfiteatro Antônio Cabral - Porto Alegre
Categoria:
Colóquios 2015

Descrição

A Radioterapia moderna utiliza os mais avançados recursos da mecânica, eletrônica e informática, proporcionando o desenvolvimento de técnicas de tratamento sofisticadas e precisas como a intensidade modulada (IMRT) e arcoterapia volumétrica modulada (VMAT), tudo sob o controle de imagens digitais planares e tridimensionais na localização do volume alvo em tempo real. Com isso, os princípios da Radioterapia de liberar uma dose no tumor suficiente para aumentar o controle local sem contudo causar danos fora dos limites aos tecidos normais adjacentes, está sendo possível.

Toda essa tecnologia, no entanto, utiliza o mesmo tipo de radiação da época do início da especialidade, diferenciando-se pela complexidade e energia dos equipamentos emissores de radiação do tipo X e elétrons.

Nos últimos anos tem havido um renovado interesse em se utilizar partículas no tratamento do câncer. A ideia de se utilizar prótons foi primeiramente sugerida pelo físico Robert R. Wilson em 1946 e os primeiros tratamentos se deram em 1950 em unidades de pesquisa em física nuclear com cíclotron.

Somente em 1990 surgiu o primeiro Centro dedicado ao tratamento com prótons em Loma Linda – USA. A partir daí, muitas unidades dedicadas e equipamentos cada vez mais compactos e com recursos acessórios semelhantes à radioterapia convencional, como imagens e modulação da radiação, estão sendo disponibilizados pelos diferentes fornecedores, tornando o mercado mais competitivo e atendendo às necessidades de pequenas unidades. Atualmente existem mais de 50 centros em operação no mundo e outros 30 estão em construção.

A eficácia biológica dos prótons em relação aos Raios-X em função dos custos ainda é um ponto de discussão e argumentação, porém, é evidente a melhor distribuição e redução de dose volumétrica aos tecidos normais, com aplicabilidade inquestionável em tumores da infância e outras regiões com o desenvolvimento de protocolos clínicos que comprovem sua efetividade.

Outras partículas pesadas também estão sendo pesquisadas para uso em Radioterapia, destacando-se o íon Carbono pela suas características físicas e biológicas. O NIRS – National Institute of Radiological Science, em Chiba – Japão, desenvolve desde 1993 um programa de pesquisa em física, biologia e aplicação médica, com partículas pesadas. Cerca de dez centros de terapia com carbono estão em operação atualmente em diferentes países.

 

Estudos de viabilidade econômica de um Centro de Prótons no Brasil estão sendo desenvolvidos e serão discutidos na apresentação.

Local

Venue:
Anfiteatro Antônio Cabral
Cidade:
Porto Alegre
Estado:
Rio Grande do Sul
País:
País: br

Descrição

Descrição não disponível
Terça, Dezembro 07, 2021